17 histórias que vão elevar suas expectativas para o carnaval

Vai ser difícil bater estas aqui!

Pedimos aos nossos leitores que contassem suas histórias mais épicas de Carnaval. As melhores respostas que o pessoal deixou nos comentários deste deste post e no nosso Facebook estão aqui.

1. "De repente, eu estava só com a parte de cima do tênis e a meia".

"Ano passado foi a primeira vez que fui a um bloco de carnaval. Meus amigos disseram: 'Não vá de chinelo' 'Vai perder a unha' 'Vai de tênis' 'Mas leva um tênis velho' 'O tênis não volta inteiro do bloco'. Podem acreditar, não volta mesmo. Peguei o tênis mais velho. No caminho, a sola do bendito descolou. Já no bloco, a palmilha do tênis, que vinha após a sola, rasgou. De repente, eu só estava com a parte de cima do tênis e a meia. Desolada, implorei pro segurança me deixar sair pra comprar um chinelo e voltar. Depois de muito implorar, ele deixou. Joguei o tênis fora e fui andando pela rua apenas de meia. Ainda tive que escutar: 'Nossa, isso porque ainda é o primeiro dia!'"- Stephanie Uribe.

Publicidade

2. "O cara estava tão louco que disse para eu ir para casa e me deu R$ 400 para o táxi"

"No fim de um tradicional bloco de Brasília, fui mijar e me perdi dos meus amigos. Peguei um ônibus (errado) e um cara que também vinha do bloco começou a flertar comigo e me chamou pra ir tomar umas cervejas. Muito louco, fui. Ele me levou pra casa dele, mas disse que chamaria um táxi, uma vez que ele estava muito louco. Eu tomei banho e ele me deu 400 reais pro táxi! Eu fiquei muito feliz, mas fui assaltado no último dia de carnaval e tive que usar o dinheiro para comprar outro celular". - alexl48276c0ae .

3. "Foram me encontrar no final do dia recolhendo latinhas na companhia de três catadores".

A Favorita / Rede Globo

"19 anos, meu primeiro carnaval longe dos meus pais, eu achei que era dona do mundo! No terceiro dia de folia, todos os meus amigos não aguentavam mais beber na rua e queriam ir pra casa descansar. Mas eu queria aproveitar tudo e fiquei na rua curtindo sozinha. Me encontraram, no final do dia, com uma sacola plástica grande na mão e na companhia de uns três catadores de latinha. SIM! EU ESTAVA CATANDO LATINHAS! Na minha cabeça eu tinha me perdido da galera e tinha que vender latinha pra pagar a passagem e ir embora! Sou zuada por essa história até hoje!" - barbaracardosodea.

Publicidade

4. "Trocamos olhares perdidos, nada aconteceu. Dias depois, ele se lembrou de mim e descreveu toda a cena!"

andressac4bd2766c6

"Nunca fui muito de ir em bloquinhos, mas uma dessas amigas era e me convenceu a ir. Era para o bloco descer a Augusta, mas o prefeito não deixou e o bloco teve acabou em um estacionamento. Para piorar, começou a chover horrores. O chão era de lama e pedras, então podem imaginar a sujeira. Mas o que era pra ser um desastre se transformou numa epifania frenética: todo mundo dançando na lama sem medo de ser feliz, inclusive eu. No meio dessa festa toda eu e o trombonista do bloco trocamos uns olhares meio perdidos, mas nada aconteceu. Depois da festa comentei isso com aquela amiga e ela me apareceu com o Facebook dele. Eu pensei 'Por que não, não é mesmo?'. Adicionei, começamos a conversar, ele se lembrou de mim, me descreveu e descreveu a cena. Descobri que ele era colombiano, morava no Rio e tinha absolutamente tudo a ver comigo e eu com ele. Ficamos namorando tipo La La Land, ponte aérea por uns meses até que ele teve que voltar pra Colômbia e tivemos que decidir o que fazer. Cinco anos depois, moramos em Medellín, temos um filho lindo de dois anos e não pensamos o que seria das nossas vidas se não fosse aquele pré-carnaval de anos atrás. Essa é a única foto que eu tenho desse dia. Quando foi tirada eu nem imaginava que resolver curtir um carnaval me traria os dois amores da minha vida e um caminho inesperado pra seguir. Então, se estiverem na dúvida, vão ao bloquinho mais próximo!" - andressac4bd2766c6.

5. "No dia seguinte, só vimos a manchete no jornal local: 'Homem é assassinado em Saquarema'".

Metro-Goldwyn-Mayer Studios Inc

"Era 2005. Estávamos eu e dois amigos passando o carnaval em Saquarema, no Rio de Janeiro. Lá para as cinco da manhã, andando pela orla, do nada, um deles vê um homem deitado. Ele para na frente do cara e grita: 'PRIMEIRO DIA DE CARNAVAL, PORRA! LEVANTA, PORRA!'. Então, ele recebe um tapinha nas costas: 'Irmão, sai daqui. Tá atrapalhando a investigação'. Enquanto isso, o outro amigo, lá na frente, quase na esquina: 'Vem! Vem, viado!'. Sim, ele tentou acordar um morto. O cara tava cheio de bala no peito! No dia seguinte, só vimos a manchete no jornal local: 'Homem é assassinado com mais de 10 tiros em Saquarema. Tenso!'. - Ralph Loureiro.

Publicidade

6. "Achei que o moço que eu estava ficando estava querendo roubar o meu quepe e dez amigos meus se juntaram em cima do cara".

Dimension Films

"No carnaval, acabei ficando com um cara que estava com um quepe igualzinho ao meu. Na despedida, o moço estava com o quepe na mão e eu educadamente pedi para ele me devolver. Ele disse: 'Esse quepe é meu' e tentou sair na arrancada. Só que eu segui segurando o quepe e nesse toma lá dá cá, meus amigos acharam que estava rolando uma discussão. Do nada uns dez amigos colaram de banca e começaram a ameaçar o cara. Aquele rolo todo, o cara quase chorando, eis que passa minha amiga, sem nem saber da treta e me entrega o MEU quepe. E o cara ainda quase chorando: 'Falei que era meu quepe...'. Foi foda." - Bianca Casemiro.

7. "O que o cara tinha de lindo, o beijo dele tinha de PÉSSIMO".

"Em 2014, eu e mais três amigas saímos para aproveitar o carnaval. Tudo ia bem até que avistamos um cara M A R A V I L H O S O. Após um impasse sobre quem ficaria com ele, decidimos que quem divide, multiplica e as quatro iriam dar uma bitoca nele. Por ironia do destino, eu fiquei por último. Só que o que o cara tinha de lindo, o beijo dele tinha de PÉSSIMO. Além de beijar com a habilidade de uma capivara grávida, o cara foi tão afoito que ME DEU UMA DENTADA E QUEBROU O MEU DENTE DA FRENTE. Passei o resto do carnaval com uma foto do meu dente circulando por grupos do WhatsApp e tendo que ouvir minhas amigas rindo da minha cara. Não recomendo". - Isabela Diz.

Publicidade

8. "Confundi um grupo de pessoas fantasiadas de médico com o SAMU".

Sony Entertainment

"Bebi demais da conta até passar mal. Mas tão mal que na hora de procurar de ajuda confundi um grupo de pessoas fantasiadas de médico com o SAMU. Pelo menos quando eles perceberam o que estava acontecendo chamaram o socorro de verdade". - Eliseu Cortez.

9. "Quase amputaram meu braço, perdi dois litros de sangue, fui parar em outra cidade, mas no fim deu certo".

miguelpaolini

"2016. Fiz uma pausa no TCC para curtir o carnaval e fui para uma fazenda que não tinha nem sinal de celular. Depois de quatro horas, fui descer uma escada com uma garrafa de vodka na mão, escorreguei, caí, bati a coluna nos degraus e a garrafa explodiu e cortou meu braço. Fui pro hospital e descobri que tinha rompido uma artéria! Quase amputaram meu braço, perdi quase dois litros de sangue, fui parar em outra cidade por causa disso, mas no fim deu certo. No Regrets!" - miguelpaolini.

Publicidade

10. "Foram chegando tantas pessoas desconhecidas que no fim teve gente que precisou dormir no carro".

"Fui com uns amigos pra casa de praia da minha avó. Mas ao longo do carnaval foi foram chegando tantas pessoas desconhecidas que no fim teve gente que precisou dormir no carro. Nesse carnaval quase atropelamos uma vaca, cuidamos de um desconhecido doente e que inventamos a cilada do diabo, o jogo alcoólico mais difícil que você respeita. Hoje somos amigos do menino desconhecido e nunca mais jogamos cilada do diabo". - Muriel Mansour.

11. "Meu ex-cunhado guardou uma faca dentro do cooler e eu barbudo com quase 30 anos na cara fui parar na emergência do hospital vestido de enfermeira".

"Eu, minha irmã, o ex-namorado dela e uns amigos fomos a um bloquinho de carnaval aqui em São Paulo. Eu não gosto de carnaval e eu nunca havia ido num desses blocos de rua. Depois de muito encher meu saco, minha irmã me convenceu a ir com ela. Não feliz o suficiente, me convenceu a ir com uma fantasia de enfermeira que ela havia comprado. Eu aceitei. Fomos ao mercado, pegamos umas bebidas e colocamos dentro de um cooler, num carrinho de feira e fomos para o bloco. Num determinado momento coloquei a mão dentro do cooler para pegar uma bebida e senti uma picada. Depois disso, só vi muito sangue escorrendo pela minha mão. O que aconteceu? O ex-namorado da minha irmã havia comprado tequila, limão e sal no mercado, e como não havíamos levado nada para cortar o limão, ele comprou uma faca de cozinha também. Só que o maldito infeliz teve a idéia maravilhosa de colocar a faca DENTRO DO COOLER CHEIO DE BEBIDA. Ou seja, quase atravessei minha mão com a faca. Fomos direto para o hospital e chegando lá, imaginem, um homem barbudo com quase 30 anos na cara, com a mão toda ensanguentada, vestido de enfermeira indo ser atendido na emergência. Foi uma cena épica". - Vinicios dos Santos.

Publicidade

12. "Cheguei no mascarado que estava me olhando a noite inteira e ele era o filho do meu padrasto!".

"Fui a uma festa à fantasia no carnaval de 2014. Estava lá, dançando e vi que tinha um cara que não parava de me olhar. Ele estava com um máscara de zorro e eu só via seu sorriso e seus olhos me acompanharem o tempo inteiro. Bem, já estava ficando tarde e até aquela hora não tinha rolado nenhum beijo. Pensei: Se o cara está me olhando, vou chegar junto pra não sair do zero a zero. Cheguei toda animada e perguntei se ele queria algo comigo. O rapaz riu, ficou vermelho e disse: 'Eu sou o Pedro, filho do seu padrasto, lembra?' E tirou a máscara. Fiquei extremamente envergonhada. Saí da festa sem dar nenhum beijo mesmo". - Marina Jatobá.

13. "Fiquei sem querer com o cara que minha amiga achou que ia namorar".

"Minha amiga passou a semana toda falando de um boy que ela tinha conhecido e que achava que ia dar namoro. Eram tempos mais simples sem Facebook e Instagram no celular. Chamei ela para ir em um bloco comigo. Ela combinou de se encontrar comigo lá e disse que o rapaz também iria. No carnaval, depois de beijar umas três bocas, fiquei com um menino que encarnou de ficar de casal comigo. Então, avisei que tinha uma amiga chegando e ele me disse que também estava esperando uma pessoa. A gente sentou na calçada e ficamos esperando - e nos beijando. Então, minha amiga chegou e só ficou parada olhando para a gente. Antes de apresentar os dois, vi na cara dela e na dele que tinha algo errado. Acabou que ele era o boy da história! Mas não terminou aí! Minha amiga, como boa aquariana liberal, lascou um beijo no menino e disse 'vamos dividir!'. Resumindo, formamos um trio bem feliz naquele carnaval e a amizade continua entre os três até hoje!" - Bárbara Gama Bacelar.

Publicidade

14. "Para chamar a atenção, meu pai passava na mesa dançando e roubava um gole da cerveja da minha mãe".

"A minha história épica de Carnaval, na verdade, não é minha, mas dos meus pais. Eles se conheceram em um baile de carnaval. Minha mãe estava com as amigas num baile de carnaval em um clube de Santos, sentada na mesa mais próxima à pista de dança. Para chamar a sua atenção, meu pai passava dançando do lado da mesa e roubava um gole da cerveja dela. Depois de algumas vezes fazendo isso, minha mãe ficou irritada e foi falar com ele. O resto é história… Hoje eles são casados há mais de 35 anos!"- camiladelira.

15. "Minha amiga começou a ficar com um cara bem na hora que começou um tiroteio!".

"Eu e uns amigos do interior de São Paulo decidimos passar o carnaval cada dia em uma cidade diferente. Na terça, fomos para uma chamada Arthur Nogueira que tinha fama de não ser o lugar mais seguro do mundo. Até aí OK. Lembro de estar no meio de uma muvuca enorme, uma amiga conversando com um cara, a outra sentada na calçada pois começou a sentir uma câimbra. Eis que, de repente, um doido disparou um tiro para o alto. Todo mundo saiu correndo, mas minha amiga começou a FICAR COM O CARA BEM NA HORA e a outra não conseguia se levantar por causa da perna. Resumindo: tive que puxar a amiga beijoqueira pelo braço, para que nós juntas levantássemos a amiga com câimbra e saíssemos de lá o mais rápido possível. Foi tenso, mas tão inesperado que a gente não conseguia parar de rir. Minha mãe nunca mais deixou eu ir no carnaval daquela cidade novamente. :(" - anabarbosa.

Publicidade

16. "Quando a gente viu, o bloco inteiro estava cantando: 'Ei, Luana, vai tomar um banho!'"

Ditty / Juliana Kataoka

"Em 2013, eu e mais uns 20 amigos fomos passar o carnaval em Iguape, cidade pequena do interior de São Paulo. Como de costume haviam blocos com festas open bar durante os quatro dias de folia. Estávamos lá, no meio do povo, na concentração, esperando o bloco quando um dos nossos amigos começou a tirar sarro da nossa amiga, gritando: 'Ei, Luana! Vai tomar um banho!'. Entramos na vibe e começamos a gritar junto. Quando a gente se deu conta, o BLOCO INTEIRO estava gritando 'EI, LUANA! VAI TOMAR UM BANHO'. Minha amiga não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha! Mas né? Ninguém manda ficar sem banho no carnaval!" - cristianot3.

17. "Beijei um cara e logo em seguida ele roubou meu celular".

"O ano era 2015. Eu estava em um bloquinho de carnaval na Vila Madalena, São Paulo. Beijei um cara e logo em seguida ele roubou meu celular. Beijo bandido". - Bianca Turquetti.

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Veja também