Chris Brown é detido após supostamente ameaçar modelo com uma arma

Ele foi levado pela polícia na terça (30) e mais tarde foi liberado sob fiança de 250 mil dólares.

Scott Roth / AP

Chris Brown foi detido na terça (30) após uma modelo acusá-lo de apontar uma arma para a cabeça dela durante uma discussão na casa do cantor em Los Angeles.

Se condenado, Brown pode pegar até quatro anos de prisão.

A polícia recebeu uma ligação de emergência da mulher por volta das três horas da manhã. Nela, ela disse que Brown tinha apontado uma arma para ela durante uma briga que havia se tornado violenta, segundo o jornal "Los Angeles Times".

Na noite de terça-feira, o advogado de Brown, Mark Geragos, tuitou que Brown já tinha saído [da prisão] e que as alegações contra ele eram falsas. Registros policiais mostram que Brown foi liberado sob fiança de 250 mil dólares e que ele deverá comparecer ao tribunal em 20 de setembro.

A polícia se recusou a fornecer detalhes sobre o que supostamente aconteceu, mas a mulher — a modelo Baylee Curran — disse ao site TMZ que Brown apontou uma arma para ela depois que ela se mostrou interessada em algumas joias que um amigo do cantor estava vendendo.

Ela disse que depois um membro da comitiva de Brown tentou fazê-la assinar um acordo de confidencialidade, mas ela se recusou e fugiu.

Depois de enfrentar a reação on-line das fãs de Brown, a modelo postou um vídeo na terça-feira no Instagram defendendo suas ações. O vídeo já foi deletado.

"Todas vocês sinceramente acham que eu queria ou causei isso?", disse ela. "Se alguém coloca uma arma na sua cabeça, o que você faz? Chama a polícia!"

Detetives já foram à casa de Brown para colher depoimentos de possíveis testemunhas.

Os agentes de Brown, até o momento, não responderam ao pedido do BuzzFeed News para comentários. No entanto, o cantor postou vários vídeos em mídias sociais negando que tenha cometido qualquer crime.

Damian Dovarganes / AP

"Eu não fiz merda nenhuma, eu não vou fazer merda nenhuma. E sempre vai ser 'Foda-se a polícia', Black Lives Matter [Vidas Negras Importam]....E vocês têm que parar de me foder como se eu fosse o vilão enlouquecendo. Eu não sou", disse Brown em um deles.

Mais tarde, ele excluiu os vídeos, mas postou um do cantor Ray J, que disse que estava "realmente chateado" com o que tinha acontecido. "Eu não estou feliz com a forma como as pessoas pegam uma história falsa e a espalham", disse.

É apenas o mais recente desentendimento de Brown com a lei. Em 2009, o cantor foi condenado a cinco anos de condicional, um ano de aconselhamento sobre violência doméstica e seis meses de serviço comunitário por agredir fisicamente sua ex-namorada Rihanna, que foi hospitalizada com ferimentos em seu rosto.

O cantor completou oficialmente sua condicional em março de 2015.

No entanto, em junho, o ex-agente de Brown, Michael Guirguis, entrou com uma ação civil alegando que o cantor tinha lhe agredido com socos em maio. Esse caso, em que Guirguis está buscando indenizações financeiras punitivas, continua em curso.