6 lições que a série Bom Dia, Verônica deu sobre a violência contra mulheres

Primeira lição: a culpa não é sua.

BuzzShe

A série "Bom Dia, Verônica" estreou na Netflix em outubro de 2020 trazendo Tainá Muller como protagonista.

Netflix

Ela interpreta uma escrivã que luta para salvar mulheres vítimas de violência doméstica. Com cenas fortes, diálogos necessários e muito delicados, a trama vai se desenrolando enquanto traz para a tela a realidade de muitos lares brasileiros. Abaixo, listamos algumas lições que tiramos após assistir a essa obra.

1. A culpa não é sua.

Em um dos diálogos mais marcantes, a personagem Janete, que é mantida em cárcere privado sofrendo abusos físicos e psicológicos por parte do marido, diz que a culpa dele ser violento é dela por não poder lhe dar um filho. Não importa o quanto seu parceiro diz te amar, não importa suas características, seus defeitos ou qualidades: nada justifica a violência. A culpa não é sua, a culpa é do agressor e apenas dele.

Publicidade

2. Peça ajuda.

Não tenha vergonha de contar o que aconteceu. Acredite, existem muitas pessoas por aí que podem te ajudar. Pode ser alguém próximo a você ou pode ser alguém da DEAM (Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher).

Netflix

Publicidade

3. Você não está sozinha.

Não se isole, converse com alguém próximo que seja da sua confiança. Se o agressor te deixa incomunicável, se ele te afasta de amigos e familiares, já é um sinal de que esse relacionamento não é saudável ou seguro. Novamente, não tenha vergonha de falar se algo parecer errado nas atitudes dele. Confie na sua percepção.

4. Denuncie.

Na trama da série, o pedido de ajuda é o ponto inicial para desmantelar dois esquemas de crimes contra mulheres. O 180, número da Central de Atendimento à Mulher, vai registrar e encaminhar suas denúncias e acompanhá-las perante os órgãos responsáveis. Lembrando que o serviço é gratuito, anônimo e pode salvar vidas.

Publicidade

Netflix

5. Você não precisa salvar ninguém além de si mesma.

A personagem Janete, coberta de culpa e esperança, acredita que pode salvar seu malfeitor e isso a leva para um fim trágico. Você não precisa salvar ninguém de seus demônios ou traumas a não ser você mesma. Somos humanas, e não santas salvadoras. Ficar em um relacionamento abusivo com a esperança de "consertar" o companheiro com seu amor e afeto só irá causar mais destruição. Talvez ele precise de ajuda psicológica, mas esse papel não é seu.

Publicidade

6. Você não é fraca.

Por último, mas não menos importante: você não é fraca. Uma mulher é morta a cada nove horas no Brasil, e a maioria desses crimes acontece por parte de seus próprios companheiros. Não acredite que todas essas vítimas sejam fracas, e sim que estamos vivendo uma epidemia de feminicídio. Você é forte.

Netflix

Vale a pena conferir "Bom Dia, Verônica" para ver Tainá Muller, Camila Morgado e Eduardo Moscovis em atuações de tirar o fôlego e o sono. E não se esqueça: cuide das mulheres à sua volta. ;)

Publicidade