Drake recebe críticas após se referir a si mesmo como lésbica em novo disco

"Girls Want Girls" definitivamente não está entre as favoritas.

BuzzShe

Como você deve saber, Drake lançou um novo álbum no último dia 3 de setembro, chamado "Certified Lover Boy".

Drake
Drake

Joseph Okpako / WireImage / Getty Images

Embora o álbum tenha estreado no número 1 da Billboard, nem todo mundo curtiu a terceira faixa, "Girls Want Girls", que é um feat com Lil Baby.

Drake
Drake

Pymca / PYMCA/Universal Images Group via Getty Images

Publicidade

Na música, o rapper se refere a si mesmo como uma lésbica — e muita gente passou a acusá-lo de fetichizar a sexualidade queer.

Drake
Drake

Tm / GC Images / Getty Images

Alguns versos da letra dizem: "Please bring your girlfriend along with you" ("Por favor, traga sua namorada junto"), "She like eating pussy, I'm like, ‘Me too" ("Ela gosta de comer b*ceta, e eu tô tipo 'eu também'") e "Yeah, say that you a lesbian, girl, me too / Ayy, girls want girls where I’m from / Wait, woah, yeah, girls want girls" ("Sim, diga que você é lésbica, eu também").

Drake
Drake

John Atashian / John Atashian / Getty Images

Não precisa nem dizer que isso não é nada Ok.

Como o Daily Princetonian aponta, as "músicas do Drake têm longa história em fetichizar o amor lésbico: o aparente desinteressa da mulher em homens faz dela mais atrativa".

Eles continuam: "'Girls Want Girls' também aborda a sexualidade lésbica como algo inválido: o 'homem certo' pode convencer uma lésbica a entrar numa relação por sua sexualidade nunca é legitimada".

Publicidade

Publicidade

Não é a primeira vez que Drake é acusado de comportamento problemático em "Certified Lover Boy", já que ele credita R. Kelly — que atualmente está em julgamento por tráfico sexual e encara alegações de abuso sexual por parte de várias mulheres - em umas das músicas.

R. Kelly
R. Kelly

Chicago Tribune / TNS

Nada disso parece legal.

Publicidade

Veja também