Assisti Orgulho e Preconceito pela primeira vez e quero reembolso das duas horas que perdi

Se um dia vocês estiverem com insônia, é só dar play nesse filme.

Ontem eu estava procurando um filminho pra acalmar meu coração, porque desde que assisti Batida Perfeita estou obcecada por ele e me segurando para não ver pela 3ª vez no mês. As minhas BuzzMigas, Luísa Oguime e Amanda Tavares, me prometeram de pés juntos que eu iria amar "Orgulho e Preconceito".

Divulgação/Euzinha

Ok, Luísa, talvez eu tenha mesmo a energia do Mr. Darcy, mas não fui muito com as fuças dele não.

Hmm, tensão sexual? Parece interessante...

Divulgação/Euzinha

Eu não estava interessada, mas o argumento da Amanda foi um incentivo.

E, Amanda, você está certa mas deixa eu acrescentar uma coisa: só há tensão sexual mesmo, nada muito além disso. Eles nem se conhecem pra saber que se amam.

Publicidade

Antes de tudo, você precisa saber que eu AMO comédia romântica, romances, um casalzinho com quês de fanfic do Wattpad e tudo mais.

Reprodução/Universal Studios

Não, eu não vivia em Marte e já dei de cara com as capas do livro e do filme muitas vezes antes, mas confesso que nunca tive tanto interesse assim. Apesar de muitos personagens que eu gosto amarem Jane Austen, sempre pensei em ler a renomada autora mas nunca o fiz, de fato.

Bom, tudo explicado então vamos ao primeiro ponto negativo: a duração.

Divulgação/Euzinha

Precisava mesmo ter duas horas de filme? Antes de dar play nos filmes, eu sempre vejo a duração. Eu pensei exatamente isso antes de começar a assistir e durante todo o filme, enquanto ia pausando incontáveis vezes pra poder recuperar o fôlego e continuar assistindo.

Publicidade

Ai, lá vem a mocinha em negação.

Reprodução/Universal Studios

Logo no começo eu fiz uma aposta comigo mesma (alerta spoiler): quer ver só que a Lizzie é a garota que não quer se apaixonar, não tem intenção de se casar, mas termina o filme perdidamente apaixonada?

Sim, aos 5 primeiros minutos de "Orgulho e Preconceito" já é muito evidente o que vai acontecer no final. Eu acertei.

O famoso Mr. Darcy.

Reprodução/Universal Studios

Aqui, meus amigos, é onde está todo o nosso problema. Tudo bem que a mãe das meninas é uma completa sem noção e mal educada, empurrando as filhas pra qualquer casamento como se elas fossem uma moeda de troca (opa, no caso eram sim) e que a trama inteira gira em torno de casá-las, mas o Mr. Darcy…

Entendi completamente o motivo de existir uma versão desse livro com zumbis, porque obviamente ele só pode ser uma criatura de outro planeta, e eu nem estou falando disso num bom sentido. Se a qualquer momento ele falasse que era um vampiro, eu acreditaria. Não sei ao certo se isso se deve à rasa e má construção do personagem, ou se é a atuação de Matthew Macfadyen que é realmente sofrível. Ou talvez porque a caracterização dele se pareça MUITO com qualquer seriado e filme de vampiro por aí.

Publicidade

Reprodução/Universal Studios

Em um cenário em que os homens fazem questão de jogar seu charme e encantar as donzelas para um bom casamento, ele acha que é o seu desprezo e completo desinteresse que vai provar a uma jovem menina que a ama verdadeiramente. E ela? Bom, ela acredita… KKKKKKKK

Gente, sério?

Sem falar que, vamos ser sinceros, ele fala um monte de coisa rebuscada e tão rápido que você mal consegue entender se é um insulto ou um elogio. Não há sequer uma unidade de traquejo social.

Entre muitas pausas e reclamações no WhatsApp com a Luísa, e os incontáveis minutos que nunca passavam, chegamos finalmente a uma cena de baile que a Lu me disse que era emocionante, o tal baile.

Baile x Sono

Pessoal, vamos dizer que aqui eu realmente estava tentando ativar a FANFIQUEIRA que vive em mim (eu sou canceriana) pra poder gostar do filme, a partir de então. Realmente fofos conversando entre passos de dança, a tensão sexual entre os dois e a forma com a qual Lizzie o desafia.

E aí, tal qual o último gole do seu refrigerante favorito, que te deixa sedenta por mais um pouco, a cena simplesmente acaba no dia seguinte com toda a família capenga voltando pra casa e a mãe gritando (essa é a única coisa que ela sabe fazer).

Publicidade

Eu estava contando os minutos para acabar esse filme, e foi aí que chegou ele: o meu sono. É, eu decidi ir dormir às 20h da noite de uma quarta-feira.

Divulgação/Euzinha

Se um dia vocês estiverem com insônia, é só dar play em "Orgulho e Preconceito". Eu garanto que vai dar certo. A Luísa queria saber o que eu tinha achado do filme, por fim, mas eu estava muito ocupada deitada na minha cama curtindo o 20º sono.

"Orgulho e Preconceito", "Crepúsculo", "Cinquenta Tons de Cinza"...

Reprodução/Summit Entertainment/Paris Filmes

Eu achei que o Darcy tem uma vibe MUITO Edward Cullen, e como falei ali em cima, não ficaria chocada dele revelar que é um vampiro. Se for isso mesmo, "Crepúsculo" então pode ter sido inspirado nessa obra da Jane Austen, alguém aí pode me confirmar? Rs.

Ao passo que "Cinquenta Tons" foi inspirado em "Crepúsculo" (isso é um fato), é tudo muito similar com personagens masculinos que acham precisam ficar longe de suas amadas a qualquer custo, e claro que não funciona. Eles fazem gestos grandiosos (especialmente os que envolvem dinheiro/propriedades) pra conquistar uma mulher e mantêm o mesmo padrão: não conseguem expressar muito bem o que sentem, são obscuros, têm dificuldade em mostrar suas vulnerabilidades mas de algum jeito a moça acaba se apaixonando perdidamente.

Publicidade

Obviamente que o plot e a motivação de cada história são diferentes, com outros backgrounds e histórias, mas essencialmente os personagens obedecem o mesmo padrão de Jane Austen. E sim, eu infelizmente gosto de "Cinquenta Tons de Cinza" caso você queira usar isso contra mim, caro leitor.

Reprodução/Universal Pictures

Livro x Filme

É, aqui não vou nem falar muito porque eu nem sequer li o livro, mas o problema está justamente aí. Não deveria ser pré-requisito ler o livro pra conseguir entender o filme perfeitamente, no entanto muitas coisas provavelmente foram explicadas ou melhor detalhadas na obra literária do que na adaptação, o que impede o entendimento de algumas coisas que talvez sejam cruciais. Se eu vou ler o livro? Não sei, talvez não.

Publicidade

Tal qual a jornada do herói, voltamos ao início: é apenas tensão sexual.

Eles não se amam, tudo não passa meramente de um fogo no cy dos dois. Se fosse num cenário real e atual, eles provavelmente teriam ficado algumas vezes e isso teria sido o fim, porque como eu disse eles não se amam pois nem sequer se conhecem. Ou esse namoro não iria evoluir tanto, porque o Darcy na verdade é um mala. Inevitavelmente a Lizzie se cansaria e daria um pé na bunda dele… e tudo bem.

Publicidade

Ah, tem o Presidente Snow!!!

Reprodução/Lionsgate

Pra não dizer que odiei tudo, tem o ator de "Jogos Vorazes" que é uma saga que eu amo como você pode ver aqui. Fiquei um pouco espantada que o pai das garotas era o Presidente Snow, de "Jogos Vorazes". KKKKK

Ok, eu sei que ele fez esse filme antes da saga, mas achei engraçado. Na verdade, é até estranho vê-lo sendo amoroso e não um psicopata fascista.

Publicidade

Veja também