Atores do "Choque de Cultura" discutiram preconceito e transfobia com o "Pânico"

"Eu acho muito merda usar de humor pra perpetuar preconceito, sacou?"

Tudo começou quando começou um papo sobre o filme "Uma Mulher Fantástica", vencedor do prêmio de melhor filme estrangeiro no Oscar.

Este trecho começa lá por volta dos 50 minutos.

Publicidade

Eles discutiram principalmente os comentários transfóbicos de Rubens Ewald Filho na TNT. Depois o apresentador Emílio chamou a atriz de Daniela Vegas de "um rapaz" e "um travesti" e o Leandro Ramos, que faz o Julinho no "Choque de Cultura", o corrigiu.

Davi Rocha/ BuzzFeed Brasil/ Reprodução YouTube

"É uma mulher trans".
"Não importa o nome. Os cara muda o nome toda hora".

Depois de mais comentários transfóbicos de alguns dos apresentadores, Leandro insistiu na forma correta identificá-la.

Reprodução Twitter / Via Twitter: @leandranbs

"Se ofende, não custa nada chamar pelo nome que ela quer ser chamada".

Publicidade

Em seguida, o Raul Chequer, que faz o Maurílio no "Choque de Cultura", lembrou que alguns termos são ligados à marginalização de algumas pessoas.

Reprodução Twitter / Via Twitter: @asgardiana

"Alguns termos estão muito ligados à marginalização dessas pessoas, então acho que daí vem a tentativa de mudança".

Em seguida ele deu um exemplo sobre como as pessoas chamavam os negros antigamente, o Carioca do Pânico falou que tudo isso é crime, e o Raul lembrou que toda discriminação é crime.

Reprodução Twitter / Via Twitter: @asgardiana

"Referente a como chamavam os negros há 30, 40 anos atrás. Ninguém teria coragem de dizer isso aqui".
"Até porque é crime, né? É tipificado como crime. Aí você tá falando de crime".
"Sim, é crime. Exatamente. Qualquer tipo de discriminação é crime, né amigo?".

Publicidade

Depois eles resolveram falar sobre o humor em geral, Leandro Ramos disse "a gente tem o cuidado de não ofender ninguém" e o Carioca foi categórico em mostrar que a opinião dele é bem diferente.

Reprodução Twitter / Via Twitter: @asgardiana

"Humor sempre ofende alguém. Alguém tem que se ofender".
"Não, não é assim, cara. Eu não acredito nisso".

Então o Raul explicou o posicionamento do "Choque de Cultura" em relação ao humor e preconceitos.

Reprodução Twitter / Via Twitter: @asgardiana

"Eu acho muito merda usar de humor pra perpetuar preconceito, sacou?".

Publicidade

Veja a conversa na íntegra, a partir dos 50 minutos do vídeo abaixo:

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Veja também