Brasileira que mapeou genomas do coronavírus vira Barbie oficial

Dra. Jaqueline Goés de Jesus >>>>>> Quebra-Nozes

BuzzShe

O Brasil não é exatamente uma casa de bonecas. Mas somos, sim, casa de uma boneca. A Mattel revelou hoje, 4, que Jaqueline Góes de Jesus, uma biomédica brazuca, virará uma Barbie.

Foto das bonecas homenageadas na linha, inclusive, a de Jaqueline Goes.
Foto das bonecas homenageadas na linha, inclusive, a de Jaqueline Goes.

Divulgação / Mattel

A homenagem não é pra menos. Jaqueline liderou a equipe que sequenciou o genoma do primeiro caso de coronavírus da América Latina. Enquanto a maioria dos países levava semanas pra realizar esse processo, a Dra. entregou em 48h.

Publicidade

A contribuição de Jaqueline para ciência permitiu que laboratórios do mundo todo conseguissem entender não só a variante que chegou no Brasil, como também os prováveis trajetos que o corona fez para vir da China até aqui.

Ela publicou hoje um vídeo emocionada com a homenagem.

Publicidade

"Eu, uma mulher negra brasileira, cientista. Hoje sou uma boneca Barbie. Eu nunca imaginaria.", contou.

Jaqueline segurando a boneca
Jaqueline segurando a boneca

Reprodução / Instagram

"Eu realmente espero que as meninas se reconheçam nessa boneca - que tem características minhas, mas também a de muitas meninas. Principalmente no Brasil", completou.

Jaqueline olhando para a boneca
Jaqueline olhando para a boneca

Reprodução / Instagram

Publicidade

"Para destacar os esforços das pessoas na linha de frente, estamos compartilhando suas histórias e aproveitando a plataforma da Barbie para inspirar a próxima geração". afirmou em comunicado Lisa McKnight, Chefe Global da Barbie, dentro da Mattel.

Jaqueline é a única homenageada vinda de um país de língua-não inglesa. Todas as outras são dos EUA, Reino Unido, Canadá ou Austrália.

Publicidade

A importância de bonecas negras já era citada no perfil da biomédica desde abril, quando ela comemorou o lançamento do brinquedo da Milena - personagem da Turma da Mônica.

Soteropolitana de apenas 31 anos, a carreira de Jaqueline começa bem antes das manchetes. Em 2016, ela já havia participado do projeto que sequenciou os genomas do vírus Zika.

Publicidade

Que honra <3 (pra Barbie).

Veja também