Médicos de Manaus pedem ajuda pelas redes sociais

Profissionais da saúde relatam que falta oxigênio nos hospitais.

Foto mostra um homem internado no hospital
Foto mostra um homem internado no hospital

Picture Alliance / dpa/picture alliance via Getty I / Via Getty Images

Paciente de Covid-19 no Hospital de Campanha Gilberto Novaes, em Manaus. Outubro/2020

Publicidade

De acordo com um pesquisador da Fiocruz-Amazonas, "os hospitais de Manaus viraram câmara de asfixia".

Foto do Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus.
Foto do Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus.

Anadolu Agency / Getty Images

A Folha publicou uma reportagem com o pesquisador Jesem Oerellana, da Fiocruz-Amazônia, que fez a denúncia a partir do relato de trabalhadores da saúde que estão na linha de frente. "Acabou o oxigênio e os hospitais viraram câmaras de asfixia", ele afirmou. "Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, devem ficar com sequelas cerebrais permanentes."

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Segundo o site Amazonas Local, câmaras frigoríficas voltaram a ser instaladas no maior cemitério da capital.

Secom/Divulgação / Via amazonasatual.com.br

A notícia publicada pelo Amazonas Local explica que "a medida visa atender às vítimas da Covid-19, que morrerem nos horários em que os cemitérios estão fechados, garantindo o cuidado com os corpos para o sepultamento. As câmaras têm capacidade para armazenar até 60 caixões e começarão a ser utilizadas a partir desta quinta-feira, 14."