Essa mulher viralizou no TikTok porque viveu até os 25 sem saber que tinha duas vaginas

É uma condição chamada útero didelfo.

BuzzShe

Quando Brittany Jacobs, 26 anos, era uma garotinha, ela percebeu que parecia ter duas aberturas em sua região vaginal. "Eu sempre acreditei que era meu hímen, e, à medida que fui envelhecendo, pensei que ele poderia ser muito firme um dia se romperia naturalmente", contou ela, ao BuzzFeed.

@coveredatoz / Via instagram.com

As aberturas não eram as únicas coisas que pareciam estranhas para Brittany. Ela também menstruava duas vezes por mês, com cólicas superfortes, o sexo era dolorido, e havia muito sangramento mesmo trocando absorventes a cada 5 ou 10 minutos. Mas nenhum de seus médicos percebeu algo anormal, então ela deixou para lá.

@coveredatoz / Via instagram.com

Publicidade

Tudo continuou assim até o dia em que ela entrou em trabalho de parto de seu primeiro filho. Só aí um diagnóstico foi feito. Ela contou a história em um vídeo que já ultrapassou a marca de 3 milhões de visualizações no TikTok. "Eu estava parindo e a enfermeira olhou para baixo e disse: 'Querida, você tem duas vaginas, dois cérvix e dois úteros'", contou.

@britsburg

#stitch with @omqgabbi HOW DO YOU NOT NOTICE THAT LIKE WHAT. #UD #BiggerIsBetter #ShowerWithMoxie #uterusowner #womenempowerment #momsoftiktok

Brittany tem "útero didelfo" ou útero duplo. Algumas pessoas com essa condição também têm duas vaginas, separadas por um septo. "As duas vaginas eram completamente normais e funcionais, mas eu não conseguiria parir, então meu septo foi cortado. Isso significa que agora eu só tenho um buraco", disse ela.

Brittany telling her story
Brittany telling her story

TikTok / britsburg / Via tiktok.com

Publicidade

Para saber mais sobre útero didelfo, porque ele ocorre e quais suas implicações, fomos falar com a doutora Mary Jane Minkin, professora do departamento de obstetrícia e ginecologia da Universidade de Yale.

Dr. Mary Jane Minkin
Dr. Mary Jane Minkin

CMC Studios / youtube.com / Via youtube.com

Ela não é a médica da Brittany, mas sabe bastante sobre o tema.

"O sistema reprodutivo feminino forma duas estruturas tubulares (direita e esquerda) que se juntam", diz a médica. "Esses tubos basicamente formam o útero, o cérvix e descem até a vagina. O que acontece depois que eles se fundem é que a coisa entre eles se dissolve. E isso é o chamado septo entre dois tubos. Então o que pode acontecer é - dependendo de quanto do septo não tenha desaparecido - acabar com duas entradas bem próximas."

A diagram of a normal uterus and a double uterus
A diagram of a normal uterus and a double uterus

Global Treatment Services / Via blog.gtsmeditour.com

Publicidade

A parte do útero que não se funde recebe o nome de "chifre". Algumas pessoas talvez tenham dois chifres uterinos, um cérvix e uma vagina, enquanto outras podem ter dois chifre, dois cérvix e duas vaginas. Há muitas variações possíveis, segundo a doutora Minkin.

Brittany in front of a diagram of uterus didelphys
Brittany in front of a diagram of uterus didelphys

O útero didelfo não acontece com muita frequência, mas não é tão raro. "Basicamente, todos os ginecologistas que estão na área há muito tempo encontraram pacientes com essa condição", diz a médica. Normalmente, isso é percebido por meio de um exame pélvico ou uma ultrassonografia, mas é possível não notar à primeira vista - especialmente se a paciente com duas vaginas tiver uma abertura mais proeminente que a outra.

Brittany in front of a diagram of uterus didelphys
Brittany in front of a diagram of uterus didelphys

Publicidade

Ocasionalmente, o útero didelfo pode gerar algumas complicações reprodutivas, mas muitos desses casos são resolvíveis por meio de uma cirurgia de reconstrução. Há ainda uma associação entre útero didelfo e problemas renais. "Se a gente vê alguém que tem algum desses problemas, normalmente pedimos uma ultrassom dos rins para ter certeza de que está tudo bem", afirma a médica.

Doctor giving an ultrasound of someone's stomach
Doctor giving an ultrasound of someone's stomach

Science Photo Library / Getty Images

A respeito das cólicas menstruais de Brittany, doutora Minkin diz que essa não é uma característica que se vê com frequência em pacientes com útero didelfo, mas isso pode ser resultado de uma obstrução em seu fluxo.

Woman holding her stomach in pain
Woman holding her stomach in pain

Photoalto / Getty Images

Publicidade

Brittany conta que o corte de seu septo vaginal fez com que sua segunda gravidez fosse bem mais fácil que a primeira, e que ela carregou seus dois filhos no chifre direito de seu útero. Ela ainda não voltou a menstruar depois da gravidez, então não sabe se seu desconforto foi embora por completo.

Ela acha que a razão pelas quais os absorventes que usava encharcavam de sangue era porque o segundo orifício estava aberto e de lá corria sangue. Doutora Minkin concorda.

@coveredatoz / Via instagram.com

"Eu quero muito que as pessoas entendam a importância de se ensinar mais sobre a anatomia feminina e de se ajudar as mulheres a entenderem melhor seus corpos", afirma Brittany. "Existem muitas mulheres que não sabem dar nome às coisas ou como algumas funções reprodutivas funcionam de fato. Também espero que as mulheres ouçam mais à própria intuição quando sentirem que algo está errado. Médicos talvez não acreditem em você nas primeiras vezes, então certifique-se de falar sempre."

Que bebê mais fofo! <3

@coveredatoz / Via instagram.com

Publicidade

Doutora Minkin aconselha pessoas com útero didelfo a procurar um especialista em fertilidade se elas sentirem que seu ginecologista não sabe lidar bem com a situação. Ela ainda faz questão de dizer que não há razão para quem tem essa condição ficar com vergonha. "Você não é esquisita e eu já vi isso várias vezes, então está longe de ser uma raridade", garante.

Woman holding her pregnant stomach
Woman holding her pregnant stomach

Jamie Grill / Getty Images

Acho que aprendemos bastante hoje, não?

Publicidade

Veja também