"Não bote machismo na minha boca", diz Rafael Cortez sobre atrizes de OITNB

Repórter do CQC se defendeu em post no Facebook e disse que fez piadas mal formuladas para o elenco de Orange Is The New Black, mas não misóginas.

O repórter do CQC Rafael Cortez escreveu um texto no Facebook nesta quinta-feira se defendendo das acusações de que foi machista em entrevista com três atrizes do seriado Orange Is The New Black, do Netflix.

      

No post, ele explicou o clima da entrevista, disse que aceita críticas e que não é machista. "Sou aberto às críticas que têm fundamento, mas não acho correto que tentem colocar conceitos ridículos como o machismo e a misoginia na minha boca ou no meu caráter", postou Rafael.

Tudo começou quando uma entrevista de Cortez foi exibida na segunda-feira com as Samira Wiley, Natasha Lyonne e Uzo Aduba. As pessoas estranharam algumas perguntas dele, como "não é difícil atuar naqueles dias?"

Publicidade

"Porque, às vezes, 'naqueles dias' vocês ficam mais bravas, furiosas, brigam uma com a outra... "naqueles dias, sabe?"

As atrizes demonstraram não entender muito bem onde ele queria chegar com aquelas perguntas e uma delas disse até que o apresentador estava sendo "acidentalmente misógino" na pergunta.

Na legenda do programa "acidentalmente misógino" virou "estranho".

Publicidade

No fim da entrevista, Rafael perguntou se Suzane Von Richthofen seria uma boa companhia para elas na prisão de OITNB.

No post do Facebook ele reconheceu que "não foi boa". E completou dizendo que fará "outras ruins na vida porque erro como todo mundo".

Publicidade

Publicidade

Além disso, sites como o Mulher no Cinema também criticaram duramente a performance de Cortez.

Publicidade

O apresentador completou o post dizendo: "Bola pra frente e olho nos reais inimigos da sociedade. Há um monte deles por aí. Eu, definitivamente, não sou um".

Assista ao vídeo da entrevista de Rafael Cortez com as atrizes de Orange Is The New Black aqui:

Publicidade