O que a desistência de Fabiana Cozza em interpretar Dona Ivone Lara pode nos ensinar sobre racismo

Entenda todos os lados dessa história e o que são "pessoas retintas" e "colorismo".

Na última quarta-feira, dia 30, a cantora e atriz Fabiana Cozza anunciou nas suas redes sociais que aceitou o convite para interpretar Dona Ivone Lara no espetáculo "Dona Ivone Lara - O Musical".

      

Publicidade

As opiniões contrárias levaram Fabiana Cozza a renunciar ao papel neste domingo (3). A cantora publicou um longo texto em que enfatizou suas origens e lamentou que num dia "dormiu negra e no outro acordou branca".

      

Nessa história surgiram muitos pontos de vista e detalhes complexos sobre racismo. Aqui estão alguns dos principais:

Publicidade

Publicidade

3. Ou seja, não estava em discussão o talento de Fabiana, mas sim como o racismo exclui pessoas negras de pele mais escura (ou retintas).

      

Publicidade

6. O produtor do espetáculo, Jô Santana, também publicou um longo texto no Facebook. Ele disse considerar as reivindicações legítimas e comemorou o fato do teatro ser uma ponte para importantes debates. Mas lembrou que Fabiana Cozza foi escolhida e indicada pela própria família de Dona Ivone Lara.

      

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Veja também