Atenção sommeliers: quem escolhe vacina poderá ser punido

Cidades começam a adotar medidas que podem deixar os mais exigentes de braços abanando.

Diana Polekhina / Unsplash

Os sommeliers de vacina já são praticamente uma entidade da sociedade pandêmica. Tal qual os usuários de máscara no queixo, ou os negacionistas no geral, eles assombram quem sonha com uma picadinha no braço, enquanto pulam de posto em posto atrás de uma marca de etiqueta específica. 

Pois bem, algumas prefeituras agora querem exorcizar esse movimento sem muito espírito de comunidade. Em várias cidades do país, quem escolhe vacina pode ser punido. 

A ideia ainda não é adotada pela maioria dos municípios, mas - como o vírus - está se espalhando. 

Publicidade

Entre as cidades que adotaram a prática estão: São Bernardo do Campo (SP), São Caetano do Sul (SP), Criciúma (SC),  Nova Esperança (PR), Cuiabá (MT), Chapadão do Sul (MS), Juruaia (MG) e Varginha (MG).

Roberto Parizotti

Mas há outras punições sendo testadas.

Camila Batista / Semsa

Publicidade

Publicidade

Há ainda o projeto de lei nº 2415/2021, que quer transformar a ideia do final da fila em regra nacional. O texto ainda aguarda despacho de Arthur Lira, presidente da Câmara.

Reprodução: PL nº 2415/2021

Vacina boa, é vacina no braço.

Jefferson Peixoto/Secom Salvador

Publicidade

Veja também