Essa é a história por trás do vestido de noiva da princesa Diana que The Crown não mostrou

Todos os detalhes do vestido, conhecido como o segredo mais bem guardado da história da moda.


Des Willie / Des Willie/Netflix

Publicidade

A 4ª Temporada de "The Crown" tem recebido ótimas críticas, não apenas pelas atuações, mas também pela gigantesca atenção aos detalhes no figurino da série.

E claro que a maior peça do figurino dessa temporada foi o vestido usado pela princesa Diana no dia do seu casamento em 29 de julho de 1981.

Em uma entrevista para o Los Angeles Times, a figurinista Amy Roberts revelou que ela e sua equipe precisaram da permissão dos estilistas do vestido de noiva original, Elizabeth e David Emanuel, para reproduzir o vestido para a série. Roberts consultou David sobre o tecido, e ele compartilhou alguns de seus designs originais — mas ela disse que ele a encorajou a "se divertir com a réplica, em vez de ficar obcecada com os detalhes".

"Ele não foi neurótico quanto a isso, o que nos deixou mais relaxados", disse Roberts. "Nós só tentamos replicar a textura, a aparência e o tamanho dele. Mangas longas, babados grandes. Nós não ficamos muito estressados. Talvez ele tivesse 201 pérolas, e só tenhamos feito com 200."

Em um dos bastidores lançado no início deste mês, Roberts disse que o vestido de noiva levou 14 semanas e cinco "longas" sessões de experimentação para ser feito. No entanto, apesar de todo esse trabalho, o vestido é exibido por apenas aproximadamente 27 segundos nos últimos momentos do 3º Episódio, "Conto de Fadas".

Desde o lançamento da 4ª Temporada da série em 15 de novembro, muitos fãs têm se mostrado decepcionados com a aparição um tanto rápida do vestido, especialmente porque a atriz Emma Corrin é apresentada como destaque usando o vestido nos materiais promocionais da série.

Publicidade

O elenco e a equipe de "The Crown" falaram sobre a decisão de excluir o chamado casamento do século da série.

"Nós nunca recriamos as coisas apenas por recriá-las. Eu acho que, se nós recriarmos uma cena — como a cena do noivado, por exemplo, quando eles fazem o anúncio —, tem que ser porque ela está ligada a algo que os personagens estão passando. Tem que fazer parte da história. Tem que aprofundar o enredo, basicamente", disse Corrin em uma entrevista à The Hollywood Reporter. "A cena do casamento, você pode colocar no YouTube e vê-la em 10 segundos, então acho que não haveria sentido algum em nós a recriarmos."

Roberts disse que ela gostou da breve aparição de sua obra-prima na tela. "O vestido aparece e, em um instante, já se foi", disse ela ao LA Times. "É uma forma brilhante de lidar com isso. Você não precisa falar repetidamente sobre isso, não é?"

No entanto, como sou uma jornalista de serviço público e nunca preciso de uma desculpa para escrever sobre a família real, decidi que é meu dever escrever uma história com todos os detalhes sobre o vestido de noiva de Diana que "The Crown" decidiu não incluir.

Então pode pegar seu chá e prepare-se para esta caminhada pela história da moda.

Fox Photos / Getty Images

Publicidade

Os estilistas do vestido, os Emanuel, eram uma dupla jovem formada por marido e mulher com uma pequena butique no distrito de Mayfair, em Londres.

Daniel Leal-olivas / Getty Images

Publicidade

Diana — então Lady Diana Spencer — escolheu pessoalmente os estilistas David, 29, e Elizabeth, 27, porque ela gostou de uma blusa de chifom que fizeram para seu primeiro retrato real oficial (que foi fotografado por Lorde Snowdon, marido da Princesa Margaret de 1960 a 1978).

"Um dia, eu estava no showroom fazendo o vestido de noiva de alguém e o telefone não parava de tocar, e eu estava ficando muito brava porque ninguém atendia", disse Elizabeth em uma entrevista de 2001 para a ABC.

"Por fim, atendi o telefone... e era a Diana, e ela, na verdade — quer dizer, foi inacreditável —, ela disse: 'Você me daria a honra de fazer meu vestido de noiva?' E eu ainda posso sentir o arrepio subindo"

"Foi uma declaração muito simples", disse Elizabeth em outra entrevista. "Na verdade, ela perguntou se nós gostaríamos de fazer o vestido dela. Você sabe, como se pudéssemos dizer não."

Ao contrário dos casamentos reais mais recentes, onde os estilistas do vestido e todos os detalhes sobre ele são mantidos em segredo até o momento em que a noiva chega para a cerimônia, o Palácio de Buckingham anunciou que os Emanuel seriam os responsáveis pelo trabalho em 10 de março de 1981.

Jacob Sutton / Getty Images

Publicidade

A notícia se tornou pública um dia após o anúncio oficial do noivado de Diana com príncipe Charles, para o qual ela usou um vestido formal Emanuel sem alças que havia escolhido em sua primeira visita à loja e que posteriormente ganhou as manchetes ao redor do mundo.

The Daily Express / Via express.co.uk

Publicidade

Diana disse aos Emanuel que queria parecer uma "princesa de contos de fadas de verdade" no dia do casamento, e trabalhou bem próxima a eles para desenhar o vestido de casamento dos seus sonhos — sem nenhuma orientação do Palácio de Buckingham.

"Sem burocracia, sem pompa e circunstância", disse David em uma entrevista para a NBC em 2011. "Muitas horas sentados no carpete, conversando com Diana. E, então, fizemos algumas pesquisas. Nós passamos pelas noivas reais."

Eles decidiram por um design romântico cheio de frescura, babados e adornos. "Queríamos drama, querida, drama", disse David.

Desde o início, Diana e os Emanuel sabiam que precisavam de uma característica específica no vestido: uma enorme cauda para segui-la pelo corredor da Catedral de São Paulo.

"[A catedral] simplesmente ansiava por um vestido épico", disse David. Em sua pesquisa, os Emanuel descobriram que a cauda mais longa em qualquer vestido de noiva real tinha sido de 6 metros. Quando contaram isso para Diana, ela os instruiu a fazerem uma cauda de 7,5 metros para seu vestido e um véu ainda mais longo.

Central Press / Getty Images, Pa Images / Getty Images

Publicidade

Vamos aos detalhes.

O vestido, feito com 37,5 metros de tecido, foi criado apenas com materiais britânicos. A seda foi tecida especificamente para o vestido de Diana por bichos-da-seda na última fazenda de seda do Reino Unido, e a renda foi feita usando uma máquina antiga em uma fábrica de Nottingham que também forneceu o material para o vestido de noiva de Catherine, duquesa de Cambridge, quase 30 anos depois.

O vestido e o véu — feitos da mesma seda britânica — foram bordados à mão com dezenas de milhares de lantejoulas de madrepérolas, e também com pérolas de verdade.

Um guarda-chuva foi feito do mesmo material do vestido (e também bordado à mão) para o caso de no dia do casamento estar chuvoso.

Os estilistas dos sapatos de casamento de Diana, Clive Shilton e Julie Smith, viram apenas os materiais que os Emanuel estavam usando, não o desenho do vestido em si. Sem muitas informações, eles criaram um par de sapatilhas marfim de salto baixo com lantejoulas bordadas à mão e pérolas para (com sorte) combinarem com o vestido. As solas dos sapatos foram gravadas em ouro e incluíam um emblema "C❤️D".

Como muitas noivas, Diana fez questão de caminhar pelo corredor com os tradicionais "algo velho, algo novo, algo emprestado e algo azul".

O velho: a renda antiga no corpete do vestido, que originalmente pertenceu à rainha Maria, avó da rainha Elizabeth. O novo: o próprio vestido de noiva, feito com aquela seda personalizada. O emprestado: a tiara da família Spencer. O azul: um pequeno laço que os Emanuel costuraram no cós do vestido.

Os Emanuel também costuraram um amuleto adicional no vestido de Diana: uma minúscula ferradura de ouro 18 quilates com diamantes, para dar sorte.

William Thomas Cain / Getty Images

Publicidade

Como a imprensa frenética e obcecada por Diana sabia que os Emanuel estavam fazendo o vestido, os estilistas tiveram que tomar medidas extremas para mantê-lo em segredo durante os meses que antecederam o casamento.

Primeiro, eles pararam de aceitar novas encomendas e deram a Diana um codinome — Deborah — para manter em segredo a hora e as datas de suas sessões de experimentação.

Sabendo que os repórteres vasculhariam o lixo de sua butique em busca de pistas, eles propositalmente encomendaram e jogaram fora linhas e tecidos de uma variedade de cores diferentes.

"Éramos muito, muito cuidadosos com a segurança", disse Elizabeth na entrevista de 2001 à ABC News. "Tanto que nos organizamos para que um grande cofre de metal fosse entregue no estúdio. Era tão grande que não passava pela porta da frente. E tivemos que içá-lo pelas janelas. Todas as noites, nós trancávamos o vestido lá. E tínhamos dois seguranças, Jim e Burt. E eles tiveram que protegê-lo."

Depois que um tabloide londrino tentou obter o desenho do vestido oferecendo a um de seus funcionários um suborno de US$ 65.450, os Emanuel começaram a mentir para os repórteres na tentativa de despistá-los, dizendo que haviam criado três vestidos de casamento diferentes, no caso de vazar o estilo de um deles (eles admitiram sua farsa à AP algumas horas após o casamento).

O sigilo valeu a pena. No dia do casamento, o vestido tinha sido visto apenas por 14 pessoas.

Mas o sigilo não foi o único problema enfrentado pelos jovens estilistas. Como retratado em "The Crown", o estresse da nova posição de Diana e as preocupações com a fidelidade de seu futuro marido desencadearam sua bulimia, resultando em rápida perda de peso e deixando os Emanuel lutando para ajustar o vestido ao seu corpo que mudava rapidamente.

Em uma entrevista com o jornalista Andrew Morton, Diana disse que, no período entre sua primeira experimentação em fevereiro e o dia do seu casamento em julho, sua cintura encolheu 14 centímetros.

Tim Graham / Tim Graham Photo Library via Get

Publicidade

No dia do casamento, os estilistas estiveram presentes para colocar Diana no vestido. E, apesar os rumores, ela não precisou ser costurada nele.

A futura princesa deveria seguir em uma carruagem com seu pai, John Spencer, o 8º Conde Spencer da Clarence House, para a Catedral de São Paulo. Então, os Emanuel tiveram que descobrir uma forma de fazer caber duas pessoas e o vestido enorme na carruagem.

"Fizemos um ensaio e a colocamos na carruagem com uma anágua grande, e isso não foi um problema", disse Elizabeth na entrevista à ABC News em 2001. "Mas, no dia, bem, você sabe, o pai dela, conde Spencer, é um homem bem grande, e a carruagem é bem pequena."

"Nós finalmente a colocamos na carruagem... mas então, é claro, você tem a cauda atrás", disse David em uma entrevista em 2006. "Então, nós literalmente dobramos a cauda como se dobra lençóis. Você sabe, lençóis de cama? No final, foi quase como socar tudo lá para fazer caber."

Princess Diana Archive / Getty Images

Publicidade

Os casamentos reais são planejados com precisão militar para fins práticos e protocolares — os horários exatos em que a rainha, Charles e Diana chegariam cada um à Catedral de São Paulo foram escritos na ordem de serviço oficial.

O plano sempre foi manter os detalhes do vestido de noiva em segredo até o momento em que Diana saísse da carruagem — mas, assim que ela o fizesse, a mídia mundial precisava dar esses detalhes aos 750 milhões de pessoas em 74 países que assistiam à cerimônia pela televisão.

Isso foi em 1981, quando não tinha nada de internet e redes sociais. Em vez disso, o Palácio de Buckingham deu os detalhes aos repórteres em envelopes lacrados na manhã do casamento, sob instruções estritas de que eles não deveriam ser abertos até a chegada de Diana à catedral, às 10:55.

David Levenson / Getty Images

Publicidade

Quando Diana saiu da carruagem, no entanto, a primeira reação dos estilistas foi de pânico, e não de orgulho.

"Nós a vimos subindo as escadas. Ela entrou pela porta", lembra Elizabeth em uma entrevista de 2006. "E percebemos que o vestido estava mais amassado do que imaginávamos. Porque sabíamos que ele ficaria um pouco amassado, e dissemos: 'Ah, meu Deus.'"

David acrescentou: "Mas, seguramente, por trás de tudo isso, tínhamos desenvolvido um peso muito grande de tafetá, então eu sabia — nós sabíamos — que, assim que você o afofasse, abrisse e arejasse, tudo voltaria às suas dobras naturais."

Como você pode ver na transmissão oficial do casamento, os dois estavam prontos para reparar o estrago antes de Diana começar sua caminhada pelo corredor.

BBC

Publicidade

Independentemente da sua opinião sobre o vestido, você tem que admitir que os Emanuel acertaram o efeito dramático da cauda que pretendiam no processo de design original.

Fox Photos / Getty Images

Publicidade

Em uma entrevista após o término da cerimônia, os Emanuel disseram que ficaram com medo do noivo de Diana não gostar do vestido (como o resto do mundo, ele não tinha ideia de como seria).

"A princesa ficou muito satisfeita com ele, então, obviamente, nós também ficamos", disse David. "Tínhamos medo de que Charles olhasse para o corredor e não gostasse do que via, mas, na verdade, ele nos disse que gostou muito."

Hulton Archive / Getty Images

Publicidade

Quando o casal entrou em uma sala ao lado para assinar o registro de casamento, a maquiadora de Diana, Barbara Daly, estava pronta para renovar sua maquiagem — e remover o véu do rosto.

Quando a cerimônia de casamento terminou, Diana e Charles acenaram para a multidão de adoradores enquanto voltavam ao Palácio de Buckingham para suas fotos oficiais, e os Emanuel finalmente conseguiram respirar aliviados.

Anwar Hussein / Getty Images

Publicidade

Mas mais tarde naquele dia os estilistas receberam um telefonema inesperado.

"Na noite do casamento, quando todos tinham ido para casa e Dave e eu estávamos sentados sozinhos em nosso estúdio, recebemos um telefonema, e era a Diana", disse Elizabeth em uma entrevista em 2001.

"Ficamos meio deprimidos depois do casamento. Você sabe, era a 'depressão pós-parto', mas ela realmente tirou um tempo para nos ligar e nos agradecer por fazê-la se sentir tão bonita."

Princess Diana Archive / Getty Images

Publicidade

Os Emanuel desenharam muitos outros trajes para Diana ao longo dos anos, incluindo os conjuntos para ela e Charles na turnê de 1986 pelos estados do Golfo.

O vestido de noiva esteve em exibição no Palácio de Kensington por alguns anos, mas foi removido para limpeza em 1993 e nunca mais voltou.

Tim Graham / Tim Graham Photo Library via Get

Publicidade

Após a morte de Diana em 1997, o vestido começou uma segunda vida.

Em 1998, o irmão de Diana, Charles Spencer, o 9º Conde Spencer, abriu um museu na propriedade Althorp da família para celebrar a vida dela. A exposição de seis cômodos, apelidada de "Diana: uma celebração", apresentava uma ampla variedade de artefatos da vida de Diana, de fotos de família e boletins escolares a alguns de seus vestidos mais icônicos — e seu vestido de noiva era a peça central da coleção.

"É uma série de cômodos que realmente colocam a vida de Diana em contexto", disse Charles a Larry King em uma entrevista.

Durante 16 anos, de 1º de julho de 1998, aniversário de Diana, a 30 de agosto de 2014, véspera do aniversário de sua morte, o museu ficou aberto ao público. A partir de 2002, a exposição fez viagens regulares ao redor do mundo para exibição temporária. A receita da venda de ingressos foi doada ao Fundo Memorial de Diana, Princesa de Gales; no momento em que a exposição foi encerrada, ela havia arrecadado mais de US$ 1,6 milhão para caridade.

Ken Faught / Getty Images

Publicidade

Por que ele fechou para sempre? O testamento de Diana estipulava que todos os seus bens fossem devolvidos aos filhos quando o príncipe Harry fizesse 30 anos em 15 de setembro de 2014. Assim, mais de 150 itens pessoais que fizeram parte da exposição foram eventualmente entregues aos príncipes William e Harry.

Não se sabe publicamente o paradeiro atual do vestido, e resta saber se ele ficará em exibição novamente.

Por enquanto, pelo menos, temos a versão de "The Crown".

BBC

Publicidade

Este post foi traduzido do inglês.

Leia mais

Você consegue identificar pelo menos 7 membros da família real britânica?

Escrito por Evelina Zaragoza Medina • há um ano

Você sabe dizer se esses acontecimentos de The Crown rolaram na vida real?

Escrito por Matheus Saad • há um ano

The Crown recriou o vestido do casamento da Princesa Diana e NOSSA!

Escrito por Marissa G. Muller • há um ano

Publicidade

Veja também