A história da pedofilia entrar para a sigla LGBT desenha como funcionam as fake news

Danilo Gentili, Carlos Bolsonaro e Jair Bolsonaro são alguns dos que ajudaram a repercutir a notícia falsa em suas redes.

Na última sexta-feira (13), Carlos Bolsonaro, vereador da cidade do Rio de Janeiro, publicou uma fake news em suas redes sociais sobre a letra P de pedófilo entrar para a sigla LGBT.

Reprodução/Twitter

O print é de uma página do Instagram chamada "Opinião Conservadora" que se define como "um zoeiro sem limites que ama o politicamente incorreto". Na legenda, o político escreveu "as letrinhas vão se revelando".

Acontece que o print divulgado por Carlos Bolsonaro, e compartilhado mais de 9 mil vezes no Facebook, é completamente FALSO e já circula na internet desde 2017.

Reprodução/4chan

De acordo com o "Intercept", a história falsa da letra P entrar para a sigla LGBT foi criada num forum chamado 4chan em janeiro de 2017. Na ocasião, um usuário anônimo propôs espalhar a notícia prejudicando a comunidade ao associá-la a pedófilos.

Publicidade

Na postagem incitando a fake news, o usuário do forum anexa várias imagens ofensivas à comunidade LGBT, incluindo a reproduzida por Carlos Bolsonaro recentemente.

Reprodução/4chan

O criador da fake news ainda propôs hashtags como #GaysForPedoSexuality (Gays pela Pedossexualidade em tradução livre).

Publicidade

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Publicidade