7 diferenças entre pular carnaval aos 18, 25 e 30 anos

"Ressaca, o que é isso?" vs. "Meus pés estão me matando".

1. A fantasia.

Aos 18: você se vira com o que tem em casa e uns acessórios do camelô.

E vamo que vamo.

Publicidade

Aos 25: você capricha nas referências de memes, divas pop, trocadilhos mil.

Também aparece a famosa fantasia em grupo.

Aos 30: algo básico e confortável e uma make caprichada.

Susana Cristalli

Talvez um adereço de cabeça.

Publicidade

2. O esquenta.

Aos 18: melhor chamar logo de "queimar a largada".

Giphy

Catuaba desde o primeiro minuto.

Publicidade

Aos 25: uma geladinha mais relax no boteco, antes de partir pro crime.

E todo mundo passando no banheiro antes de ganhar a rua.

Aos 30: na casa de alguém, se arrumando e fazendo drinks.

Giphy

Enquanto tem acesso a copos de verdade.

Publicidade

3. Os blocos.

Aos 18: o critério principal é que quanto mais lotado, melhor.

Ih, sei lá que música estava tocando!

Publicidade

Aos 25: o importante é a vibe!

Mas confesse, se der para evitar o excesso de aperto, melhor.

Aos 30: parece que alguém virou sommelier de blocos, né?

Você não é obrigado a ser esmagado.

Publicidade

4. A bebedeira.

Aos 18: você só para de beber para vomitar.

E às vezes ainda volta a beber depois!

Publicidade

Aos 25: você já conhece o meio termo entre "sóbrio" e "perda total".

Giphy

E chegar em casa bem até que tem seu valor.

Aos 30: você REALMENTE tenta controlar o estrago. O que não quer dizer que consiga!

Pelo menos lembra de tomar uma aguinha mineral entre um goró e outro.

Publicidade

5. A ressaca.

Aos 18: as palavras "dor de cabeça" não constam do seu vocabulário.

Já acorda querendo mais.

Publicidade

Aos 25: sem um ritualzinho de recuperação fica difícil retomar a programação normal.

Água, muita água.

Aos 30: não é nem questão de ressaca, são seus pés que estão te matando.

Giphy

Talvez correr a São Silvestre seja mais ou menos assim.

Publicidade

6. As idas ao banheiro.

Aos 18: você quer dizer a rua, né?

Sem chances de chegar no banheiro.

Publicidade

Aos 25: pelo amor de Deus, onde tem banheiro químico?

A experiência é meio traumática, mas bora lá.

Aos 30: você se presta a consumir algo em um restaurante só para usar um banheiro de verdade.

Papel. Pia. Sabonete.

Publicidade

7. Os beijos na boca.

Aos 18: você beija até o poste da esquina.

Porque quis, porque sim.

Publicidade

Aos 25: você se pega pensando se amores de carnaval não teriam alguma chance de durar.

Até porque seu nível de seletividade aumentou consideravelmente.

Aos 30: sabe que é até possível ficar o bloco inteiro sem beijar ninguém?

"Hoje vim para dançar".

Publicidade

Veja também:

16 provas de que os brasileiros são o melhor do carnaval

Estas frases resumem a dor e a delícia que é o carnaval

Veja também