Mulheres compartilharam histórias sobre a primeira vez que foram sexualizadas

"Foi com 10 anos de idade. Um menino bizarro de 15 ano,s da turma de adolescentes do karatê, comentou que eu estava bonita e que conseguia ver meu sutiã."

BuzzShe

Nota: Este post fala sobre temas como abuso e assédio sexual.

É doentio o fato da maioria - se não todas - as mulheres já terem sido sexualizadas. Muitas de nós conseguimos lembrar da primeira vez que aconteceu: quando éramos apenas crianças.

20th Television / Via giphy.com

Publicidade

Mulheres decidiram compartilhar suas histórias mais íntimas depois das respostas à pergunta de u/I_LIKE_LIMA_BEANS: "Mulheres e meninas, quantos anos vocês tinham quando alguém fez o primeiro comentário sexualmente inapropriado para você? Como você reagiu? Isso mudou a forma como você se via ou agia?".

É importante compartilhar essas histórias para dar uma plataforma para que mulheres exponham a prevalência da sexualização de garotas jovens e da culpa injusta que acabam internalizando por isso. Essas experiências são só algumas dentre as 700 respostas enviadas para o BuzzFeed:

Se você ou alguém que você conhece sofreu abuso ou assédio sexual, procure ajuda profissional.

Publicidade

1. "Eu estava com um grupo de amigas, todas meninas de uns 12 ou 13 anos. Vestíamos shorts e top, porque era verão. Aí, um grupo de quatro ou cinco caras de uns 20 e poucos anos chegaram perto e começaram a dizer: 'Ei, linda, se inclina aí!'"

Suburban neighborhood in the summer
Suburban neighborhood in the summer

Eyewolf / Getty Images

"Eles também nos chamaram de gostosas." —mousercritic

2. "Onze anos. Eu e minha família estávamos de férias na República Dominicana. Minha irmã de 12 anos e eu fomos jantar com nossos pais, e o pai saiu para fumar. Ele ouviu um grupo de homens de 50 anos falando as coisas que fariam com a gente na cama. Nosso pai deu um socão na boca do cara."

"Eles pararam de falar, mas ficamos desconfortáveis por todo resto da viagem. É um lugar lindo, mas aquilo estragou tudo." —yyccourt

Publicidade

3. "Na quinta série, meu pai me disse para colocar um sutiã assim que eu comecei a amadurecer. Minha mãe gritava comigo quando eu não usava, porque 'fazia meu pai se sentir desconfortável'."

"Acho que esses são os piores para mim." —kpthornton02

4. "Eu tinha uns 12 anos e estava de biquini, daí meu tio fez um comentário sobre os meus seios terem crescido."

Bikini hanging on clothing line
Bikini hanging on clothing line

Tetra Images / Getty Images/Tetra images RF

amberr4061d4b54

Publicidade

5. "Não tinha mais do que 10 ou 11 anos e fui para o acampamento de verão da minha igreja. Era esperado que nós ficássemos de joelhos no chão para rezar. Achei desconfortável, então eu apoiava as coxas e bunda nas canelas. Naquele dia, como qualquer garota no calor do verão, eu estava vestindo short jeans. Não era uma peça inapropriada ou curta demais, meus pais só compravam roupas do tipo conservadoras. Depois da oração, uma mulher mais velha que ficou atrás de mim me chamou e disse que eu não podia vestir aquele short, porque ele era inapropriado. Ela disse que, como eu era maior do que as outras meninas, minha bunda ficou à mostra durante a reza e que eu me comportei mal. Lembro que me senti muito triste, confusa e extremamente envergonhada."

"Ela me fez sentir vergonha do meu corpo pela primeira vez. Não são só homens que sexualizam meninas, também existem mulheres que fazem isso com a desculpa de 'estarem só te protegendo'." —lauren9650

6. "Aos 13, fomos para Las Vegas para um campeonato de dança. Meus pais ficaram jogando no cassino enquanto eu e minha irmã nos divertíamos nos jogos infantis. Uns homens passaram por nós e pediram para tirar fotos nossas, como se estivéssemos 'à venda'. Fiquei com medo demais para recusar, porque não tinha ninguém por perto para nos proteger caso eles ficassem bravos."

"Tentei levar da melhor maneira que consegui, imaginando que era um elogio às minhas roupas, mas não consegui deixar de achar que aquilo era errado e me fez sentir medo." —kellir7

Publicidade

7. "Na sexta série, eu tinha 11 anos, e um cara era obcecado por mim. No final da aula, caminhando até os ônibus, ele ficou tentando pegar a minha bunda. Gritei para ele parar, mas a professora (sim, uma mulher) gritou para EU parar de gritar com ele. Quando tentei explicar a situação, ela disse que não queria saber e que era para eu parar de gritar."

school busses lined up
school busses lined up

Mint Images / Getty Images/Mint Images RF

"A moral da história é que minha professora da época era (e ainda é) uma escrota." —weatherboi_12

8. "Meu pai me disse para 'me cobrir' quando eu estava de shorts. Minha mãe olhou para ele como se ele fosse louco, e eu fingi que não ouvi. Na hora, fui para o meu quarto e coloquei uma calça de moletom. Fiquei muito tempo sem usar shorts depois disso."

"Ele também costumava dar tapas na minha bunda quando subia a escada atrás de mim. Eu tinha medo, então se ele estivesse ali, eu subia correndo." —annalorraine

Publicidade

9. "Quando tinha uns 11 anos, tinha uma camisola de seda que eu amava. Sempre me arrumava cedo para dormir só para vesti-la. Foi um presente da minha tia. Uma noite, minha mãe me chamou e disse que era 'indecente' usar a peça na frente do meu pai e do meu irmão."

"Nunca mais usei." —clara1meade

10. "Na oitava série, tinha um cara na minha turma que era um pervertido, e eu nunca dava bola. Eu já tinha me desenvolvido e meus peitos tinham crescido, e ele dizia que eu estava tentando impressioná-lo. Ele sentava em uma classe perto da porta, ao lado de onde nós entregávamos os trabalhos. Quando fui entregar, ele começou a me provocar. Me cutucou num lugar que não gostei, quase encostando no meu peito. Eu pedi para parar, mas ele não parou. O professor gritou com ele. Eu tinha aula com o mesmo professor de tarde, e ele me ajudou a contar o que ocorreu para a escola. Ele tentou fazer o menino ser expulso da turma, mas a escola não fez nada."

empty classroom
empty classroom

John Coletti / Getty Images

"O professor mudou meu lugar na classe para que eu ficasse o mais longe possível dele depois disso e pediu para que outros professores fizessem o mesmo." —ravenclawlaw05

Publicidade

11. "Na oitava série, minha turma organizou um café da manhã de Páscoa em que cada um tinha que levar um prato. Eu levei um pepino, e um dos meus colegas disse: 'Eu sei que você vai se divertir com isso no banheiro depois'."

"Depois daquilo, não ousei mais tocar no pepino." —sawthorn

12. "Na primeira vez que mexeram comigo na rua, eu tinha 14 anos. Estava voltando para casa de shorts e um moletom de unicórnio. Vários homens adultos assobiaram para mim, buzinaram e piscaram. Lembro de voltar para casa e tomar um banho mais longo do que o costume naquele dia."

tropdemargo

Publicidade

13. "Eu tinha 15 anos e cerca de 1,40m de altura na época. Estava no corredor da escola, e o irmã mais velho de um amigo, que tinha 2m, disse para um dos seus amigos: 'Aposto que ela não precisa nem ficar de joelhos para fazer um boquete em mim'. Acho que ele pensou que estava longe e eu não ia ouvir, mas ouvi."

empty high school hallway
empty high school hallway

F64 / Getty Images

"Com certeza, as pessoas ao redor também ouviram. O corredor estava cheio de gente. Agora nós temos 40 anos e somos amigos no Facebook, mas nunca comentei que escutei ele dizer aquilo ou como me senti." —bacire

14. "Eu tinha 8 anos quando a amiga da minha mãe veio fazer uma visita com sua filha. Estávamos brincando no chão, rolando. Eu, de short biker. A amiga da minha mãe disse que a minha xoxota parecia enorme com aquela bermuda. Fiquei tão confusa... Até hoje, só uso calças, leggings ou bermudas que sejam mais soltinhas, porque não me sinto confortável."

rubywoo87

Publicidade

15. "Eu tinha uns 11 anos. Fui fazer um passeio com a escola e, como pulei algumas séries, sentei com colegas de 13 anos. No ônibus, os meninos do fundão ficaram fazendo movimentos sugestivos. Eles não me tocaram, mas ficaram fingindo que estavam transando comigo."

"Eu pedi para pararem, mas eles só riram. Fiquei muito desconfortável." —bellaevans18jsgjf

16. "Doze anos. Minha irmã de 16 anos e eu estávamos de carro, colocando cartazes para divulgar uma venda de garagem. Na primeira descida, num semáforo, uns escrotos de uns 40 anos ficaram assoviando, se apoiando para fora dos carros e buzinando. Eu era uma criança sarcástica, então comecei a gritar que eles eram uns merdas desesperados e mostrei o dedo. Eles me chamaram de vagabunda, e eu só agradeci!"

intersection during the day time with cars, bikers, and pedestrians
intersection during the day time with cars, bikers, and pedestrians

Jackal Pan / Getty Images

"Isso aconteceu em outros três cruzamentos. Um dos caras apareceu no jornal uma semana depois sendo acusado de estupro." —theonethatsamess

Publicidade

17. "Eu tinha 13 anos, e um velho desconhecido na igreja me olhou de cima a baixo, olhou para o meu pai e disse: 'Você trouxe sua filha linda de volta!'. Aquilo me deixou super desconfortável. Depois disso, fiquei de olho dele, pois sentia que ele ficava me observando. A pior parte foi quando contei para o meu pai como me sentia, e ele disse que eu fui grosseira e que devia ficar feliz por ter recebido um elogio."

321missmaximoff

18. "Aos 14 anos, quando estava caminhando para o apartamento dos meus avós depois de uma entrevista para um estágio, vestindo meu melhor traje casual de negócios. A entrevista tinha sido ótima, e eu me sentia super confiante. Aí um carro parou ao meu lado e ficou me seguindo devagar ao longo da rua. Comecei a procurar imediatamente um lugar onde pudesse me esconder se corresse. A janela abriu, um cara se apoiou e começou a me chamar. Tentei ignorá-lo, mas ele não saía de perto. Por fim, ele falou: 'Por que você não me dá oi?', então eu acenei, e ele foi embora. Minha confiança acabou e eu me senti nojenta. Na hora, comecei a colocar a culpa no que estava vestindo. Desde então, só visto camisetas enormes que me escondam."

"Faz mais de 10 anos, e eu nunca mais me senti confiante." —marmalady

Publicidade

19. "Comecei a trabalhar num café aos 14 anos. Tinha um cliente frequente que sempre pedia chá. É claro que eu precisava ser simpática com os clientes, então sempre era agradável com ele. Um dia, ele perguntou quando eu voltaria pro Paquistão, e eu respondi que tinha descendência indiana, não paquistanesa. Ele também era do Oriente Médio e me olhou com uma cara de nojo e saiu sem falar mais nenhuma palavra. No dia seguinte, ele pediu o chá e escolheu a fila mais longa para não ter que falar comigo. Depois, ele disse que tinha duas passagens para a Índia para viajar dali a três dias e que eu deveria ir com ele. Eu nem soube como reagir."

the counter inside a cafe
the counter inside a cafe

Alvarez / Getty Images

"Só agradeci e saí. Meu gerente e supervisores foram ótimos com essa situação. Sempre que ele aparecia, me deixavam sentar nos fundos até que fosse embora.

Levei alguns anos para me dar conta de como era nojento um cara de 50 anos convidar uma garota que obviamente tinha 14 anos para fugir para outro país com ele." —a_piri_piri

20. "Quando eu tinha 10 ou 11 anos, estava no shopping com a minha mãe, minha cunhada e minha sobrinha recém-nascida. Queria que minha mãe e cunhada tivessem um tempo só para elas, então fiquei fora da loja enquanto elas faziam compras. Minha sobrinha começou a chorar, então a tirei do carrinho e segurei no colo. Um cara grande, de uns 30 ou 40 anos, caminhou em minha direção e disse: 'Chupa meu pau'. Fiquei tão assustada que nem olhei para o rosto dele. De primeiro, eu não entendi o que ele falou, daí pedi para ele repetir. Ele repetiu, e eu entendi. Fiquei branca, comecei a chorar e corri para dentro da loja."

"Contei para minha mãe o que aconteceu, e ela e minha cunhada procuraram o cara no shopping inteiro para 'ter uma conversinha' com ele'.

Não conseguimos encontrá-lo, mas, a partir desse dia, fiquei com medo de sair de casa por alguns meses." —jadynmarie

Publicidade

21. "Eu era masculina quando tinha 12 anos, vivia de camiseta e jeans. Tive que usar um vestido para uma apresentação da escola, e meu professor, um cara de uns 50 anos, me encarou e disse: 'Ah, quer dizer que você tem pernas, e elas são bem bonitas'. Demorei um tempo para ter vontade de usar um vestido de novo depois disso."

aliciap4b45a57b7

22. "Eu tinha uns 6 ou 7 anos e fazia uma atividade extra-curricular na igreja ao lado de casa. Uma vez por semana, as crianças levavam lanches e faziam artesanato, jogos e atividades. O pastor sempre fazia massagem nos meus ombros e pedia para eu sentar no colo dele. Ele dizia que ia fazer bebês comigo. Sendo criança, eu não entendia nada, nem percebia que aquilo era errado. Sentia que havia algo de errado, mas não queria falar nada, porque ele era pastor. Eu tinha medo de me encrencar se falasse algo, com medo de que Deus ficasse bravo comigo por dedurá-lo ou algo do tipo. Mas outras crianças viram isso e acharam estranho ou se perguntaram por que aquilo não era feito com elas também, então falaram sobre isso em casa. Logo depois, um novo pastor foi contratado."

"Não sei o que aconteceu com ele. Ele era velho, tinha uns 60 e poucos anos, acho. Isso aconteceu no início dos anos 90, então provavelmente ele está morto agora. Tenho 30 anos, e isso ainda me incomoda." —amberhendricks85

Publicidade

23. "Eu me desenvolvi super cedo. Menstruei pela primeira vez aos 8 anos e meus peitos cresceram na mesma época. Aos 10 anos, eu estava praticando para ser líder de torcida no quintal, com meu tio e minha mãe assistindo. Minha mãe estava bêbada, mas meu tio não. No meio do ensaio, ele começou a fazer comentários: 'Ela tem o corpo perfeito', 'ela poderia posar nua'... Fiquei constrangida demais e profundamente envergonhada."

"Minha mãe respondeu: 'Não, ela precisa perder peso antes'. Meu tio continuou falando sobre meus seios. Entrei em casa correndo e nunca contei para ninguém. Meses depois, meu tio me estuprou." —lobsterthirty

24. "Um cara sentou ao meu lado no ônibus e começou a fazer perguntas estranhas. Ele perguntou a minha idade e ficou chocado quando eu disse que tinha 15. Ele falou: 'Você não parece ter 15 anos, por causa dos...' e fez um gesto na frente do peito, imitando seios."

an empty public transport bus
an empty public transport bus

Peopleimages / Getty Images

foxriver86

Publicidade

25. "Aos 11 anos, fui ao aniversário de um amigo do meu pai vestindo shorts, porque era verão. O tio de um amigo estava lá e disse que eu e a minha mãe tínhamos 'ótimas coxas'. Minha mãe ficou muito brava e gritou com ele. Depois, ficaram irritados com a minha mãe por expor ele, porque ele 'era da família'."

"Que tipo de homem de 50 anos fala isso para uma criança de 11?! Como se ser da família excluísse o fato de que ele é nojento com meninas. Eca." —confettiline

26. "Aos 7 anos, sentei no colo de um parente. Ele disse para sair do colo, porque estava ficando mais velha e aquilo era inapropriado!"

"Mais tarde, quando eu tinha 10 anos, um menino da escola ficou tentando abrir meu sutiã. Eu contei para o professor, que basicamente disse que 'meninos são assim' e que eu não deveria ser tão sensível." —jessbudd

Publicidade

27. "Sou uma menina e, quando tinha 11 anos, cortei meu joelho andando de bicicleta. Foi feio, e eu precisei fazer pontos. Minha mãe me levou para a emergência, e um enfermeiro tratou minha ferida. Minha mãe estava do lado de fora da sala quando ele me falou: 'Nossa, suas pernas são muito cabeludas. Você devia depilá-las'. Fiquei com tanta vergonha que quase chorei."

an emergency sign above a hospital entrance
an emergency sign above a hospital entrance

Pablohart / Getty Images

"Nunca contei para minha mãe. Lembro de ir para casa naquele dia e pegar a gilete da minha mãe emprestada para raspar as pernas. Acabei cortando meu outro joelho com a lâmina. Escroto do caralho." —starshine72

28. "Tinha 12 anos, e estava vestindo uma blusa com estampa de leopardo num restaurante. Um garçom mexeu comigo quando fui embora, dizendo: 'Que gatinha'. Meu pai estava do meu lado e gritou: 'Não mesmo! Ela tem só 12 anos'."

"Meu pai é bem grande, então o garçom ficou apavorado (e com razão)." —jessicam48417f776

Publicidade

29. "Aos 14 anos, estava caminhando para uma lanchonete sozinha, de legging e moletom. Havia dois caras conversando ao lado de uma caminhonete estacionada na frente do estabelecimento. Eles assobiaram quando passei por eles. Um deles disse: 'Caramba, que bunda'. Parei de usar aquela legging por alguns meses depois disso e, até hoje, me sinto desconfortável com qualquer tipo de calça justa."

"Essas pessoas podem achar que seus comentários não importam ou que são só besteira, mas esse tipo de coisa afeta muito a vida das crianças." —shadeofblue

30. "Aos 7 anos, fui de avião para Londres com o meu pai. Nossos assentos eram ao lado de um homem bem mais velho, que estava na janela. Ele olhou para mim e disse: 'Ela deveria ficar no meio. Aí nós dois podemos aproveitá-la'."

an empty air plane interior
an empty air plane interior

Inti St Clair / Getty Images/Tetra images RF

"Sentei no assento do corredor e não dormi em nenhum segundo do voo." —pandaliese

Publicidade

31. "Aos 12 anos, na sétima série. Meu professor de matemática pediu para eu ficar depois da aula. Ele esperou ficarmos sozinhos, me olhou de cima a baixo e disse: 'Hmm, um dia você vai ter pernas lindas'. Eu estava de minissaia. Nunca mais usei saia para ir para a escola de novo."

"Durante todo o resto do ano, ele me encarava toda vez que eu entrava ou saía da aula." —joyously20

32. "Eu tinha NOVE anos. Estava em uma loja experimentando óculos. Saí de perto da minha mãe para me olhar no espelho. Um homem adulto, de uns 20 e poucos anos (talvez 30 e poucos) olhou para mim, parou e, num tom muito sexual, disse: 'Não se preocupe, ficou lindo em você'. Daí piscou e saiu. Um homem adulto fez um comentário sexual para uma menina de 9 anos que só estava experimentando óculos."

"Nunca falei para ninguém por algum motivo, mas foi muito constrangedor. Isso já faz cerca de 11 anos." —kristeylou

Publicidade

33. "Eu tinha 11 anos e tinha uma camiseta com o mapa do metrô de Londres. Uma das estações ficava no seio, bem onde seria o mamilo. Minha família e eu estávamos na casa de um amigo do meu pai, e o cara apontou para a estação e disse: 'Eu iria para esse lugar'. Todo mundo riu, e eu nunca senti tanto constrangimento e nojo na vida."

a person's hands holding up the map for the London tube routes
a person's hands holding up the map for the London tube routes

Izusek / Getty Images

polinal45cb1ca87

34. "Minha primeira experiência foi online. Postei num fórum que achei que era super seguro, perguntando o que fazer se tivesse deixado o absorvente interno por muito tempo. Eu tinha 13 ou 14 anos, minha menstruação tinha começado há pouco tempo, e eu falei sobre isso no post. A maioria das respostas foi útil e simpática, mas uma delas foi: 'Deixe eu enfiar os dedos lá e eu vejo para você'. Fiquei muito envergonhada por fazer a pergunta, por usar absorvente e por menstruar."

"Levei muito tempo para perceber que a culpa era do nojento que escreveu aquilo, não minha." —jamied41

Publicidade

35. "Quando eu tinha 5 anos, o namorado da minha mãe me disse que dava para ver 'tudo' que eu estava vestindo por baixo da minha fantasia de Halloween. Era uma saia preta curta. Fiquei muito envergonhada e nunca mais me fantasiei para o Halloween."

blackkitten123

36. "Todo final de semana, minha família ia ao mesmo restaurante tomar café da manhã. Eu tinha uns 8 ou 9 anos, e o garçom (que era o filho de 40 anos do dono) vinha até a nossa mesa quando meu avô ia pagar. Ele falava comigo e olhava para os meus seios. Depois, ele começou a sentar ao meu lado. No final de semana seguinte, ele tentou de novo. Então me levantei e fui até o caixa com meu avô. Ele perguntou por que eu me levantei, e eu contei. Ele respondeu: 'Tá bom. Diga para sua mãe e sua avó esperarem no carro, vou lá daqui a pouco. Tenho que ir ao banheiro depois de pagar'. Na semana seguinte, o garçom continuava lá, mas no outro canto do restaurante. Quando viu meu avô, ele ficou pálido e virou de costas."

a table in a diner with a pot of coffee and napkins on it
a table in a diner with a pot of coffee and napkins on it

Alexander Spatari / Getty Images

"Ele nunca mais atendeu a nossa mesa ou me incomodou de novo. Não sei o que meu avô falou para ele, mas ele ficou assustado demais." —saml46833894a

Publicidade

37. "Eu tinha uns 7 ou 8 anos quando nos mudamos para uma cidade nova. Um amigo do meu irmão mais velho, de uns 13 anos, esperava meu irmão não estar por perto e dizia: 'Abaixa a calça. Quero ver sua calcinha'. Ele não disse só uma, mas três vezes. Eu não sabia o que dizer ou pensar naquela época. Por sorte, meu irmão apareceu e ouviu, daí contou para nossos pais."

"Nunca mais vi aquele imbecil. Eu era tão nova. Pensando sobre isso agora, eu fico tipo: 'Que merda foi aquela?'." —nataliesi

38. "Quando eu tinha uns 10 anos, um homem da idade do meu pai perguntou se eu já tinha menstruado, porque 'bucetas têm um gosto melhor quando ainda não saiu sangue delas'. Eu estava a caminho de uma padaria a uma quadra de casa, sozinha. Corri para casa e contei para o meu pai."

"Parece que o cara era abusador de crianças, e eu não tinha sido a primeira a ouvir algo assim dele.

O escroto foi expulso da cidade pelos pais furiosos, já que a polícia disse que não podia fazer nada, visto que ele 'tecnicamente' não tinha feito nada de errado." —tastypastry2

Publicidade

39. "Uma vez, eu tinha 3 ou 4 anos quando fui com meus pais para a praia. Estava vestindo um maiô com uma minissaia na cintura. Minha mãe e eu estávamos brincando na água, cuidando da nossa vida. Ela ouviu um grupo de caras ali perto, de uns 15 ou 16 anos, falando sobre quem seria o primeiro a fazer comentários sobre as minhas pernas. Apesar de não ter ouvido o que eles disseram, ainda não consigo usar maiô sem me sentir observada."

a beach umbrella with a blurry, busy beach in the background
a beach umbrella with a blurry, busy beach in the background

Driendl Group / Getty Images

"Ela me pegou no colo e fomos aonde meu pai estava comprando comida. Depois, os dois foram confrontar os caras." —vanessab4bda3d839

40. "10 anos, na aula de karatê. Estava saindo do dojo quando a turma de adolescentes estava entrando. Um menino bizarro, diria que de uns 15 anos, começou a fazer comentários de como eu era bonita e como ele conseguia ver meu sutiã. Infelizmente para ele, eu era baixinha demais e ficava no nível da virilha dele. Resumindo, em 3 segundos, ele caiu no chão gritando."

"Minha mãe me deu sorvete." —chanl

Publicidade

41. "Aos 15 anos, estava empolgada para usar uma roupa nova: macacão preto, uma camiseta, coturnos e meia arrastão. Era um dia quente, então fiquei feliz que o macacão era curto. Na rua, um cara de uns 40 anos gritou: 'Chupa meu pau!'. Eu chamei ele de pervertido e mandei se foder, mas fiquei apavorada. Fiquei morrendo de medo de caminhar naquela rua e ele aparecer. Contei para os meus pais, e eles disseram que o cara passou dos limites, mas, para a minha decepção, eles continuaram, dizendo que com a roupa que eu estava, era inevitável ser notada assim. Nunca mais usei meia arrastão."

"Meu pai falou que meia arrastão era inapropriada. Sei que não era a intenção, mas me fizeram sentir como se o assédio fosse minha culpa." —zoecatherinegrant

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgão competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher. O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.

Nota: Algumas respostas foram editadas por questões de tamanho e/ou clareza do texto.

Publicidade

Este post foi traduzido do inglês.

Veja também