A história da Thayná e desta turma de artes explica por que precisamos olhar pra fora da nossa bolha

"Teve uma menininha que veio falar pra professora assim: 'tia, quando ele me abraçou, eu não conseguia respirar de tão feliz'".

Esta é a turma de crianças que ela e o pai, na foto, foram visitar.

Publicidade

Durante cinco meses os alunos trabalharam com as obras do Casé e, no final, ele e a Thayná foram pessoalmente na escola para receber esta homenagem em forma de desenhos feitos pelas crianças.

Publicidade

O Casé e a Thayná aproveitaram para levar um presente para cada aluno: tinta acrílica e pincéis.

E ESTA FOI A REAÇÃO DAS CRIANÇAS.

Publicidade

A Thayná contou que eles se sentiram muito especiais não só pelo presente mas também por estarem recebendo atenção.

E claro, também o presente garante que eles vão ter material para seguir pintando!

Publicidade

Publicidade

Ao mesmo tempo em que se emocionava, a Thayná procurou conversar mais com a professora Alessandra para saber mais sobre a realidade daquelas crianças.

Publicidade

Por isso, ela quis contar essa história e chamar a atenção das pessoas para essa e muitas outras escolas na mesma situação. Ela escreveu: "todo mundo merece uma chance, e as vezes é preciso sairmos da nossa bolha e entrarmos na bolha do colega pra entender a realidade em que ele foi criado!"

"E mano, elas merecem esse reconhecimento. são crianças que merecem tudo de bom e do melhor do mundo COMO QUALQUER OUTRA CRIANÇA. e se eu pudesse, eu faria tudo de novo outra vez, porque elas precisam desse amor, dessa atenção".

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Veja também