Esta tiktoker bomba usando trends pra falar de história

Getúlio na #fyp!

História é uma daquelas matérias que ou você ama ou odeia. Sem meios termos. Ao mesmo tempo, o TikTok é uma rede social que ou você ama ou ainda não usou. Combinar essas duas infos poderia ter resultados curiosos, e teve. 

Lara Künzi que o diga! A TikToker já conquistou mais de 20 mil seguidores na rede ao reimaginar fatos históricos com um jeitinho gen Z que só.

Lara, ou @larikapipoca para quem a segue na rede, usa vídeos curtinhos para fazer piadocas com fatos históricos.

Publicidade

"Eu já tinha feito outras contas no TikTok, mas aí descobri que quando você cria um perfil, seus contatos recebem uma notificação e podem ir lá ver as coisas que você faz. Deus me livre. Fugi disso.", conta ao BuzzFeed.

"Peguei uma conta de e-mail que fiz quando tinha 7 anos de idade, e comecei a postar coisa lá pra ninguém ver mesmo", completa. Não deu bem certo, porque hitou.

Publicidade

Seu maior hit envolve feats com D. Pedro II, Vargas, e JK. Em um minuto ela condensou a alma de alguns governantes brasileiros, ao som da abertura de "Meninas Superpoderosas". Estourou. Foram mais de 280 mil visualizações. Somando todos os seus 32 vídeos já são mais de 790 mil curtidas.

O vídeo chegou a sair da rede. Republicado no insta, a gravação pegou quase 100 mil likes.

Publicidade

"Acho bom deixar bem claro que eu não sou historiadora. Eu sou servidora pública. Não estudo essas matérias a fundo desde que saí do colégio", conta. Com 22 anos, Lara é Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental na Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

Antes disso, no entanto, deu aulas de história em cursinhos populares. O que deu uma ajudada no repertório. 

Publicidade

"É muito doido porque entendi que absolutamente qualquer coisa pode virar confusão na internet. E eu morro de medo de ser cancelada. Outro dia vieram uns monarquistas reclamarem que eu falei do Dom Pedro!"

Os vídeos não explicam a piada. Só jogam no ar a referência, e quem pegar pegou. 

Publicidade

"É engraçado porque quem não entende pergunta nos comentários, aí outra pessoa vai responder. Se a resposta é mais ou menos, uma terceira completa. Acaba virando uma coisa meio colaborativa", conta.

"Mas a real é que eu nunca nem me preocupei muito com isso. Eu tava jogando isso na internet. Nem sabia que tinha gente assistindo de verdade. Até agora eu duvidava se era robô…", completa rindo. 

Publicidade

Veja também