Os barbeiros de quebrada são verdadeiros artistas e eu posso provar

Muito além do Ariel Barbeiro e seu espantoso corte blindado.

Não sei se você já notou, mas os barbeiros de quebrada são verdadeiros artistas.

A mistura de traços e cores fazem você pensar: MEU DEUS, SERÁ QUE EU POSSO FAZER ISSO NO MEU CABELO?!?!?!?!

Cada corte de cabelo é o apogeu da arte periférica.

Cortar o cabelo nas quebradas é algo que transcende a questão estética.

Publicidade

No final do ano passado, o Ariel Barbeiro quebrou a internet com seu corte blindado que, com o perdão do trocadilho, era indestrutível.

Ariel Franco, o criador da arte do blindado, é ex-presidiário e encontrou na arte da barbearia uma forma de se reinserir na sociedade.

Ariel faz parte de um enorme grupo de artistas que, a cada dia, reinventam o sentido de ter um cabelo bem cortado. A parada é bem mais embaixo…

Me fala se você não pagaria rios de dinheiro pra ver esse tipo de coisa exposta numa galeria de arte?!

Publicidade

Agora, a novidade são os cortes camaleões. Bem, vejam do que se trata com seus próprios olhos:

SE-NHOR. É isso mesmo que você acabou de ver.

Não, você não tá louco de droga. Os caras inventaram um corte que deixa o cabelo BICOLOR.

Josuel Santana, criador do corte, diz que já recebeu proposta pra ir pra Itália mostrar sua arte. Será que a Capela Sistina ficaria com inveja?!

Publicidade

Voltando no tempo, os cortes chavosos foram um dos primeiros a chamar a atenção pra essa arte made in favela…

Há alguns anos, os barbeiros de quebrada começaram a ousar, criando um estilo próprio de se cortar cabelo.

Os destaques desse tipo de corte são os traços freestyle e os desenhos nos cabelos…

Mano do céu, o Heath Ledger poderia ter usado esse corte em O Cavaleiro das Trevas.

Publicidade

É importante destacar que essa galera também tá bem ligada nas novidades.

Essa é fundamentalmente uma arte contemporânea, sempre se adequando as novas tendências.

E nada se resume ao simples corte de cabelo…

Se é pra fazer arte, vamô fazer direito.

Publicidade

Será que ainda veremos esses cortes expostos no Louvre?

Publicidade

Veja também