Gilberto Braga deixa novela inacabada e entra para a história como um dos maiores autores do país

Roteirista de "Vale Tudo" e "Celebridade" morreu nesta terça (26), aos 75 anos.

Dono de histórias que mudaram o rumo da dramaturgia, como "Dancin' Days", Gilberto Braga deixa uma novela inacabada na Globo.

Gilberto Braga
Gilberto Braga

Alex Carvalho/Canal Viva

Ele preparava uma adaptação do romance "Feira das Vaidades", de William Thackeray, para o horário das seis da emissora. O projeto, no entanto, acabou engavetado durante a pandemia.

Até então, ele esperava contar com nomes como Malu Mader e Claudia Abreu, suas amigas de longa data, no elenco.

Publicidade

O autor tem no currículo vários sucessos, mas o mais lembrado é "Vale Tudo", de 1988, que virou um tratado sobre o "jeitinho brasileiro" e a corrupção.

Na época, o país inteiro parou para descobrir quem matou Odete Roitman, vilã interpretada por Beatriz Segall, no final da trama.

Com "Dancin' Days", o autor colocou a discoteca na televisão brasileira e lançou uma moda: as meias de lurex, usadas na abertura e pela personagem de Sonia Braga.

Publicidade

Em "Babilônia", o escritor causou polêmica ao exibir logo nos primeiros capítulos um beijo entre as personagens de Fernanda Montenegro e Natália Thimberg.

E em "Celebridade", fez o país se apaixonar por personagens interpretadas por Malu Mader, Claudia Abreu, Deborah Secco e Juliana Paes.

Publicidade

Atualmente, uma de suas tramas, "Paraíso Tropical" está sendo reprisada pelo Canal Viva.

A novela levou Camila Pitanga a virar uma estrela ainda maior do que já era, com a icônica personagem Bebel.

Gilberto Braga deixa um legado inestimável e entra para a história da telenovela brasileira como um dos maiores autores de sua história.

Publicidade

Veja também