Terminou em pizza? CPI da Covid completa um ano e nós te mostramos o que aconteceu no período

Comissão teve a primeira sessão em 27 de abril de 2021.

Por conta do histórico da política nacional, toda vez que uma nova CPI é criada no Brasil, o mesmo medo se repete: será que vai acabar em pizza? Há exatamente um ano, quando a CPI da Covid teve sua primeira sessão, não foi diferente. 

Edilson Rodrigues/Agência Senado

De lá para cá, muita água rolou. Muita gente pegou Covid. Milhares morreram por conta da doença. E Jair Bolsonaro falou muita besteira sobre a pandemia.

Mas, e os resultados da CPI da Covid? Abaixo, vamos detalhar tudo o que aconteceu desde o encerramento da comissão.

Publicidade

1. Indiciamentos:

Isac Nóbrega/PR

O relatório final da CPI da Covid pediu o indiciamento de 80 pessoas (físicas e jurídicas), entre elas o presidente Jair Bolsonaro (por nove crimes relacionados à pandemia, entre eles infração de medida sanitária preventiva; charlatanismo; incitação ao crime; emprego irregular de verbas pública e prevaricação).

Até o momento, nenhum dos citados no relatório foi denunciado ou indiciado com base nas informações obtidas pela comissão.

Segundo senadores que fizeram parte da cúpula a CPI da Covid, como Omar Aziz (PSD-AM), Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o procurador-geral da República, Augusto Aras, estaria protelando a tomada de uma decisão sobre o resultado da comissão.

"[Aras] pode condenar ou absolver, mas nunca dizer que não há provas. Se ele absolver, entrará na História absolvendo quem contribuiu para a morte de 630 mil pessoas. Se ele condenar, estará fazendo o dever dele. O único argumento que ele não pode dizer é que não há provas. As provas são públicas, de conhecimento do povo brasileiro", disse Aziz em coletiva de imprensa em fevereiro.

2. Pedido de impeachment: 

Ariel Costa/Gabinete do Senador Omar Aziz​

Em 8 de dezembro de 2021, após o encerramento da CPI da Covid, um novo pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro foi protocolado por senadores e juristas na Câmara dos Deputados. A base para o pedido foram as informações colhidas e supostos crimes do presidente apontados ao longo dos seis meses de trabalhos da comissão. 

Aliado de Bolsonaro, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), não deu segmento ao processo até aqui.

Publicidade

3. Empresas investigadas:

Divulgação/Prevent Senior

A Precisa Medicamentos e a VTC Log foram indiciadas no relatório final da CPI da Covid por "ato lesivo à administração pública".

Davati: Alegou ter sido enganada por parceiros brasileiros e suspendeu as atividades no País.

Bharat Biotech: Ainda durante a CPI da Covid, em julho do ano passado, o Ministério da Saúde decidiu cancelar o contrato para aquisição de doses da Covaxin. No último dia 23, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber determinou o arquivamento do inquérito sobre suposta prática de prevaricação pelo presidente Bolsonaro no caso da compra da vacina indiana.

Precisa Medicamentos: A empresa foi condenada pela Justiça de São Paulo a devolver R$ 93 mil provenientes da Vaciclinic Clínica de Vacinas Ltda. O montante refere-se à compra de doses da vacina Covaxin que não foram entregues.

Prevent Senior: A empresa também foi alvo de CPI na Assembleia Legislativa de São Paulo.

VTCLog: Em março, o senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) protocolou uma representação junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que o órgão faça nova investigação sobre a empresa por suspeitas de fraudes, corrupção e irregularidades em contratos com o Ministério da Saúde.

4. Projetos de Lei:

Divulgação / Rio da Paz

Também estão parados no Congresso os projetos de lei mais importantes sugeridos pela CPI da Covid.

Até agora, apenas três propostas – de caráter simbólico – dos 17 projetos de leis propostos pela comissão foram aprovados no Senado. Ou seja, o relatório final da CPI da Covid ainda não resultou em nenhuma lei.

As propostas aprovadas pelos senadores são sobre a criação da Ordem do Mérito Médico; do Livro dos Heróis da Pandemia; e criação o Dia Nacional em Homenagem às Vítimas da Covid-19.

Publicidade

5. Casos e mortes por Covid no Brasil:

Divulgação/Governo de São Paulo

Em 27 de abril de 2021, o País tinha 14.446.541 casos totais de Covid registrados e 395.324 mortes. 

Hoje, um ano depois, são 30.374.694 casos conhecidos confirmados e 662.941 mortes desde o início da pandemia, de acordo com o consórcio de veículos de imprensa.

6. Vacinação:

Divulgação/Governo de São Paulo

Em 27 de abril de 2021, 30.259.475 pessoas (14,29% da população) já haviam recebido a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa. Na mesma data, 3.989.783 pessoas (6,61% da população) haviam tomado a segunda dose.

Hoje, 163.663.678 brasileiros estão totalmente imunizados já com a segunda dose ou a dose única. Este número representa 76,18% da população total do País.

A dose de reforço foi aplicada em 85.362.007 pessoas, o que corresponde a 39,73% da população.

Publicidade

Veja também