26 celebridades que se abriram sobre sua saúde mental em 2017

"Pela primeira vez em minha vida, não havia um pontinho de luz no fim do túnel."

1. Chrissy Teigen foi super sincera sobre sua experiência com a depressão pós-parto.

Afp Contributor / AFP / Getty Images

Em um artigo para a revista "Glamour", ela escreveu: "Eu também não pensei que poderia acontecer comigo. Tenho uma vida ótima. Tenho toda a ajuda que poderia precisar: John, minha mãe (que vive conosco), uma babá. Mas pós-parto não discrimina. Eu não consegui controlá-la. E isso é parte do motivo pelo qual levei tanto tempo para me pronunciar: me sentia egoísta, nojenta e estranha ao falar em voz alta o que estou passando. Às vezes, ainda me sinto".

2. Michelle Williams compartilhou que teve depressão enquanto estava no grupo Destiny's Child, ao ponto de ter pensamentos suicidas.

Durante uma participação no programa norte-americano "The Talk", da CBS, ela disse: "Quando revelei para nosso agente na época, aquele "abençoado", ele disse: 'Vocês acabaram de assinar um contrato multimilionário e estão prestes a sair em turnê. Está deprimida com o quê?' Então eu disse: 'Ah, talvez eu só esteja cansada'".

Ela continuou: "Eu estava naquela posição onde tudo estava sombrio e difícil, porque às vezes você se sente como: 'Eu sou a provedora, eu cuido das pessoas. Não deveria estar me sentindo assim. O que faço?'. Eu queria desistir".

Publicidade

3. Logic deu um discurso poderoso sobre saúde mental no VMAs.

Frederick M. Brown / Getty Images

Após tocar sua música "1-800-273-8255" (que é o número da linha direta de prevenção ao suicídio nos Estados Unidos) e cercado por pessoas que sobreviveram a tentativas de suicídio, Logic começou: "Quero um minuto para agradecer por me darem uma plataforma para falar sobre algo que a mídia não quer falar: saúde mental, ansiedade, suicídio, depressão e muito mais sobre o que falo neste álbum".

Ele prosseguiu dando um discurso que abordou o suicídio, o racismo, o sexismo, o sentimento antigay e outras questões.

4. Stephanie Beatriz falou sobre sua luta contra distúrbios alimentares.

Alberto E. Rodriguez / Getty Images

Em um artigo para a revista "InStyle", ela escreveu: "Tenho um distúrbio alimentar. Mas como muitos de nós, o meu é um pouco difícil de definir. Eu não vomito, não sou bulímica. Eu como, então não sou anoréxica. Sou o que gosto de chamar de uma comilona com distúrbio".

Ela prosseguiu: "A comida era tanto um remédio quanto uma punição. Pensei que ao controlar o que comia, estava controlando meu destino, quando na verdade ela estava me controlando".

Publicidade

5. Kesha escreveu sobre a história por trás de seu álbum mais recente, incluindo detalhes sobre quando se sentiu sozinha e com medo durante sua reabilitação por um distúrbio alimentar, assim como sua batalha legal exaustiva com o produtor Dr. Luke.

Vale a pena ler a carta inteira (em inglês), publicada no portal "Refinery29". Ela escreveu: "Eu simplesmente não quero ser essa pessoa quebrada. E eu não sou mais. Sou uma prova viva para qualquer um de que, com honestidade e amor próprio, você pode se sentir completa novamente. Não importa o que você passou, mesmo que as coisas pareçam ser injustas e machuquem sua alma, elas não definem quem você é. Você pode ser a pessoa que você quer ser hoje".

6. Gina Rodriguez revelou que tem ansiedade, ao refletir sobre um vídeo que postou no Instagram.

Ela escreveu:

"Sofro de ansiedade. E, ao assistir esse clipe, pude ver como estava ansiosa. No entanto, tenho empatia comigo mesma. Queria proteger essa essoa e dizer que não tem problema em ser ansiosa, não há nada diferente ou estranho em ter ansiedade e que venceremos. Gosto de assistir a esse vídeo. Me deixa desconfortável, mas há uma liberdade, talvez até mesmo uma aceitação. Esta sou eu. Puramente Gina."

Publicidade

7. Colton Haynes falou sobre a depressão e a ansiedade no Dia Internacional da Saúde Mental.

Em uma publicação em seu Instagram, ele escreveu:

"Hoje é #WorldMentalHealthDay. Está é uma foto que tirei de mim mesmo há cerca de um mês quando cheguei ao ponto onde não tinha ideia do que fazer. Estava na cama chorando/paralisado há 3 semanas sem explicação. Minha vida pessoal e minha carreira estavam no auge. Já falei sobre isso antes, mas não posso deixar de enfatizar o quão importante é buscar ajuda quando você estiver se sentindo para baixo ou em seus momentos mais sombrios. Lutei contra a ansiedade e a depressão desde quando estava na 5ª série e não é algo que deve ser deixado sem tratamento ou negligenciado. Sei que muitas pessoas não entendem de doenças mentais e tratam do assunto como pessoas sendo dramáticas... mas é um desequilíbrio químico que ninguém quer enfrentar. Não é fácil. Então vamos todos parar um pouco para falar com aqueles que precisam de ajuda e aqueles que simplesmente precisam de alguém para conversar, ou um pouco de estímulo. Um pouco de amor faz milagres. Meu coração está com meus colegas sobreviventes e com as pessoas lutando contra essa doença... você não está sozinho."

8. Lili Reinhart falou sobre como ela lidou com a ansiedade antes de estar no elenco de "Riverdale".

"Eu sentia tanta ansiedade... Passei quase cinco meses escondida em um quarto, em uma casa, apenas me sentindo ansiosa, esperando pelo próximo teste de seleção e não fazendo mais nada. Foi o momento mais infeliz da minha vida", disse à "W Magazine".

Ela continuou: "Precisei deixar alguns trabalhos na Carolina do Norte por conta do quão ansiosa eles me deixavam. Minha ansiedade era tão ruim que eu, fisicamente, não conseguia trabalhar... Eu vomitei no meu Uber porque, um: eu estava enjoada, e, dois: estava tendo um ataque de pânico. Cheguei em casa, tranquei a porta do meu quarto, liguei para minha mãe do Skype e disse: 'Mãe, eu não estou bem'. Senti como se meu mundo estivesse desmoronando. Não queria assumir a derrota, mas pensei: 'Eu preciso ir para casa. Minha saúde mental está sofrendo e isso está me deixando fisicamente doente'".

Publicidade

9. Ellie Goulding escreveu sobre sua experiência com ansiedade e ataques de pânico quando sua carreira decolou.

Theo Wargo

Em um artigo para o portal "Well+Good", ela escreveu: "Comecei a ter ataques de pânico e a parte mais assustadora é que isso podia surgir com qualquer coisa. Eu costumava esconder meu rosto com um travesseiro sempre que precisava caminhar do carro para o estúdio. Minha nova vida como uma estrela do pop certamente não foi tão glamourosa quanto alguns dos meus amigos pensavam. Secretamente, eu estava batalhando física e emocionalmente".

10. Camila Mendes falou sobre a experiência de fazer terapia.

"Estou super animada", disse ao portal "Byrdie". "É algo que queria fazer há muito tempo e, considerando o quanto minha vida mudou neste ano, pensei que era hora de entrar em contato comigo mesma. Tem sido bem difícil me ajustar ao ritmo desta indústria, tudo acontece tão rapidamente, e as pessoas te procuram constantemente com inúmeras exigências. Tive que criar espaço na minha vida para tantas novas pessoas e obrigações de trabalho, que agora eu quase não tenho tempo para mim, sem contar minha família e meus amigos. Então, ter esse tempo reservado uma vez por semana para me concentrar em mim é fundamental para o meu bem-estar".

Publicidade

11. Demi Lovato continua sendo uma embaixadora sincera sobre questões de saúde mental. Neste ano, ela lançou o documentário "Simply Complicated", sobre transtorno bipolar, depressão e vício.

Brad Barket / Getty Imagines

Ela compartilhou: "Quando fui diagnosticada com transtorno bipolar, simplesmente fez sentido. Quando eu era mais nova, não sabia por que ficava acordada até tarde escrevendo e tocando. E então aprendi sobre episódios de mania, e percebi que provavelmente era isso. Eu era maníaca. De certa forma, eu sabia que não era mais minha culpa — havia algo de errado comigo".

12. Tyler Posey falou sobre como a terapia o ajudou a lidar com a depressão após perder sua mãe para o câncer.

Frazer Harrison / Getty Images

"Frequentar a terapia é um passo para obter ajuda e melhorar, então, acho que é ótimo", disse ao portal "Page Six". "No momento, estou mentalmente estável para não precisar frequentar duas vezes por semana, enquanto em outras fases da minha vida eu precisava de terapia pelo menos duas vezes por semana. A terapia meio que dá os recursos para gerenciar sua vida fora da terapia."

Publicidade

13. Selena Gomez falou sobre como estar em turnê pode ser mentalmente desgastante.

"As turnês são lugares muito solitários para mim", disse à revista "Vogue". "Minha autoestima desmoronou. Eu estava depressiva, ansiosa. Comecei a ter ataques de pânico logo antes de entrar no palco, ou logo após sair do palco. Basicamente, sentia que não era boa o suficiente, não era capaz. Sentia que não estava dando nada aos meus fãs e que eles conseguiam ver isso — o que, acho, era uma distorção completa."

14. Abigail Breslin escreveu sobre como é lidar com o transtorno de estresse pós-traumático após sofrer violência doméstica e abuso sexual.

Em uma publicação em seu Instagram, ela escreveu:

"Sou uma sobrevivente da violência doméstica e do abuso sexual. Embora não esteja mais com meu agressor, por conta do que aconteceu comigo, desenvolvi TEPT (Transtorno de estresse pós-traumático). Tirei essa foto do meu tornozelo há algumas horas, logo após um dos meus 'episódios', como os chamo. Eu estava tão desesperada e desorientada que escorreguei e caí em um pedaço de vidro. Normalmente eles ocorrem logo após eu ter sido impulsionada... o problema é, esses impulsos geralmente são bem difíceis de detectar.

Embora no começo tenha sentido que isso era muito estranho e desconfortável para publicar, me lembrei de algo que digo com frequência: não há absolutamente NADA para se envergonhar em relação ao TEPT. TEPT é o resultado de um cenário incontrolável. Nunca sinta como se você fosse inferior por ter uma condição que você não causou. Você ainda é lindo, e ainda é importante, e ainda é DIGNO."

Publicidade

15. Cara Delevigne falou sobre como costumava manter em segredo sua depressão.

Tristan Fewings / Getty Images

"E sentia tanta vergonha de como me sentia, porque tive uma educação tão privilegiada", disse no programa "This Morning". "Sou muito sortuda. Mas tive depressão. Tive momentos em que não queria continuar vivendo. Mas, então, a culpa por me sentir dessa maneira e não conseguir contar para ninguém, porque eu não deveria me sentir assim, apenas me fazia sentir recriminação e culpa".

16. Shannon Purser falou sobre os equívocos que enfrenta por ser alguém com TOC.

"Tive um caso realmente ruim de TOC", disse à revista "People". "Todo mundo escuta TOC e pensa 'Tá, você gosta de limpar a casa ou ser organizada'. Na verdade não é isso, especialmente não para todo mundo."

Ela prosseguiu: "No meu caso, eu era muito insegura, até o ponto de se tornar debilitante. Não me sentia confortável falando com as pessoas. É incrível, mas vou exaltar as qualidades da terapia. Acho que todo mundo deveria fazer terapia".

Publicidade

17. Troian Bellisario escreveu sobre seu antigo distúrbio alimentar e como ainda luta contra ele às vezes, mesmo estando em recuperação.

Ilya S. Savenok / Getty Images

"Como alguém que luta contra uma doença mental, meu maior desafio é que eu nem sempre sei qual voz dentro de mim escutar", escreveu no portal ""Lenny Letter"".

"Há uma parte do meu cérebro que desafia a lógica. Uma vez, essa parte me convenceu que eu deveria viver com 300 calorias por dia, e, em certo ponto, me disse que até isso era demais. Essa parte do meu cérebro é minha doença e houve um tempo em que ela tinha autoridade absoluta sobre mim. Isso quase me matou, e você pode ver que, embora eu esteja em recuperação há 10 anos, ela ainda encontra muitas maneiras traiçoeiras de me prejudicar até hoje. Foi uma jornada difícil para encontrar meu caminho de volta à saúde. Por meio de uma introspecção árdua, cuidados médicos e mentais intensos, uma família solidária e um parceiro paciente e amoroso, sobrevivi, o que é raro."

18. Hayden Panettiere falou sobre sua depressão pós-parto e como levou tempo para que percebesse que algo estava errado.

Craig Barritt / Getty Images

"Leva um tempo e você se sente estranha", disse no programa "Good Morning America". "Você não se sente você mesma. Mas, sabe, as mulheres são tão resistentes, e isso é o que é incrível nelas. Acho que sou mais forte por isso. Acho que sou uma mãe melhor por conta disso, porque você nunca subestima essa conexão."

Publicidade

19. Gabourey Sidibe revelou que lidou com a depressão, pensamentos suicidas e bulimia em suas memórias, "This Is Just My Face: Try Not to Stare" ["Este é apenas o meu rosto: tente não encarar", em tradução livre].

Gonzalo Marroquin / Getty Images

"Simplesmente aceitei a depressão como algo que é parte da minha anatomia. Faz parte da minha química, da minha biologia", disse à revista "People". "Quando fica grande demais para simplesmente me virar sozinha, vou a um terapeuta. Todos deveríamos ir a um terapeuta. Mesmo que seja apenas uma hora por semana em que você pode falar sobre você e não se importar em monopolizar a conversa. Faça isso, vale a pena!"

20. Hayley Williams falou sobre sua experiência com a depressão.

Alberto E. Rodriguez / Getty Images

"Pela primeira vez em minha vida, não havia um pontinho de luz no fim do túnel", disse em uma entrevista para a revista "Fader". "Eu pensei: 'Eu só queria que tudo parasse'. Não era no sentido de "vou tirar minha vida". Era apenas desesperança. Tipo, 'Qual o sentido?' Acho que eu não entendia o quão perigosa é a desesperança. Tudo dói."

Publicidade

21. Katy Perry compartilhou que costumava lidar com pensamentos suicidas.

Rich Fury / Getty Images

Durante uma transmissão ao vivo de sua vida, Katy Perry transmitiu uma sessão de terapia, onde ela falava sobre sua luta contra o alcoolismo e pensamentos suicidas. "Eu escrevi uma música sobre isso", disse. "Sinto vergonha de ter esses pensamentos, me sentir tão inferior e deprimida."

22. Zendaya falou sobre lidar com a ansiedade, desencadeada após uma experiência ruim.

Frazer Harrison / Getty Images

"Costumava lidar muito com a ansiedade", escreveu em uma publicação em seu aplicativo. "Acontecia apenas quando eu cantava ao vivo, não quando eu dançava ou fazia qualquer outra apresentação ao vivo, e resultou de uma experiência ruim que tive ao cantar no programa "The Ellen DeGeneres Show", em 2013. Não foi minha melhor apresentação e nunca me decepcionei tanto assim comigo mesma. Tive uma ansiedade louca desde então."

Publicidade

23. Alanis Morissette falou sobre lidar com a depressão pós-parto pela segunda vez.

"Há dias em que estou debilitada ao ponto em que mal posso me mover", disse à revista "People". "Quando era criança, imaginava ter filhos e estar com um parceiro incrível. Isso é uma coisa completamente diferente que não previ."

24. Pink publicou uma nota emocionante sobre saúde mental após a morte do cantor Chester Bennington, do Linkin Park.

Ela escreveu:

"A tristeza com certeza pode te atingir. Às vezes, parece ser a única coisa real. Mas há algo melhor esperando no fim desse túnel escuro, um sorriso de um estranho, uma bela flor florescendo, uma oportunidade para você tornar o dia de outra pessoa melhor. Se você está lendo isso, então não está sozinho nesse mundo grande, assustador, fodido e lindo. Eu também estou aqui. E eu amo você. Você faz a diferença. Você importa. Espere mais um segundo. Amanhã pode ser o melhor dia da sua vida. #ripchester"

Publicidade

25. Gabrielle Union explicou por que foi tão aberta sobre ter sofrido abuso sexual e TEPT.

Dimitrios Kambouris / Getty Images

Em uma entrevista para o portal "Lenny Letter", ela disse: "O que é mais louco, é que toda vez que falo sobre ter sido estuprada, é uma revelação. Vira tendência. É notícia. Gostamos de pensar que não afeta nossas mães, irmãs, nossos pais ou irmãos, ou vizinhos, ou entes queridos. Mas a realidade é que é o crime mais ignorado pela imprensa no mundo. Você nos conhece. Estamos bem aqui. Estamos em seu escritório. Estamos em sua cama. Estamos em todos os lugares."

26. O príncipe Harry falou sobre o impacto de fingir estar bem após a perda de sua mãe.

Wpa Pool / Getty Images

"Passei a maior parte da minha vida dizendo 'Estou bem'", disse no podcast "Mad Word". "Posso dizer com segurança que perder minha mãe aos 12 anos e reprimir todas as minhas emoções pelos últimos 20 anos teve um efeito muito sério, não apenas em minha vida pessoal, mas também em meu trabalho... Provavelmente estive muito perto de um colapso total em várias ocasiões."

Publicidade

Se você estiver lidando com pensamentos suicidas, você pode conversar com alguém do CVV pelo número 141, por chat, Skype, e-mail ou presencialmente. Veja como aqui.

Leia também:

Publicidade

Publicidade

Confira o melhor de 2017 no BuzzFeed Brasil clicando aqui.

Publicidade

Este post foi traduzido do inglês.

Veja também