Deputada quer barrar publicidade com pessoas LGBTI+. Cinco marcas discordam lindamente dela

"Práticas danosas", traz o projeto de lei da deputada Marta Costa (PSD), que será votado durante uma pandemia. Prioridades, não é mesmo?

Nesta terça (20), será votado na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) um projeto de lei que quer proibir campanhas de publicidade com pessoas LGBTI+. A autora do projeto é a deputada estadual Marta Costa (PSD), que se diz "em defesa da família tradicional e dos valores éticos cristãos".

"É nossa intenção limitar a veiculação da publicidade que incentive o consumidor do nosso Estado a práticas danosas", traz o texto do Projeto de Lei Nº 504 de 2020. "O uso indiscriminado deste tipo de divulgação trariam real desconforto emocional a inúmeras famílias além de estabelecer prática não adequada a crianças."

Natura

Publicidade

O mais curioso é que estamos em 2021, diante de uma pandemia, de um vírus mortal, de recordes diários de morte, de desemprego, fome e insegurança social. Mas tem político preocupado com a inclusão de pessoas que foram historicamente segregadas e violentadas em campanhas publicitárias.

Boticário

Diante desse tipo de retrocesso, vamos relembrar 5 vezes em que marcas trouxeram pessoas LGBTI+ em suas campanhas e que foram MUITO importantes.

Publicidade

1. Um casal de mulheres se beijou nesta campanha linda da Sonho de Valsa. Demonstrar afeto é prejudicial assim?

2. O Boticário fez uma campanha de Dia dos Namorados com dois homens e duas mulheres se abraçando. Abraço? Prática danosa!

Publicidade

3. Teve também um vídeo de Dia das Mães da GOL com dois pais e seu filho adotivo. Tanta demonstração de amor deve ter causado MUITO "desconforto emocional" na população brasileira, né?

4. A Natura também usou casais LGBTQIA+ em uma campanha.

Publicidade

5. E, por último, uma campanha de 2017 da Vick Vaporub que incentivava casais homoafetivos a demonstrar amor e carinho em público. Sentimentos perigosos!!!!

Vick

Publicidade