Não dá mais pra ser fã do Johnny Depp

Acusado de agressões pela ex-esposa, hoje ele se diz boicotado por Hollywood.

Johnny Depp já viveu dias melhores, quando era considerado um dos atores mais versáteis do mundo e um baita galã. Acusado de agressões por sua ex, ele acabou sendo demitido de projetos, tendo lançamentos adiados e, hoje, se diz boicotado por Hollywood.

Samir Hussein/Getty Images

Em 2016, Depp foi acusado de agredir 14 vezes sua ex-esposa, a atriz Amber Heard, que apresentou fotos de hematomas e testemunhas para a Justiça. A história virou uma novela e, sabe-se lá por qual motivo, ela acabou retirando as queixas.

John Shearer/Getty Images

Publicidade

O divórcio foi finalizado em 2016 e Depp, que sempre negou as agressões, concordou em pagar 7 milhões para Amber, que disse que doaria o valor.

Desde então, o ator, que estrelou filmes como "Piratas do Caribe" e "A Fantástica Fábrica de Chocolates", entrou em decadência. Parte do público que admirava Depp e seus personagens excêntricos, perdeu o encanto.

Mike Marsland/Getty Images

Publicidade

Para as produtoras e distribuidoras, a situação também ficou complicada. Afinal, como é que você coloca na sua produção um sujeito acusado de agressão?

Em uma reportagem, o jornal inglês The Sun chamou o ator de "agressor de mulheres". Depp processou o tabloide por difamação e perdeu, já que o juiz resolveu destrinchar o caso e entendeu que 12 das 14 acusações de agressão feita por Amber eram verdadeiras. Ou seja, ele não deixa de ser, de fato, um agressor de mulheres.

Jordi Vidal/Getty Images

Publicidade

Em fevereiro, o ator foi demitido da franquia "Animais Fantásticos e Onde Habitam". Seu papel ficou com Mads Mikkelsen.

No início de agosto, o Festival de Cinema de San Sebastián anunciou que concederia um prêmio honorário ao ator. Imediatamente, a Associação espanhola de Mulheres Cineastas e de Meios Audiovisuais (CIMA) condenou a decisão.

A presidente da associação, inclusive, enfatizou: "Isso diz muito do festival e da sua liderança. E passa uma mensagem terrível ao público: ‘Não interessa se você é um abusador desde que seja um bom ator”.

Publicidade

O filme mais recente de Depp, "Minamata", tinha estreia agendada para fevereiro deste ano nos Estados Unidos – o que não aconteceu até agora. No filme, ele vive W Eugene Smith, um fotojornalista que expôs a o envenenamento por mercúrio de comunidades japonesas nos anos 1970.

Em uma entrevista exclusiva para o veículo inglês The Times, o ator disse que tem sido boicotado. "Isso afeta aqueles retratados em 'Minamata' e pessoas que passaram por uma experiência semelhante. E tudo isso por causa de um boicote de Hollywood contra mim? Um homem, um ator em situação desagradável nos últimos anos?", questionou.

Publicidade

Mas, para a Justiça, que analisou as provas apresentadas, a verdade é que Depp agrediu, sim, Amber Heard. Portanto, fica muito difícil pra qualquer pessoa se dizer fã ou prestigiar o seu trabalho.

Veja também