Janelle Monáe, Chris Rock e Steve Martin chamaram a atenção para a falta de diversidade do Oscar

"É hora de aparecer", cantou Janelle Monáe na apresentação de abertura da cerimônia, "porque o Oscar é muito branco".

Reprodução

Na noite de domingo, logo no início da cerimônia do Oscar em Hollywood, as primeiras estrelas a subir no palco decidiram abordar de cara a questão mais desconfortável da noite: a falta de diversidade do Oscar.

"É hora de aparecer", cantou Janelle Monáe na apresentação de abertura da cerimônia, "porque o Oscar é muito branco".

Monáe se apresentou junto com dançarinos vestidos como os personagens dos filmes ignorados pela academia e estrelados por negros, como "Queen & Slim", "Nós" e "Meu Nome é Dolemite!", com Eddie Murphy, que muitos consideraram ter sido injustamente ignorado pela premiação.

Publicidade

Em vez disso, nas categorias de atuação, todos os atores eram brancos, com exceção de Cynthia Erivo ("Harriet") , a única mulher negra indicada.

"Cynthia fez um trabalho tão bom ao esconder os negros em 'Harriet', que a Academia decidiu que ela deveria esconder todos os negros que foram indicados aqui também", brincou o primeiro apresentador de prêmio da noite, Chris Rock. "Cynthia, você escondeu o Eddie Murphy embaixo do palco?"

Steve Martin, que também já foi o apresentador do Oscar, assim como Chris Rock, estava no palco junto com o comediante para fazer uma série de piadas durante a abertura.

"Chris, pense no quanto o Oscar mudou nos últimos 92 anos", brincou Martin. "Em 1929 não havia uma única pessoa negra indicada nas categorias de atuação. Agora, em 2020, temos uma."

A dupla também chamou atenção para o fato de que não houve uma única mulher indicada na categoria de direção neste ano — fato também mencionado por Natalie Portman no tapete vermelho da cerimônia. A atriz estava usando uma capa com os nomes de todas as mulheres ignoradas pela premiação.

Publicidade

Reprodução

Há cinco anos, April Reign iniciou a hashtag #OscarsSoWhite por causa da quantidade de indicados brancos naquele ano. Embora mais atores negros tenham sido indicados e premiados desde então, a lista dos indicados desse ano fez com que muitas pessoas se pronunciassem durante a cerimônia.

"Estamos reunidos para celebrar os incríveis talentos aqui presentes", disse Monáe ao público logo no início da cerimônia. "Celebramos todas as mulheres que dirigiram filmes fantásticos."

"Tenho muito orgulho de estar aqui, como uma artista queer e negra, contando histórias", ela acrescentou, após um dueto com Billy Porter, outro integrante negro da comunidade LGBTQ.

"Feliz Mês da História Negra!" Monáe disse.

A questão da diversidade também foi abordada em outros momentos. No que foi chamado de "uma apresentação global e especial", ao cantar "Into The Unknown" de Frozen 2, Idina Menzel contou com a presença de outras atrizes internacionais que dublaram a Elsa em seus respectivos países.

O ator Utkarsh Ambudkar, acompanhado do músico Questlove, também se apresentou e cantou um rap sobre o que havia acontecido na cerimônia até então.

"Estou aqui para recapitular a premiação e ser Mestre de Cerimônias de um monte de indicados que não se parecem nem um pouco comigo", ele cantou.

Publicidade

Reprodução

Muitos dos vencedores da noite também fizeram questão de ressaltar os problemas de diversidade em seus discursos.

Quando curta de animação "Hair Love" (que conta a história de um pai negro com dificuldade em arrumar o cabelo da filha) foi anunciado como o vencedor da categoria, a produtora Karen Rupert Toliver falou sobre a importância da representatividade.

"Acreditamos profundamente que a representatividade importa, em especial nos desenhos animados", disse. "É nos desenhos animados que vemos nossos primeiros filmes, moldamos nossas vidas e definimos nossa visão de mundo."

Da mesma forma, quando Taika Waititi, diretor neozelandês, ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por "Jojo Rabbit", ele dedicou o prêmio "a todas as crianças indígenas ao redor do mundo que querem fazer arte, dançar e contar histórias".

"Nós somos os primeiros contadores de histórias", disse Waititi, "e podemos ter sucesso aqui também".

Publicidade

Veja mais

"Parasita" entra para a história do cinema ao levar o Oscar de melhor filme

Escrito por David Mack • há 2 anos

Eu amo a energia da primeira fileira do Oscar, que não deixou que o discurso dos produtores de Parasita fosse cortado

Escrito por Lauren Yapalater • há 2 anos

Aqui estão todos os vencedores do Oscar 2020

Escrito por Matheus Saad • há 2 anos

Natalie Portman vestiu uma capa bordada com o nome de diretoras ignoradas no Oscar 2020

Escrito por David Mack • há 2 anos

Esses são os livros que inspiraram os filmes candidatos ao Oscar 2020

Escrito por Gaia Passarelli • há 2 anos

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Veja também