23 lendas urbanas do mundo que vão te dar um cagaço tão grande quanto a loira do banheiro

Deixe a luz acesa.

A gente pediu pro pessoal do BuzzFeed Community nos contar a lenda urbana mais sinistra de seus respectivos países. Recebemos várias respostas, e aqui estão algumas das mais horripilantes.

Bravo

"Tô meio que com medo".

1. Hanako-San, Japão

"A história é sobre uma aluna do ensino fundamental que cometeu suicídio por sofrer bullying. O jeito de fazer a Hanako-San aparecer é ir ao terceiro reservado do banheiro feminino e invocá-la, batendo na porta três vezes e dizendo 'Hanako-San asobimashou', que quer dizer 'vamos brincar, Hanako-San'. Geralmente, tudo fica em silêncio e aí você ouve 'hai', que quer dizer sim. E aí ou ela arrasta a pessoa para dentro do reservado e a mata, ou a porta abre um pouquinho para que a pessoa possa revelar a Hanako-San." –EmmaCalvet

Publicidade

2. La Dame Blanche (a dama branca), França

"Você está dirigindo à noite e vê uma mulher toda de branco pedindo carona. Você para e deixa ela entrar no seu carro. Ela é gentil e simpática, e pede para ir até uma determinada casa, mas ao longo do caminho começa a ficar cada vez mais nervosa. Ela pede para você tomar cuidado na estrada. De repente, a estrada chega a uma curva perigosa. Ela grita de medo. Você olha para ela e percebe que ela sumiu e que o carro está trancado pelo lado de dentro.

Você lembra da casa à qual ela quis ir. No dia seguinte, você vai até aquela casa e conhece um casal de velhinhos simpáticos. Você conversa com eles sobre a moça e a descreve. Eles ficam tristes e dizem: 'bem, você acabou de descrever a nossa filha, mas ela morreu na estrada cinco anos atrás.'" –silencesilence

3. Os Tokoloshe, África do Sul

"É um poltergeist que parece um gremlin. Dizem que eles são criados por feiticeiros zulus sempre que alguém os ofende. Os Tokoloshe ficam invisíveis ao beber água, e são péssimos: as lendas diziam que eles incitavam discórdia, iam até as pessoas adormecidas para morder fora seus dedos dos pés e até estupravam mulheres. O único jeito de manter os Tokoloshe longe é colocar um tijolo debaixo de cada pé da cama." –Belllaaa

Publicidade

Warner Bros.

4. "Gloomy Sunday", também conhecida como a "canção húngara do suicídio", Hungria

"Esta música foi associada a 18 suicídios, incluindo o do compositor, após seu 69º aniversário. O homem que escreveu a letra fala de depressão e suicídio. Eu costumava ter medo de estar sendo exposto subliminarmente à música e de ser persuadido a cometer suicídio, até descobrir que praticamente ninguém que eu conhecia havia ouvido falar disso. Contudo, os acordes dissonantes me atormentam até hoje." –nicksalfai

Publicidade

5. O Bunyip, Austrália

"O Bunyip é uma criatura mitológica australiana que parece uma cruza entre o Pé Grande e o Monstro do Lago Ness. Ele vive nos 'billabongs', que são pequenos poços. Alguns aborígenes australianos contam uma história de que os pés dele são virados para trás. Portanto, apesar de você poder pensar que está rastreando o Bunyip, na verdade, vocês já passaram um pelo outro e ele estava te vigiando o tempo todo. Simplesmente escondido no mato. ESSA era a parte que me apavorava quando eu era criança e passava bastante tempo sozinha na natureza." –June Byron, Facebook

6. Schmutzli, Suíça

"Um demônio que acompanhava Samichlaus (uma versão arcaica do Papai Noel), mas era a sua versão malvada, e sequestrava as crianças levadas. Ele as forçava a entrar dentro do saco dele e as abandonava na floresta para nunca mais serem encontradas." –Erin Boyle, Facebook

Publicidade

Fueled by Ramen

7. O Demônio de Jersey, EUA

"A lenda conta que a mãe dele, Mãe Leeds, tinha 12 filhos, e quando ela descobriu que estava grávida, 'amaldiçoou' o bebê. Na noite em que o seu 13º filho veio ao mundo, ele não nasceu como ser humano mas como o Demônio de Jersey e saiu voando pela chaminé. Segundo a lenda, Mãe Leeds era uma bruxa e o pai era o diabo." – itsbreaa

Publicidade

8. A Loira do Banheiro, Brasil

"No Brasil, todas as crianças têm medo da 'loira que vive no banheiro'. Elas dizem que se você der descarga três vezes e chamar pelo nome dela, ela aparece para te pegar." –s44d19cc88

9. Manananggal, Filipinas

"Eles são mais comparáveis aos vampiros, já que sugam sangue, porém comem as vísceras logo depois. Dizem que à noite esses monstros separam o tronco das próprias pernas e as deixam ali, e então voam noite adentro com suas asas de morcego à caça de crianças.

Durante o dia, eles aparecem como mulheres normais do vilarejo, agindo como mulheres comuns. O único jeito de matá-los é procurando pelas pernas deles à noite e jogando um punhado de sal sobre as partes abandonadas do corpo deles. Essa lenda era bem eficaz pra manter as crianças em casa". –a478cd55fc

Publicidade

CBS

10. Näkki, Finlândia

"Na Finlândia, temos a lenda do 'Näkki', um espírito aquático que muda de forma e vive em piscinas turvas e embaixo de pontes. Segundo a lenda, o Näkki puxa para debaixo d'água as crianças que se inclinam na beirada das pontes para olhar para o seu reflexo. O Näkki é uma lenda tradicional da mitologia finlandesa, mas quando eu era criança, realmente acreditava que ele existia." –jasminw413ff8fe1

Publicidade

11. Wewe Gombel, Indonésia

"Wewe significa moça, e Gombel é um monte em uma cidade chamada Semarang. Wewe Gombel é um espírito atormentado que toma a forma de uma moça com seios muito compridos, mais compridos do que as pernas dela. Wewe Gombel era uma esposa que pegou o marido a traindo, e o matou. Ela acreditava que o marido dela a havia traído por ela ser estéril, e por isso ela começou a odiar crianças. Logo após ela matar seu marido, o povo do vilarejo a perseguiu tanti que ela decidiu acabar com a própria vida.

Reza a lenda que, se as crianças saírem ao anoitecer, ela vai raptá-las. Ela transforma fezes nos pratos preferidos de suas vítimas e as alimenta para que fiquem mudas quando finalmente forem achadas. A população adulta local canta uma canção especial quando andam pelo vilarejo para encontrar as crianças raptadas, que subitamente aparecem do nada quando a Wewe Gombel decide devolvê-las." –ChortlingChode

12. La Llorona, México

"No folclore mexicano, a Chorona é o fantasma de uma mulher que perdeu os filhos e agora chora enquanto procura por eles no rio. Ela costuma causar azar àqueles que estão perto dela ou a escutam. Em algumas variações, ela chega a roubar crianças e afogá-las no lago." –xxcrimsonquillxx

Publicidade

NBCUniversal

13. Soucouyant, Trindade e Tobago

"Uma soucouyant é basicamente um metamorfo que aparece como uma velhinha solitária durante o dia, mas que à noite arranca a própria pele e se transforma em uma bola de fogo. Dizem que a soucouyant caça primogênitos ou recém-nascidos e suga o sangue deles para recuperar a juventude e manter sua imortalidade.

Se a soucouyant sugar sangue o bastante, a vítima morre e tem que assumir a pele dela. Se não, a vítima geralmente acorda com um hematoma azulado em alguma parte do corpo. Felizmente, há formas de repelir a soucouyant, como colocar um prato de arroz do lado de fora da porta, porque ela terá que contar cada grão antes de entrar e se errar a contagem, terá que contá-los de novo." –dimplesarecute

Publicidade

14. Baba Yaga, Rússia

"Eu morria de medo da Baba Yaga, a história de uma mulher que devorava crianças e vivia em uma casa erguida acima do chão com pés de galinha. Minha tia-avó costumava dizer que se eu não fosse dormir, ela iria me pegar." –mriemer

15. Banshee, Irlanda

"A lenda urbana mais assustadora que ouvi quando criança foi a da Banshee. A Banshee é basicamente um fantasma que grita para simbolizar que um parente ou alguém próximo de você vai morrer. Por isso, sempre que ouço uma mulher gritar, fico com MUITO MEDO." –Gibbyboi

Publicidade

MTV

16. Os Marchadores Noturnos Havaianos, EUA

"No Havaí, acredita-se que existem marchadores noturnos que percorrem certas trilhas sagradas. Eles são um grupo grande de pessoas que um dia protegeram os Ali’i (caciques) havaianos sagrados. Durante essa época, bastava vê-los de relance para ser castigado com a morte, ou então, caso tocasse na sombra deles, você morria.

Isso continua verdade até no além, já que os fantasmas dessas pessoas continuam a atravessar O'ahu marchando. Você sabe quando eles estão se aproximando porque dá para ouvir o som de tambores, assim como o de um berrante de concha, e as luzes das tochas podem ser vistas. Mas se olhar para eles, você morre. Para evitar isso, alguns creem que você precisa se fingir de morto ou se despir e deitar de bruços." –maria49527676a

Publicidade

17. La Carreta Sin Bueyes, Costa Rica

"A Carreta Sem Bois é a lenda de uma bruxa que se apaixonou por um homem cristão severo que não quis nada com ela. A bruxa usou sua magia para fazer com que ele se apaixonasse, e o padre da cidade não aprovou isso. Quando o homem estava prestes a morrer, ele pediu que ela levasse seu corpo até a igreja para ser abençoado.

A bruxa fez como ele pediu, mas o pedido foi negado por causa do pecado que ele carregava. Então, ela pegou o caixão onde o corpo dele estava, prendeu bois a uma carreta e foi à igreja. O padre disse 'pare, em nome de Deus', e perdoou os bois, mas a carreta não parou. As pessoas dizem que dá de ouvi-la rangendo pela cidade, puxada pela mão do diabo." –SirDinosaur405

18. Witte Wieven, Países Baixos

"Conta-se que as Witte Wieven eram criaturas misteriosas, que dançavam em círculos e tentavam enganar homens e mulheres. Elas não suportavam a luz do sol e tinham uma aparência fantasmagórica. Isso me assustou tanto que não consegui dormir totalmente no escuro por uma semana." –Maudleeft

Publicidade

@Anarius / Via gifer.com

19. Belsnickel, Alemanha

"Minha avó costumava me assustar sempre com histórias sobre o Belsnickel perto do Natal quando eu era criança. Ela me dizia que o Belsnickel vinha alguns dias antes do Natal, sequestrava as crianças levadas, colocava-as em um saco e batia nelas. Mais tarde na vida, aprendi que ele também deixava doces para as crianças boas, mas a minha avó sempre deixava essa parte de fora." –Delphine08

Publicidade

20. La Chupacabra, Porto Rico

"Quando éramos crianças, todos nós morríamos de medo do Chupa-cabra. Supostamente, ele era uma criatura pequena e assustadora que matava animais da fazenda e também pegava crianças. Minha família inteira jura que já o viu, mas o pior foi uma manhã de verão quando acordamos e havia duas galinhas mortas no quintal!!" –allpinkkeverything

21. Orang Minyak, Malásia

"Orang Minyak, ou 'Homem Oleoso', é um homem coberto dos pés à cabeça por petróleo. Supostamente, as virgens que dormirem sozinhas à noite e não se cobrirem serão estupradas por ele. É bem perturbador, mas realmente houve casos de mulheres estupradas por quem acreditavam ser o Orang Minyak." –sarahn43be5c392

Publicidade

FX

22. La Chasse-Galerie, Canadá

"É uma lenda a respeito de lenhadores que venderam suas almas para Satã, em troca de poderem viajar rapidamente na véspera do Ano Novo para ficarem com suas famílias, remando em uma canoa através do ar. Durante a viagem, um deles ficou bêbado e os conduziu até um banco de neve, e os outros viajantes o mataram para que o diabo não os levasse." –minnie394

Publicidade

23. Flecha de Prata, Suécia

"Há uma lenda urbana sobre uma plataforma da linha azul do metrô na estação de Kymlinge, em Estocolmo, e um trem chamado de Flecha de Prata. É uma plataforma que não está mais em uso, e creio que nunca tenha sido usada. É conhecida como uma estação fantasma, onde apenas os mortos descem do trem.

A Flecha de Prata é um trem que, dizem, é o único que para em Kymlinge. Supostamente, os mortos no trem morreram em algum lugar do sistema de metrô, e reza a lenda que se você entrar na Flecha de Prata, você nunca mais voltará." –saueho

Paramount Pictures

"Mãe, você pode me buscar? Estou com medo".

Publicidade

Algumas das respostas enviadas foram editadas por questões de tamanho e/ou clareza.

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Você já tem o app do BuzzFeed Brasil no seu celular? Baixe gratuitamente no Android e no iOS para ver todos os nossos testes, vídeos, notícias e muito buzz.

Publicidade

A tradução deste post (original em inglês) foi editada por Susana Cristalli.

Veja também