É realmente seguro fazer sexo durante a gravidez?

Será que o bebê percebe toda a agitação da hora H?

A ideia de ter relações sexuais durante a gravidez pode parecer um pouco intimidadora... ou mesmo assustadora.

E! / Via giphy.com

Se você está grávida, o sexo pode ser a última coisa que você quer, ou a primeira, dependendo do que os hormônios estão fazendo com a sua libido. Ainda assim, é normal se perguntar se fazer sexo durante a gestação é uma boa ideia e se é seguro para o bebê (ou bebês) crescendo dentro de você.

Para descobrir, falamos com duas especialistas: Mary Jane Minkin, obstetra/ginecologista e professora na Yale School of Medicine (EUA); e Christine Proudfit , especialista em medicina materna do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da NYU Langone Health.

Em primeiro lugar, é seguro fazer sexo para a maioria das mulheres durante qualquer fase da gravidez.

Netflix / Via giphy.com

De acordo com as duas especialistas, o sexo com penetração é seguro durante uma gravidez normal, ou seja, se você não tem complicações que tornam o sexo muito arriscado (explicações adiante).

"É muito improvável que o sexo durante a gravidez cause um aborto espontâneo. Na maioria dos casos, ter relações sexuais não fará diferença para a saúde do bebê", disse Mary Jane.

Então, se você quiser fazer sexo e recebeu um sinal positivo do(a) seu(a) médico(a), vá em frente! Pode ser uma ótima maneira de os parceiros permanecerem íntimos à medida que esperam a chegada do bebê, diz a médica.

"Geralmente você pode fazer sexo normalmente, mesmo grávida de gêmeos ou mais, a menos que tenha uma complicação ou seu(a) médico(a) diga que você deve evitá-lo", explicou Christine.

Mas, se você tiver novos sintomas como dor, secreção, sangramento ou cólicas após ter relações sexuais, fale com seu(a) médico(a). É melhor estar segura.

Publicidade

E não, você não vai cutucar a cabeça do bebê ou traumatizá-lo com os ~movimentos~ do sexo.

Tim Hale / Getty Images / Via gettyimages.com

"Você não acertará o bebê nem cutucará a cabeça dele. É possível acertar o colo do útero, o que é até bom, caso ele não esteja muito fino ou dilatado", diz Mary Jane. Quando o colo do útero é grosso e saudável, ele funciona como uma barreira para proteger qualquer coisa de entrar no útero e chegar perto do bebê. Ele é selado com um tampão de muco, que mantém germes e outras partículas afastadas. Além do colo do útero, o saco amniótico rodeia o bebê como uma "almofada de água", diz Mary Jane, protegendo-o de danos.

Ok, mas o bebê sente alguma coisa? Será que ele é capaz de sentir toda a movimentação do sexo e isso poderia ser... digamos, traumático?

"O bebê fica flutuando na água como se estivesse em uma pequena piscina, então ele só vai ficar brincando lá dentro, não vai se importar", diz Mary Jane.

O tamanho do pênis também não faz diferença, diz Christine, mesmo que o pênis do seu parceiro seja maior do que o normal. O mesmo se aplica a dildos ou brinquedos sexuais (desde que não sejam anormalmente grandes).

No entanto, certas condições podem tornar o sexo durante a gravidez arriscado.

Sframephoto / Getty Images / Via gettyimages.com

Se você tem alguma dessas condições ou as teve no passado, seu(a) médico(a) poderá orientá-la a evitar o sexo, para sua segurança e a segurança do seu bebê.

*Placenta prévia: "Neste caso, a placenta é muito baixa e desce sobre o colo do útero, em vez de ficar atrás do bebê", diz Mary Jane. Esse tipo de placenta pode cobrir parcial ou totalmente o colo do útero e muitas vezes causar sangramento. "Você deve evitar a penetração, porque se você cutucar o colo do útero demais, poderá danificar a placenta e causar mais sangramento", diz Mary Jane. Os médicos irão acompanhar essas pacientes com ultrassons para ver se a placenta subiu (o que acontece muitas vezes) e se o sexo é seguro.

*Incompetência istmo cervical: Isso significa que o colo do útero começa a dilatar ou afinar cedo demais. "Não é recomendado fazer sexo nesses casos porque o colo do útero pode se esticar ou se abrir, o que pode colocar a gravidez em risco, levando a um trabalho de parto prematuro", diz Mary Jane. A penetração também pode causar trauma ou promover a infecção, diz Christine, ou empurrar as bactérias através do colo do útero e no fluido que envolve o bebê.

*Vasa prévia: "Esta é uma condição rara em que os vasos sanguíneos fetais atravessam o colo do útero, então, se eles são atingidos durante o sexo ou se rasgam, o corpo pode perder um bom volume de sangue em minutos", diz Christine. As mulheres com essa condição podem ter que ficar em repouso completo ou permanecer no hospital até o parto.

*Alto risco de parto prematuro: Você pode ter que evitar o sexo se teve contrações muito cedo ou se tem um histórico de parto prematuro. "Nesses casos, a penetração pode cutucar ou estimular o colo do útero, e não queremos nada que possa aumentar o risco de contrações", diz Mary Jane. Assim, mulheres com risco de entrar em trabalho de parto prematuramente têm de ser extremamente cuidadosas.

*Vazamento de líquido amniótico: Se você começar a perder líquido muito cedo, então definitivamente fazer sexo não será uma boa ideia, pois isso pode facilmente espalhar germes ou trazer uma infecção para o bebê, já que o saco gestacional não estará mais intacto, diz Christine. Além disso, esta é outra condição que pode exigir que a mulher fique no hospital ou seja induzida ao parto, se a gravidez já estiver quase no fim.

Publicidade

Nesses casos, os médicos podem recomendar o "descanso pélvico" – ou seja, nenhuma penetração vaginal.

Moodboard / Via gettyimages.com

"Quando dizemos que é necessário o descanso pélvico, significa que não pode ser inserido nada na vagina, quer seja um pênis, um dildo, um vibrador, qualquer brinquedo. É muito arriscado", diz Christine. Às vezes, a estimulação externa do clitóris está liberada, diz a médica, mas isso dependerá da razão pela qual você está em descanso pélvico ou a gravidade da condição subjacente. Então, sempre fale com seu(a) médico(a) primeiro. Em algumas gestações de risco, as mulheres podem ter que ficar em repouso completo e ser monitoradas no hospital, então a penetração está obviamente fora de questão.

Não há evidências de que os orgasmos levam ao trabalho de parto prematuro (ou induzem o trabalho de parto normal).

"Os orgasmos podem fazer com que o útero se contraia, mas estas não são contrações contínuas como as do trabalho de parto e vão desaparecer, não sendo um problema para a maioria das mulheres", diz Mary Jane. Então os orgasmos são seguros, mesmo que façam seu útero vibrar.

No passado, os pesquisadores acreditavam que trabalhos de parto prematuros poderiam ter sido desencadeados por contrações causadas por prostaglandinas no sêmen ou prostaglandinas endógenas liberadas pela estimulação do colo do útero. No entanto, segundo Christine, não há dados suficientes para provar que a relação sexual induz o trabalho de parto prematuro.

Dito isto, seu(a) médico(a) ainda pode lhe dizer para evitar orgasmos se você tem alto risco de trabalho de parto prematuro devido ao risco teórico disso, afirma Christine. "Nós não compreendemos totalmente por que o trabalho de parto prematuro ocorre, mas as mulheres que têm maior risco não devem fazer nada que possa contribuir potencialmente para isso", diz Christine. Também não há evidências de que ter relações sexuais no final da gestação induzirá o trabalho, mas não há nenhum mal em tentar se isso for seguro, diz Mary Jane.

Publicidade

A maioria das posições sexuais são seguras, trata-se mais de uma questão de conforto.

IFC / Via tumblr.ifc.com

Tecnicamente não há posições menos seguras para você ou para o bebê, mas algumas podem ser mais desconfortáveis do que outras. "As posições que você gosta normalmente podem não ser confortáveis durante a gravidez porque você tem uma barriga enorme no meio, e sabemos que a frequência de sexo diminui durante o terceiro trimestre por causa desses problemas logísticos", diz Mary Jane.

A posição papai e mamãe (em que a mulher grávida fica deitada de barriga para cima) tende a ser a posição mais difícil, diz Christine, e as posições em que a penetração ocorre por trás tendem a ser as mais fáceis. "Ficar de ladinho ou de quatro pode ser melhor porque sua barriga não entrará em cena", diz Mary Jane. Os especialistas também sugerem o uso de travesseiros para sustentar a pelve ou amortecer o estômago, de modo que o sexo seja mais confortável.

E sexo oral e anal estão liberados também, mas você pode precisar ser um pouco mais cuidadosa.

NBC / Via popkey.co

"Realizar sexo oral não é um problema e receber sexo oral também está liberado, desde que a grávida não tenha um alto risco de parto prematuro e seu(a) médico(a) desaconselhe os orgasmos", diz Christine. No entanto, se a grávida estiver recebendo sexo oral, seu parceiro deverá evitar soprar o ar diretamente na vagina. Isso poderia causar uma complicação rara, mas potencialmente fatal, chamada embolia gasosa.

Quando se trata de sexo anal, a questão é apenas sobre conforto. "Muitas grávidas acabam tendo hemorroidas ao redor do reto, então o sexo anal pode causar dor ou sangramento", diz Mary Jane. Se você for fazer sexo anal, tente sempre evitar alternar para o sexo vaginal. "Você não quer introduzir bactérias do reto na vagina, porque as consequências de uma infecção são piores quando você está grávida", diz Mary Jane. E se você tem alguma das condições mencionadas anteriormente, pergunte ao seu(a) médico(a) sobre sexo anal primeiro. Em alguns casos, isso pode ser muito arriscado.

Publicidade

E quanto aos preservativos? Bem, em alguns casos, você ainda precisa usá-los.

Classen Rafael / Getty Images / Via gettyimages.com

"Se o relacionamento não é mutuamente monogâmico, se a mulher grávida ou seu parceiro estiverem fazendo sexo com novos parceiros, você precisará usar um preservativo para proteção contra ISTs", diz Mary Jane. As infecções sexualmente transmissíveis (IST) não só podem afetar a saúde da mulher, como também podem ser passadas para o bebê e causar problemas. "Se você está grávida, também deve usar preservativos se o seu parceiro for HIV positivo e você não é, ou se seu parceiro está tendo um surto de herpes ativo e você não está (ou não tem certeza do seu status)", diz Christine.

Você também precisará usar preservativos se o seu parceiro for um homem (ou se você tiver relações sexuais com um homem) que viajou para uma área onde o vírus zika é endêmico. Isso ocorre porque a zika é sexualmente transmitida e a infecção durante a gravidez está ligada a defeitos congênitos, como a microcefalia. "O vírus zika pode permanecer no sêmen por até seis meses, então, se seu parceiro viajou para uma região com zika, geralmente recomendamos que esses casais usem preservativo pelo restante da gravidez", diz Christine.

Dito isso, se você não quer fazer sexo ou se isso te estressa, isso também é totalmente normal.

"Se você não sente vontade de fazer sexo ou ele ficou muito desconfortável, simplesmente não faça. Muitas mulheres se sentem assim quando estão grávidas, e está tudo bem", diz Mary Jane. O sexo pode ser um grande aliviador de estresse, mas também pode fazer o contrário. Então, se você tende a se assustar ou ficar ansiosa após o sexo porque está preocupada se pode ter machucado o bebê (mesmo que geralmente seja seguro), então talvez o melhor seja evitar esse estresse adicional, diz Christine.

E se você simplesmente não quer ter relações sexuais por qualquer motivo, não se sinta mal por isso. "A gravidez pode causar uma ampla gama de mudanças no desejo sexual. Algumas mulheres querem ter relações sexuais o tempo todo, outras não querem de jeito nenhum, então depende realmente da mulher", diz Christine. Então, faça o que for certo para você e seu corpo.

Publicidade

Finalmente, se você tiver dúvidas ou preocupações, sempre fale com o(a) seu(a) obstetra/ginecologista. O assunto pode ser um pouco desconfortável, mas os médicos estão lá para ajudar.

Peopleimages / Getty Images / Via gettyimages.com

"Algumas mulheres ficam constrangidas com a ideia de falar sobre sua vida sexual com o(a) médico(a), mas prometemos que ouvimos tudo e estamos aqui para ajudar", diz Christine.

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Veja também