12 dos costumes mais malucos que você só encontra em famílias brasileiras

Ai minha Nossa Senhora da Periquita do Mocotó Pelado!

Recentemente, os participantes do grupo do BuzzFeed no Facebook compartilharam histórias de costumes engraçados que rolavam nas suas famílias. Reunimos neste post alguns dos melhores relatos!

1. O emprego definitivo.

Meu avô foi visitar um amigo que não via há muito tempo, chegando lá, encontrou o genro do amigo e perguntou por ele. O genro disse: "Ele está lá no Saudade (cemitério perto de casa)". Meu avô, todo feliz, respondeu: "Ele arranjou um emprego?". A resposta do genro: "Só se foi um emprego definitivo!" kkkkkkk. Com essa, "emprego definitivo" aqui em casa virou sinônimo de morte.

Enviado por Renata Cristina.

Publicidade

2. Chocado com essa do pintinho, aparentemente é uma tendência mesmo!!

Minha tia colocava o pintinho pra piar na boca do bebê pra ele falar cedo.

Enviado por Gabriela Teixeira.

Quando era pequena eu falava demais, e minha mãe dizia: "Parece que colocaram um pintinho piando na boca dessa menina".

Enviado por Valéria de França.

Getty

Publicidade

3. Se você parar pra pensar, "avô" rima com "rimô".

Teve uma época em que meu avô surtou e começou a rimar, ele falava TUDO rimando. Se você perguntasse o que ele ia almoçar, ele ia responder rimando. Ficou quase um mês assim. Aí você perguntava por que ele tava rimando e ele dizia que fazia parte do jogo, mas não dizia que jogo era esse. Sempre que ele terminava a rima, dizia "agora a bola tá cocê". Aí certa vez meu marido respondeu uma das rimas com um "ah vô, depende do ponto de vista.". Pronto, com isso meu marido ganhou o tal jogo! Depois dessa, cada vez que ele falava com meu marido, o vô dizia: "mas depende do ponto de vista!". Meu "véinho" morreu e o "depende do ponto de vista" ficou.

Enviado por Mayara Cardoso.

4. Falando em avôs, tem este vovô que "afrancesou" uma palavra e ficou muito fofo.

Meu vô chama margarina de "margarine" e eu não tenho coragem de corrigir <3

Enviado por Cat Casagrandi.

Publicidade

5. E tem também esta avó sinestésica.

Minha avó fala que tem cheiro de queimado e tem cheiro de quente e não tem nada que eu diga que mude isso kkkkk. E ela JURA que são cheiros diferentes. Cheiro de queimado é um e cheiro de quente é outro, bem mais forte. Nunca entendi.

Enviado por Larissa Lima.

Getty

6. Sobrou até pro cachorro nessa família CHEIA de manias.

O meu pai não consegue falar no telefone parado ou sem gritar.

Um dos meus irmãos é muito metódico, lê manual de instrução de tudo por inteiro.

O outro vira e mexe solta umas frases filosóficas do nada - ele tem 7 anos e fica uma gracinha fazendo isso.

Já o meu cachorro praticamente se joga na frente dos carros que passam pela rua, e morre de ciúmes dos meus pais com a gente.

Enviado por Maria Clara Guedes.

7. O mocotó pelado.

A Santa padroeira da minha mãe é a Nossa Senhora da Periquita do Mocotó Pelado. Ela fala isso a qualquer momento e já gerou situações constrangedoras.

Enviado por Thaís Isquierdo.

Getty

8. "Saes é matió"!

Uma parte da minha família é fluente em falar de trás pra frente ("de istra pra tifren"). É tipo um código pra comunicar segredos em público. Por exemplo: se eu quero comentar com alguém que o penteado daquele rapaz ali tá horroroso, eu digo: "lhao, lobeca mehom velrriho". E por aí vai kkkkkkk

Enviado por Fernando Peres.

9. O costume contagioso.

Minha família é toda chorona, quando vê um chorar, vai o restante no embalo...

Enviado por Kelly Felix.

10. Cancão de Fogo e Alfredinho.

Minha finada vovozinha materna tinha ditos maravilhosos trazidos da Paraíba, onde ela nasceu e cresceu. Um dos que eu lembro é o "Cancão de Fogo e Alfredinho", usado para se referir a uma dupla que está aprontando todas (pode ser criança, bêbado, enfim, duas pessoas que estão fazendo algo que não deviam), mas de uma maneira agitada e engraçada.

Sabe quando dois primos de sete anos se encontram e não param de correr, gritar, jogar bola na sala e ficam tomando bronca toda hora? Então, minha avó diria, com a voz rouca de quem fumou cigarro de palha a vida toda, com as mãos na cintura: "Ê hein, espia, Canção de Fogo e Alfredinho!".

Enviado por Thaís Felix.

11. A avó sincerona.

Minha avó quando não pode elogiar a comida diz "Ah, se come, né?".

Enviado por Elis Paranhos.

Getty

12. Você só percebe que certos costumes familiares não são universais quando você vai na casa de alguém e tem um CHOQUE de realidade.

Sempre usamos faca pra tudo - requeijão, maionese, margarina, manteiga... Fiquei chocada quando descobri que tem famílias que usam COLHER pra pegar maionese e requeijão! 😬

Enviado por Lilica Vitonis.

Este relato, aliás, gerou um debate no grupo sobre qual seria o melhor utensílio para este fim: faca, colher ou espátula?

Usamos faca, oras!

Sou #TeamColher.

Uma espátula, melhor invenção para esta finalidade!

Nota: Alguns dos depoimentos podem ter sido editados por questões de comprimento e/ou clareza.