25 coisas que surpreendem quem acabou de mudar para São Paulo

Cachorro quente com purê de batata???

Fotos Públicas

1. O metrô Consolação fica na Avenida Paulista...

2. ... E o metrô Paulista fica na Rua Consolação (o que faz sentido, já que na avenida Paulista tem quatro estações).

3. A pressa das pessoas em chegar na escada rolante quando saem do vagão do metrô (e a pressa das pessoas em geral).

4. Aliás, no metrô e em alguns shoppings da região central, a esquerda das escadas e das esteiras fica livre para os mais apressados.

5. As ruas têm uma fila informal de motoqueiros, entre a primeira e segunda fila de carros. E eles são muitos.

Publicidade

6. As pessoas cumprimentam-se com apenas um beijo no rosto (no Rio e em Minas são dois; em alguns estados do Nordeste, até três).

7. Visitar a esquina da Ipiranga com a São João por causa da música do Caetano Veloso e ficar decepcionado, já que não tem nada de mais por lá.

8. Descobrir que o paulistano chama sanduíche de lanche.

9. Pegar metrô na estação Sé às 18h e sentir vontade de morrer.

Publicidade

Nacho Doce / Reuters / Via rodrigoncalves.com.br

Estação Sé, centro de São Paulo, por volta de 18h.

10. Basta o termômetro marcar 17 graus para ser possível ver alguém andando de sobretudo, gorro e luvas.

11. Ir de um lugar a outro pode demorar entre 10 minutos e 2 horas dependendo do horário, do trânsito e se está chovendo.

12. Ninguém em SP chama São Paulo de "Sampa", como em vários outros estados.

13. O cheiro dos rios Tietê e Pinheiros. É impressionante o quanto a estação de trem Vila Olímpia, próxima a um dos rios, fede.

Publicidade

Rio Pinheiros, que é inacreditavelmente fedido

14. Muita gente reclama diariamente do trânsito, mas poucos abrem mão do carro.

15. Ouvir "isso é coisa de carioca" para qualquer hábito que não seja paulistano (ex: colocar catchup na pizza).

16. Os apelidos são as primeiras sílabas dos nomes. Camila vira "Cá", Mariana é "Má".

17. O sotaque paulistano tem muitas variantes - tem quem "fala cantado", quem tem sotaque italiano, quem puxa o 'r', quem fala que nem o Faustão...

Publicidade

Divulgação

"Ôloco, meu"

18. Não é raro uma cerveja long neck custar salgados R$ 12 em uma balada qualquer (e um monte de gente acha ok).

19. Os restaurantes têm dias temáticos (segunda é dia de virado à paulista, quarta é feijoada e por aí vai).

20. Em SP, picolé é sorvete de palito. E sorvete é "sorvete de massa".

21. Comer um pastel de feira e descobrir que a vida pode ser maravilhosa por tão pouco.

Publicidade

Visão do paraíso.

22. Quando você sai no horário normal no trabalho as pessoas pensam que você está desmotivado. Quem não fica depois é folgado. (dica da @anaroriz)

23. Não é raro que exposições culturais tenham filas de horas e horas.

24. Quando você escutar "vou te levar em algum lugar que tem uma vista linda", pode saber que a vista em questão será um monte de prédios.

25. O cachorro-quente paulistano tem purê de batata. É sério, PURÊ DE BATATA.

Publicidade

Tadeu Brunelli / Via polocriativo.com.br

Paulistanos defendem o purê dizendo que ele faz a função de argamassa ao manter juntinhos os outros ingredientes do cachorro-quente.