A magia que existe nos começos

Eles surgem como novas oportunidades, mas não podem pautar nossas vidas.

Começos são sempre uma nova oportunidade, uma página em branco pronta pro que der e vier, uma promessa. Começos nos lembram do quanto estamos vivos e das inúmeras possibilidades que temos em vida. 

O prazer de fazer novas amizades, conhecer suas histórias e percepções do mundo. Se relacionar sexualmente com uma nova pessoa e sentir seu toque, cheiro e gosto pela primeira vez. Explorar a afetividade e descobrir encaixes até então desconhecidos. Sentir o frio na barriga, o nó na garganta. Descobrir um artista por imersão em sua discografia a partir do primeiro álbum. Ir ao cinema e chegar a tempo dos trailers de abertura. Enfim. 

Começos são apaixonantes.

Como boa sagitariana, amante da vida e das novidades, devo alertá-los, meu caros leitores: lembre-se de deixar os começos exatamente onde devem ficar - no começo.

Não existe amadurecimento, comprometimento e evolução pessoal, profissional ou social se sua vida é pautada em começos. O que construiu aquele que não parava de começar? 

Publicidade

É preciso se estabelecer. Valorizar e alimentar o que o começo se transformou. Ressignificar a rotina como parte de algo muito maior e valioso. 

A busca incessante pela adrenalina que os começos proporcionam gera estagnação, ansiedade, frustração e alguns corações quebrados. 

“Grandes histórias geralmente têm pequenos começos.” 

E quem vive de começos, geralmente não tem história nenhuma.

Veja também