Estas são as mentiras que o Bolsonaro contou com a maior cara lavada em seu pronunciamento

O presidente do Brasil mente. E não é pouco.

Na última terça (23), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez um pronunciamento em rede nacional que provocou panelaço nas principais capitais do país. E, como não é muita novidade pra ninguém, ele mentiu. Aqui, compilamos três mentiras que foram ditas por ele na maior cara de pau.

“Desde o começo, eu disse que tínhamos dois grandes desafios: o vírus e o desemprego.”

Reprodução / Via g1.globo.com

Mentira. Bolsonaro minimizou a pandemia muitas vezes, inclusive usando termos como "gripezinha", "histeria", "fantasia" e "mimimi". Ele convocou aglomerações, passou boa parte do tempo sem máscara, foi contra as recomendações da OMS e criticou medidas restritivas de governadores.

Na foto acima, feita em dezembro de 2020, ele está na Praia Grande, em São Paulo, sem máscara e provocando aglomeração.

Publicidade

“Sempre afirmei que adotaríamos qualquer vacina, desde que aprovada pela Anvisa."

Reprodução

Mentira. Vamos voltar para o dia 21 de outubro de 2020, no qual Bolsonaro disse durante entrevista: “A da China nós não compraremos, é decisão minha. Eu não acredito que ela transmita segurança suficiente para a população”.

A imagem acima mostra ele dando a mesma afirmação em seu Facebook em agosto de 2020.

"Em nenhum momento, o governo deixou de tomar medidas importantes tanto para combater o coronavírus como para combater o caos na economia, que poderia gerar desemprego e fome."

Rafael Serathiuk/Shutterstock / Via olhardigital.com.br

Mentira. Além de minimizar a pandemia, o governo Bolsonaro atrasou e deixou de implementar diversas ações importantes para combatê-la. Tanto o Instituto Butantan quando a Pfizer afirmaram que o governo recusou a compra de lotes de vacinas no ano passado. Por isso nosso processo de vacinação está tão atrasado.

Publicidade