J.K. Rowling volta a fazer comentários transfóbicos nas redes sociais

E recebe uma enxurrada de críticas.

No último domingo (12), ela compartilhou um artigo do The Times of London que informa que a polícia vai começar a registrar estupros cometidos por criminosos com genitais masculinos como “femininos”, caso este seja o gênero com o qual se identificam. Junto da reportagem, J.K. Rolling criticou: “Guerra é paz. Liberdade é escravidão. Ignorância é força. O indivíduo penalizado que estuprou você é uma mulher”.

Getty Images

Publicidade

Em resposta ao comentário, um seguidor escreveu: "Imagine inventar um personagem tão repreensível como o Prof. Umbridge e então decidir ser ela para sempre."

Em resposta ao comentário de J.K Rolling, um seguidor escreveu: "Imagine inventar um personagem tão repreensível como o Prof. Umbridge e então decidir ser ela para sempre."

Publicidade

Em junho do ano passado, J.K. foi acusada de transfobia pela primeira vez por ironizar um artigo intitulado: "Criando um mundo pós-covid 19 mais igualitário para pessoas que menstruam". O termo pessoas que menstruam tem o objetivo de incluir homens transgêneros e pessoas não-binárias, além de mulheres cisgênero.

 “Tenho certeza que costumava existir uma palavra para essas pessoas”, escreveu ela, insinuando que a matéria deveria dizer apenas “mulheres”, sem considerar que algumas delas não menstruam e que, por exemplo, homens trans menstruam.

Publicidade

Veja também