Cientistas descobriram uma espécie de polvo "fantasma" perto do Havaí

A falta de células pigmentares fazem com que o animal tenha um aspecto translúcido.

Os oceanógrafos podem ter descoberto uma nova espécie de polvo que vive em águas profundas, no solo oceânico perto do Havaí.

Image courtesy of NOAA Office of Ocean Exploration and Research, Hohonu Moana 2016. / Via oceanexplorer.noaa.gov

Michael Vecchione, junto com a National Oceanic and Atmospheric Administration, disse que os cientistas avistaram esse polvo pela primeira vez no dia 27 de fevereiro, no solo do Oceano Pacífico, no arquipélago havaiano, de acordo com uma declaração escrita em seu site.

Os pesquisadores haviam enviado um veículo operado remotamente para coletar amostras geológicas para um outro estudo, disse Vecchione, quando "nos deparamos com um pequeno e intrigante octópode sentando em uma rocha achatada coberta por uma fina camada de sedimento."

Ele descreveu a criatura — que é tecnicamente um octópode (o termo polvo se refere àqueles que vivem em águas mais rasas) — como única pelo fato de ela não apresentar células pigmentares, o que dá a ela um aspecto translúcido, fantasmagórico. Segundo ele, a criatura também não parecia ter muitos músculos.

Publicidade

http://oceanexplorer.noaa.gov/okeanos/explorations/ex1603/logs/mar2/mar2.html

Vecchione disse que, após a descoberta ele conversou com colegas da Antártica e Alemanha, que confirmaram que esse octópode era de uma espécie nova e incomum.

Essa família de octópodes em particular, conhecida como incirrata, geralmente não vive em águas oceânicas que tenham profundidade maior do que 3.5000 metros.

Publicidade

E aí, carinha!!🐙👻

Image courtesy of NOAA Office of Ocean Exploration and Research, Hohonu Moana 2016. / Via oceanexplorer.noaa.gov