Suspeito de roubar e matar gays em Curitiba é um serial killer, diz delegada

José Tiago Correia Soroka está sendo investigado pelo ataque a quatro vítimas. Apenas uma sobreviveu.

Uma série de crimes vem chocando o país nos últimos dias. Trata-se do assassinato de três jovens gays que foram vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte) após marcarem encontros com o mesmo homem através de aplicativos.

O principal suspeito é José Tiago Correia Soroka, que a polícia conseguiu identificar graças a uma quarta vítima que sobreviveu ao ataque. As informações são do G1.

Imagens do suspeito divulgadas pela polícia.
Imagens do suspeito divulgadas pela polícia.

Reprodução

Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, José Tiago conhece suas vítimas através de aplicativos e marca de encontrá-las em suas casas. De acordo com a DHPP, ele escolhe jovens que moram sozinhos e não chegou a ter relações sexuais com nenhum deles.

Publicidade

Marco Vinício Bozzana da Fonseca, Robson Olivino Paim e David Júnior Alves Levisio são as três vítimas fatais até o momento. De acordo com a polícia, todos foram encontrados em suas camas com sinais de asfixia.

A delegada Camila Cecconello informou que o assassino "age do mesmo modo há 30 dias, sempre com homossexuais. Ele vai até a casa das vítimas e lá pega a pessoa desprevenida, dá um mata leão, a sufoca com travesseiro ou coberta e leva pertences da vítima após o assassinato." Ainda sobre o caso, a delegada deixa um alerta: "este assassino continua solto, por isso pedimos que as pessoas tomem cuidado e, se for marcar encontro, opte por locais públicos. Estamos lidando com um assassino em série, um serial killer."

José Tiago é considerado foragido nos estados do Paraná e também em Santa Catarina, onde fez uma das vítimas. De acordo com o delegado Thiago Nóbrega, o suspeito "tem perfil de serial killer, com problemas psicológicos." Nóbrega disse ainda que "é preciso tirá-lo de circulação o quanto antes, pois está matando uma média de uma pessoa por semana. Queremos realmente alertar o grupo gay."



Publicidade

Apesar de serem enquadrados como latrocínio, a polícia ainda não sabe a verdadeira motivação dos crimes e disse que só será possível descobrir quando José Tiago for preso. De acordo com as investigações ele possui dois filhos e já teve passagens por roubo em 2015 e em 2019, além de uma medida protetiva feita a pedido de uma ex-namorada.

Para fazer denúncias anônimas é possível entrar em contato com os números 197, 181 ou 0800 643 1121.

Publicidade

Veja também