Estas imagens mostram o tamanho da onda de violência no Ceará

O estado continuou sofrendo ataques no final de semana e nesta segunda (7), mesmo com a intervenção da Força Nacional.

Há 2 anos

O Ceará recebeu ajuda do governo federal para tentar controlar uma onda de violência que atinge o estado desde a quarta-feira (2).

Alex Gomes / AFP / Getty Images

Fortaleza e dezenas de cidades do Ceará têm sido alvo de ataques de facções criminosas há quase uma semana. No foco dos criminosos, que fizeram mais de 120 ações, estão os ônibus da região metropolitana de Fortaleza e postos de serviço público, prédios públicos, bancos e postos de gasolina, que são incendiados e depredados.

Publicidade

Ainda neste domingo (6), um ataque a uma torre de telefonia deixou cidades do interior do Ceará sem sinal de celular.

Bandidos atacaram a torre de telefonia da TIM que fica localizada em Limoeiro do Norte e 11 cidades estão sem sinal da operadora.

Publicidade

Publicidade

No município de Morada Nova, nove ônibus do serviço de transporte escolar foram incendiados dentro do pátio do Departamento Municipal de Trânsito.

Segundo o Diário do Nordeste, o crime foi registrado por volta de 1h desta sexta-feira (4).

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), afirmou que os ataques são uma tentativa de intimidação do poder público depois que o governo anunciou medidas mais rigorosas de controle dos presídios do estado.

Alex Gomes / AFP / Getty Images

O governo do Ceará declarou que o volume dos ataques está diminuindo e que duzentas linhas de ônibus estão sendo monitoradas por policiais militares.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, não foram registradas mortes de civis nesses ataques.