Projeto chama atenção para mudanças climáticas através de inundações virtuais

Como seriam os efeitos do aquecimento global nas grandes cidades? O Converse City Forests te mostra.

A Converse, criadora dos icônicos tênis All Star, sempre buscou promover ações que quebram barreiras integrando moda, arte urbana, criatividade e sustentabilidade. A mais recente delas é o projeto Converse City Forests, que chama a atenção para os efeitos devastadores das mudanças climáticas.

SWEAT Productions

A iniciativa está em curso desde 2020 e promove a pintura de murais com uma tinta fotocatalítica. Durante o processo de secagem e ao longo da sua vida útil, esta tinta especial absorve parte das substâncias nocivas presentes no ar (como o gás carbônico, um dos principais responsáveis pelo efeito estufa) para purificá-lo em seu entorno.

No Brasil, o Converse City Forests marca presença em murais que já contaram com o apoio de artistas como Rimon Guimarães, André Kajaman, Nila Carneiro e Andressa Monique, colocando o afrofuturismo e as culturas indígenas em pauta. 

Publicidade

Além da tinta diferentona, a marca também desenvolveu outra ação bem impactante: projeções nas fachadas de marcos históricos da cidade do Rio de Janeiro, como o Museu do Amanhã e os Arcos da Lapa, mostrando como estes locais tão importantes serão afetados caso o nível dos oceanos continue subindo.

SWEAT Productions

De acordo com um estudo da NASA, os oceanos sobem aproximadamente três milímetros por ano. Porém, este número tende a crescer cada vez mais caso as emissões de gases nocivos não sejam reduzidas drasticamente nas próximas décadas.

SWEAT Productions

Imagem da projeção que "inundou" o Museu do Amanhã.

Publicidade

O Converse City Forests, além de apontar para o problema, também convida o público a refletir sobre a questão e a rever seu estilo de vida. E a inundação não aconteceu só no Rio, não! Na redes sociais, artistas como Majur, Ícaro Silva, Maria Flor e Maria Bopp apoiaram a iniciativa através de posts como este, que trazem telas na cor Azul Oceano.

A ideia é justamente gerar uma conversa sobre a urgência do problema e mostrar como ações locais podem contribuir para ajudar a frear os efeitos das mudanças climáticas.

De acordo com Marcelo Rocha, produtor e ativista ambiental que integra o time All Star, o Converse City Forests "mostra como ações que parecem pequenas e locais podem sim ter um impacto global. Isso colabora para que a população, especialmente nas periferias, não só tenha mais acesso a informações sobre o tema, mas também que ela possa fazer uma diferença concreta para mudar o cenário atual, uma vizinhança por vez".

Publicidade

Veja também