Justiça manda que Google Maps desvincule "anticristo" do Templo de Salomão

Busca pelo termo no Google Maps leva ao endereço do local, que pertence à Igreja Universal do Reino de Deus. Google diz que cumprirá a decisão.

A Justiça de São Paulo determinou que o Google retire as associações do Templo de Salomão, da Igreja Universal, com os termos "anticristo" e "sinagoga de satanás" do Google Maps.

A multa diária é de R$ 5.000, caso a empresa não cumpra.

Google Maps / Reprodução

Publicidade

O caso veio à tona nas redes sociais no final de julho, e foi noticiado à época pelo BuzzFeed Brasil.

A Universal entrou com ação judicial na última quinta-feira (19), após, segundo a igreja, esgotar "todas as possibilidades de uma solução" com o Google fora dos tribunais.

Demétrio Koch / Imagens Públicas / Via fotospublicas.com

Publicidade

Na decisão, o juiz Fernando José Cúnico determina ainda que o Google forneça informações para que a Igreja Universal possa identificar os autores da mudança no Google Maps.

Reprodução

Publicidade

Escreveu o magistrado:

Diante do exposto, determino que a ré [Google], no prazo de 48 horas, e sob pena de multa diária no valor de R$ 5.000:

(...)

II) forneça os dados cadastrais disponíveis, bem como os registros eletrônicos, tais como endereço de IP, data, hora e GMT, atrelados ao(s) responsável(is) pela vinculação dos termos "anticristo" e "sinagoga de satanás" ao principal espaço religioso da autora, na busca da plataforma Google Maps;

O BuzzFeed Brasil entrou em contato com o Google nesta quarta (24). A empresa informou que desvinculou os termos e "está tomando as medidas cabíveis para cumprir a decisão".

Às 16h30, a reportagem buscou por "anticristo" no Google Maps e o resultado ainda foi o Templo de Salomão.

Paulo Pinto / Fotos Públicas

Publicidade

Leia abaixo a íntegra da nota da Igreja Universal sobre o caso:

O juiz da 12ª Vara Cível de São Paulo concedeu liminar à Igreja Universal do Reino de Deus, determinando que a empresa Google do Brasil desvincule as expressões “anticristo” e “sinagoga de satanás” das buscas sobre a localização do Templo de Salomão no serviço Google Maps, sob pena de multa diária de R$ 5.000.

A Universal esclarece que esgotou todas as possibilidades de uma solução junto à empresa Google para que fosse interrompida essa abominável agressão a fé de milhões de pessoas que têm o Templo de Salomão como local sagrado. Felizmente, o Poder Judiciário pôs fim a um grave atentado à liberdade de crença assegurada a todos os brasileiros por nossa Constituição Federal.

A Igreja Universal não aceita e jamais aceitará calada ataques de preconceito religioso e a promoção do ódio gratuito contra nós. Continuaremos buscando na Justiça a devida reparação e a punição dos culpados.

Veja mais:

A busca pela palavra “anticristo” no Google Maps cai no Templo de Salomão

Veja também