10 gírias gays atemporais para deixar seu vocabulário mais divertido

Me dá um aqué para fazer meu ajeum?

A comunidade LGBTQIA+, além de ser divertida, é famosa por ter seus próprios dialetos. Com um vocabulário bastante rico e diversificado, as conversas são bastante insóiltas e nos ensinam muito.

Muitos dos termos abaixo são de origem bajubá - ou pajubá, como preferir. Ou seja, baseada nas línguas africanas praticadas no candomblé. Muito do início disso se deu originalmente pela cultura das travestis e depois ganhou a boca dos gays.

Publicidade

1. Tome seu "aqué".

Aqué significa dinheiro!

2. "Até Betty Faria".

Esta expressão é usada quando você vê alguém que te atrai fisicamente - e que provavelmente atrai qualquer pessoa.

Publicidade

3. Ele "deu a Elza"!

Dar a Elza é o ato de roubar!

4. Está vendo aquela "Ireeeeeene"?

Irene é quando você vê outra pessoa mais velha. Se pronuncia "ire-e-e-e-e-e-e-ne", imitando um cabrito.

Publicidade

5. "Joga esse picumã para trás!"

Sabe quando você vira a cabeça e o cabelo acompanha junto? É este movimento!

6. "Vamos aquendar?" ou "Aquenda aquela amapoa!"

Este é um termo com dois sentidos. O primeiro é o ato de uma função, como uma felação. O segundo é atentar a pessoa para prestar atenção a algo.

Publicidade

7. Eu não vou deixar ele "me xoxar".

Xoxar é o ato de falar mal de alguém ou de alguma coisa.

8. "Tô bege".

Significa ficar chocado com algo.

Publicidade

9. Lá vem os "alibã"!

Alibã significa policiais, seja ele a pé ou numa viatura. Mas se for um camburão aí chamamos de "Tia Cleide".

10. Vamos fazer um "ajeum"?

Ajeum é nada mais que fazer uma refeição, seja ela café da manhã, almoço ou jantar. É o ato de se alimentar.

Publicidade

Veja também