O TikTok que mostra o stalker de uma mulher invadindo sua casa revela uma das realidades mais assustadoras de ser uma mulher

"Meu mundo inteiro parou."

BuzzShe

Em 22 de novembro, por volta das 22h15, Hannah Viverette estava curtindo uma noite relaxante sozinha em seu apartamento. "Eu adoro meditar, adoro dançar. Muitas vezes, coloco meu telefone para gravar enquanto faço isso", ela contou ao BuzzFeed.

Hannah tem 25 anos e mora em Hagerstown, Maryland. Ela era recepcionista de uma clínica odontológica antes da pandemia.

Instagram / @hannah.viverette / Via instagram.com

Depois de uns 15 minutos dançando e meditando, Hannag ouviu a porta da sua varanda abrindo. Ela pensou que fosse o vento, até ter visto um homem lá. Tudo isso pode ser visto no vídeo, que passou 39 milhões de visualizações no TikTok:

@hrviverette

That moment when you’re recording yourself dancing and your stalker climbs your second story balcony to break in. #realshit #scariestmomentofmylife

Publicidade

"Meu mundo inteiro parou", disse Hannah. "Eu estava preparada para ele tirar algo do bolso, porque ele estava com as mãos nos bolsos enquanto me encarava e murmurava coisas que eu não conseguia entender."

Hannah gritando para o homem sair do apartamento
Hannah gritando para o homem sair do apartamento

TikTok / @hrviverette / Via tiktok.com

Hannah contou que acha que o homem escalou o prédio até a varanda dela, que é no segundo andar.

Ela gritou para ele sair de seu apartamento e o observou voltar para a varanda. Em seguida, bateu imediatamente na porta de seu vizinho e ligou para a polícia.

Hannah entrando no apartamento vizinho
Hannah entrando no apartamento vizinho

TikTok / @hrviverette / Via tiktok.com

Publicidade

A polícia só chegou 40 minutos após a ligação, mas a investigação conseguiu avançar rapidamente porque Hannah já havia visto o homem antes. "Eu o vi várias vezes, mas só no meu condomínio. Não sabia onde ele morava, não sabia o nome dele, não sabia nada sobre ele exceto o que ele vestia, que normalmente era um tipo de uniforme de construção", ela disse. "E ele estava sempre dirigindo o mesmo caminhão branco."

O homem parado na porta de Hannah.
O homem parado na porta de Hannah.

@hrviverette / Via tiktok.com

O homem tinha agido de forma assustadora com Hannah em diversas ocasiões, muitas vezes encarando-a enquanto ela estava sentada na varanda. "Ele fazia questão de me deixar desconfortável, e era quase como se gostasse disso", ela contou. "Ele se certificava de que eu soubesse que ele estava olhando."

Publicidade

Nos dias que se seguiram à invasão, Hannah descobriu que o homem morava no prédio do outro lado da rua. Na manhã após o incidente, ela contou à imobiliária o que havia acontecido e eles o chamaram para interrogá-lo. Como sua história não bateu com as evidências em vídeo de Hannah, a polícia pôde intimá-lo para a delegacia. "Ele basicamente se incriminou quando admitiu que escalou minha varada, mas mentiu e disse que havia sido convidado", Hannah contou.

Foto de uma caixa d'água escrito "Hagerstown."
Foto de uma caixa d'água escrito "Hagerstown."

Matthew Van Dyke / Getty Images

Ele passou a noite na prisão, mas foi libertado sob fiança na manhã seguinte. Hannah registrou uma ordem de paz contra ele, que é semelhante a uma ordem de restrição, mas ele não será despejado de seu apartamento até 14 de dezembro. "Ele ainda tem mais duas semanas até seu despejo. Não acho isso certo", ela disse.

Publicidade

Após o incidente, Hannah percebeu algo assustador em relação a um ocorrido de alguns meses antes. "No início de setembro, perto de um mês após minha mudança, acordei no meio da noite e encontrei um caderno aleatório ao lado do meu sofá perto da porta da frente", ela disse. Parecia um livro que pertencia a um técnico de manutenção, então, na manhã seguinte, ela foi à imobiliária e exigiu saber se algum funcionário do prédio esteve em seu apartamento.

Prédio no centro de Hagerstown, Maryland.
Prédio no centro de Hagerstown, Maryland.

Darren Welch / Getty Images

Eles reconheceram um nome no livro, ela disse, mas não lhe deram uma resposta clara. Os funcionários do prédio se ofereceram para mudar suas fechaduras e ela aceitou, deixando o livro com eles. Após a invasão, ela perguntou se eles ainda estavam com o livro, mas não conseguiram encontrá-lo. Hannah felizmente havia tirado fotos dele ao lado do sofá na época, e, após ampliar algumas cópias, percebeu que o nome do criminoso estava escrito lá. "Minha cabeça está a mil desde então, sabendo que ele entrou no meu apartamento assim, porque agora eu sei que ele esteve lá antes e estou com medo", ela disse.

Publicidade

A imobiliária agora nega que o homem já tenha sido seu funcionário, apesar de vários residentes dizerem a Hannah que ele trabalhava na manutenção de lá e que mora no prédio há um bom tempo. Hannah ainda está legalmente vinculada à sua locação, então contratou uma advogada — Symone Redwine — para ajudá-la a rescindi-la. "Eu preciso sair do apartamento em que estou morando atualmente", ela disse. "É ela quem está me ajudando a redirecionar minha vida."

Várias mulheres do prédio de Hannah contaram que também tiveram encontros desconfortáveis com o mesmo homem. "Para mim, o fato de este vídeo ter viralizado já serve como algum tipo de justiça", ela disse. "Ele não vai conseguir sair impune depois do que fez, e isso faz com que eu me sinta um pouco melhor. Mas ele ainda é um perigo. Ainda está andando livremente e isso não é certo."

Publicidade

Hannah postou o vídeo no Facebook e no Instagram para avisar seus amigos e familiares sobre o que tinha acontecido. Alguns dias depois, ela decidiu postar no TikTok – uma rede que ela mal tinha usado antes. "Eu entrei na minha conta 16 horas depois para ver mais de um milhão de curtidas, e pensei que alguém estava fazendo uma pegadinha comigo", ela disse.

@hrviverette

I’m still dancin. Sun’s still shining. But... My stalker still walks free. Not. Ok. #dance #ineedtomove #ASAP #fyp #bishopbriggs

Publicidade

Hannah disse que recebeu muitas demonstrações de amor e apoio de pessoas que assistiram ao vídeo. "Mulheres também entraram em contato para contar experiências ou coisas semelhantes pelas quais passaram sem a sorte de registrar em vídeo", ela disse. "Ou suas histórias tiveram um final muito mais horrível que o meu, e como o fato de eu compartilhar esse vídeo foi algo que as fizeram sentir orgulho de mim."

A invasão foi uma experiência que mudou a vida de Hannah. "Quando você passa por algo assim, é traumatizante a ponto de fazer você viver em um estado de medo constante. Aumenta sua ansiedade, e eu estou com problemas para dormir à noite. Agora, há milhões de coisas passando pela minha cabeça todos os dias", ela disse.

Publicidade

Hannah está fazendo terapia no momento e recebendo apoio de familiares e amigos enquanto segue em frente. Ela também pensou muito no panorama geral do que aconteceu com ela. "O que podemos fazer? Porque obviamente existe um problema. Muitas mulheres estão sendo perseguidas ou passando por situações que são bastante desconfortáveis", ela disse. "Algo em nós nos diz que devemos nos calar, mas isso não é verdade."

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Leia mais

Um TikTok viral abriu um debate sobre preconceito racial contra negros nos serviços de saúde

Escrito por Tanya Chen • há um ano

O TikTok está advertindo seus usuários sobre um vídeo que exibe um suicídio

Escrito por David Mack • há um ano

Mike Pompeo disse que os Estados Unidos estão pensando em banir o TikTok

Escrito por Pranav Dixit • há um ano

As pessoas no TikTok estão fazendo maquiagens inspiradas em Euphoria e os resultados são babado

Escrito por Daniella Emanuel • há um ano

Veja também