Aparentemente tem empresa querendo regular o cocô de seus funcionários

Funcionário que trabalha enfezado é funcionário infeliz.

Curioso é que eles parecem ter uma preocupação com a inclusividade de gênero, mas com a dignidade humana, nem tanto.

Reprodução / Twitter

Alguém me explica como funciona como uma pessoa "decide" fazer cocô que não por uma necessidade?

Publicidade

O problema é que isso além de ser, bem, uma cagação de regra, pode ser enquadrado como crime de assédio por constrangimento ao funcionário.

O artigo 5º, inciso X, da Constituição, que determina que: "São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação".

Publicidade

Segundo essa matéria do UOL, inclusive têm aumentado o número de processos trabalhistas que envolvem a restrição do uso de banheiro.

Mas também não é festa do caqui e um advogado citado na matéria também destaca que caso puder ser provado que funcionário está usando o tempo banheiro para outras atividades que não as necessidades fisiológicas e/ou usando as idas ao banheiro como desculpa pra não trabalhar, ele pode ser punido até com demissão.

Aprendam com a nossa chefe, que liberou fazer cocô no escritório sim!

Funcionário que trabalha enfezado é funcionário infeliz.

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Veja também