5 coisas boas deste episódio de "Game of Thrones"

Foi bom e ruim ao mesmo tempo, vai. ATENÇÃO: O POST CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO 8x05 DE "GAME OF THRONES"

Ontem (dia 12) foi exibido o penúltimo episódio de "Game of Thrones", depois de 8 anos no ar.

Na reta final, a série tem tomado rumos um tanto controversos - mas não de um jeito bom. No lugar de arcos de personagens bem desenvolvidos, diálogos memoráveis e acontecimentos imprevisíveis, "Game of Thrones" tem desconstruído anos de desenvolvimento de certos personagens, correndo com certos acontecimentos e conduzido a história para um possível final morno e previsível.

Publicidade

Em resumo, tão cagando na série desde que ela ultrapassou os livros e pipipi popopo.

Reprodução / HBO

(E a gente segue assistindo porque é trouxa KKKKKK)

Mas, apesar de tudo, decidi listar algumas coisas que eu gostei bastante neste episódio, que foi super bem dirigido e executado:

1. Os momentos de silêncio

Reprodução / HBO

Boa parte das cenas foi feita quase sem nenhuma fala. Os olhares dos personagens foram muito marcantes e essenciais para entendermos o que se passava na cabeça deles, como no momento em que a Arya percebe toda a destruição causada pela Daenerys, ou na hesitação do Jon Snow em beijar a Daenerys. Os silêncios contribuíram para dar ritmo e aumentar a carga dramática do episódio de forma ~primorosa~, como poucas séries grandes sabem fazer. E, considerando que os diálogos da série deram uma decaída nas últimas temporadas, o silêncio é ouro.

Publicidade

2. Os últimos momentos do Cão de Caça e sua ligação com a Arya

Reprodução / HBO

Se tem uma relação que foi bem construída desde o começo é a do Cão com a Arya Stark. O último ato dele antes de partir para seu destino final é salvar mais uma vez a Arya lembrando-a de seu lado humano, fazendo com que ela desista de seguir com seu plano de matar a Cersei e fuja da cidade para salvar sua vida. Em troca, Arya retribui o gesto também relembrando-o de sua humanidade ao chamá-lo pelo seu nome verdadeiro - Sandor.

3. Como as imagens contribuíram para o retrato de "Rainha Louca" da Daenerys

Reprodução / HBO

Independente de concordar ou não com o rumo de Khaleesi e das problemáticas de como tudo foi feito, foi bem impactante ver como ela foi retratada neste episódio, já no modo full Rainha Louca. Todos os fatores que a fizeram ultrapassar a linha e virar de uma vez por todas uma vilã - o impacto da morte de Missandei, das traições que ela sofreu e da realização de que ela não é amada pelo seu povo e sim temida - estavam visíveis no seu rosto, nas suas ações, no seu olhar.

Publicidade

4. A morte de Varys

Reprodução / HBO

Um final super bonito foi o de Varys, condenado pela Dany por traição. Ele morreu sabendo que esteve certo em seguir suas convicções e tentar fazer o melhor para o reino, independente de quem estiver no poder. Toda a preparação dele ao perceber seu destino inevitável e os momentos finais entre ele e Tyrion foram memoráveis. Quem dirigiu o ep. foi Miguel Sapochnik, que ganhou o Emmy pela direção de "Battle of the Bastards", na 6ª temporada - e conseguiu fazer milagre em "The Bells", trazendo ótimos momentos e cenas lindíssimas.

5. O diálogo final entre Tyrion e Jaime Lannister.

Reprodução / HBO

Falando em cenas do Tyrion, se o Peter Dinklage ganhar mais um Emmy pelo seu papel em "GoT", será pela sua despedida ao seu irmão, Jaime, e uma última tentativa de salvar tudo da desgraça anunciada, mesmo que isso custe sua própria vida. E é isso.

Publicidade

E você, o que achou do episódio? Odiou? Curtiu? Tá pistola que a Cersei no fim das contas foi (supostamente) morta pelo teto?

Reprodução / HBO

Veja também

As visões de Bran e Dany viraram realidade em "Game of Thrones"

Escrito por Jenna Guillaume • há 3 anos

15 cenas de "The Office" que representam o 5º episódio da 8ª temporada de "Game of Thrones"

Escrito por Christopher Hudspeth • há 3 anos

O trailer do próximo episódio de "Game Of Thrones" mostra uma morte importante

Escrito por Jenna Guillaume • há 3 anos

Publicidade

Veja também