21 confissões esclarecedoras e potentes de "sugar babies"

"Às vezes, acabo salvando vidas ou casamentos."

De acordo com o site Urban Dictionary, um "sugar baby" (a tradução literal sendo bebê de açúcar) é uma pessoa jovem que recebe agrados financeiros oferecendo em troca a sua companhia. Tal companhia pode incluir favores sexuais, dependendo do acordo consensual entre as partes.

money in the shape of a heart
money in the shape of a heart

Image Source / Getty Images/Image Source

Nós pedimos que integrantes da comunidade BuzzFeed que já trabalharam como sugar baby nos contassem algumas de suas experiências. Nós recebemos uma variedade de relatos interessantes e esclarecedores. Aqui estão algumas dessas histórias:

Viceland / Via media.giphy.com

Publicidade

1. "Eu tinha 4 empregos, e consegui uma vaga em um curso de pós graduação. Eu sabia que não conseguiria manter meus horários malucos, então comecei a procurar outras opções. Eu falei com meu marido sobre uma matéria que eu tinha lido sobre sugar babies e estabelecemos alguns limites e medidas de segurança. Eu me inscrevi no Seeking Arrangements com um nome falso e um perfil que acentuava todas as minhas peculiaridades. Eu recebi bastante atenção, mas tipo 99% dos caras estavam atrás de uma acompanhante que fosse barata. Eu passei muito tempo falando com potenciais 'papais'. Eu odeio esta palavra; infantiliza muito e cria um desequilíbrio de poder. Eu comi algumas das melhores refeições da minha vida e tive algumas das piores transas da minha vida, mas pelo menos eu consegui pagar minha mensalidade antes do semestre começar. Funcionou pra mim, mas no geral eu não recomendaria."

"Ser sugar baby é um trabalho sexual leve, mas com muita bagagem emocional e pessoas que ultrapassam seus limites. Eu acho que muitas pessoas veem a experiência como uma opção fácil, mas não é. É um mundo repleto de pessoas que querem tirar vantagem. Fique longe, ou seja uma acompanhante pra valer."

—Anônimo

2. "Faz quase 5 anos que sou sugar baby. Eu conheci o meu primeiro sugar daddy no Tinder, e estamos juntos e felizes desde então. Nós viajamos pela América do Sul e Europa, comemos em restaurantes de luxo com estrelas Michelin, e nos hospedamos em hotéis e spas de luxo. Eu já ganhei bolsas de designers (a maioria sendo Gucci e Chanel), ele já pagou meu aluguel, me deu uma mesada, e sempre me dá presentes tecnológicos (computador de games, monitores, impressora pra faculdade, iPad pro com a canetinha, relógio da Apple, iPhones pra mim e pra minha irmã, um nintendo Switch, laptops pra mim e pra minha irmã, etc.). Um dos meus presentes de aniversário foi uma lipoaspiração e ele pagou 8 mil dólares! O iPad pro e a caneta, eu recebi de um outro sugar daddy no nosso segundo encontro e fiquei chocada."

gift bag filled with money
gift bag filled with money

Daniel Grill / Getty Images/Tetra images RF

"Meu antigo sugar daddy até ofereceu pagar as mensalidades de colégio e faculdade das minhas irmãs menores. Ele queria garantir que elas não tivessem que passar por problemas financeiros para poder ter uma boa educação. Mesmo que tudo pareça mil maravilhas, pode ser bem perigoso. Você precisar aprender como evitar golpes, como se proteger caso as coisas saiam errado e como se impor. Acho que o conselho mais importante que eu posso dar para novas(os) sugar babies é o seguinte: VOCÊ PRECISA APRENDER A DIZER NÃO PARA COISAS QUE TE INCOMODAM E SER FIRME AO DIZER NÃO E/OU AO IR EMBORA DA SITUAÇÃO. Eu, por exemplo, termino qualquer acordo se o cara se recusar a usar camisinha. Eu não faço no pelo e nunca farei, e não há dinheiro no mundo que possa mudar isso. Você também precisa saber qual quantidade de dinheiro você se sente confortável em receber e não aceitar nada abaixo disso. Você irá passar horas com um sugar daddy e é um trabalho emocional que pode ser árduo. Seu honorário deve ser um valor que você considere justo pelo seu tempo e seu corpo.

E outra coisa que precisa ser dita é que ser sugar baby é um trabalho sexual. Estou cansada de ver sugar babies criticando e sendo haters com acompanhantes e outros(as) profissionais do sexo. Nós estamos nessa juntos e juntas e devemos nos apoiar. Se você, como sugar baby, só recebe uma mesada quando você transa, então como isso te diferencia de qualquer outra acompanhante? Acompanhantes ganham melhor que sugar babies e sinceramente também são tratadas melhor. Outra coisa para se lembrar: não acredite em tudo que voce vê no TikTok. Você vai ver que é impossível encontrar um sugar daddy platônico, então desista. Qualquer influencer falando que tem um sugar daddy platônico está mentindo para parecer melhor. Algumas razões pelas quais alguém gostaria de ser um sugar daddy platônico. Número um: ele é uma pessoa com deficiência e isso impede intimidade em algum nível. Número dois: ele tem dificuldade social, então precisa de ajuda para interagir. Número três: ele é tão tóxico e controlador que precisa pagar para ter amigos em sua vida. Número quatro: ele é um unicórnio super raro que só não está interessado em sexo. Isso é muito raro e tenho certeza que apenas 0.0000099% das pessoas que trabalham como sugar baby já encontraram alguém assim."

—Anônimo

Publicidade

3. "Pra ser bem sincera eu não tive uma boa experiência e acho que garotas deveriam ser alertadas sobre achar um sugar daddy na internet. Os sites direcionados a pessoas que querem uma relação de sugar baby e sugar daddy estão repletos de homens que procuram sexo barato e que querem manipular mulheres jovens. Já aconteceu de um sugar daddy me pagar o que tínhamos combinado por um mês e depois ele queria que eu encontrasse com ele por menos dinheiro porque disse que o que a gente tinha era 'real'. Outros já tentaram me pressionar a não usar camisinha. No geral, muitos desses homens esperam muita atenção e trabalho emocional por muito pouco. Definitivamente é um tipo de trabalho sexual, as pessoas admitindo ou não. Eu comecei a me anunciar como acompanhante de luxo e comecei a perceber que meus clientes são bem mais respeitosos e generosos em comparação às pessoas que eu conhecia nos websites de sugar baby."

—Anônimo

4. "Quando tinha 20 e pouquinhos anos eu trabalhava em período integral, e ainda assim ficava quebrada no fim do mês depois de pagar os boletos. Eu tinha um amigo mais velho que ainda não era abertamente gay por conta de sua carreira profissional. Então, ele costumava me levar à jantares caros e comprava roupas chiques para que eu usasse junto com ele em eventos onde ele precisava fazer contatos. Eu não estava interessada em ter um relacionamento sério com ninguém na época, então ele era tipo um disfarce para mim também. Funcionava para nós dois no geral. Hoje em dia, ele é muito bem sucedido, tem um marido maravilhoso e dois filhos."

NBC / Via media.giphy.com

—Anônimo

Publicidade

5. "Esta foi minha primeira e última experiência como sugar baby. Eu conheci um cara online que no começo me disse que ele tinha 1,82m. No fim, ele tinha 1,52m, talvez nem isso. Eu superei – a altura não era o problema. Os problemas começaram quando nós nos encontramos em um hotel e ele queria cheirar meu hálito, minhas axilas e ~outros~ lugares. Sem sexo, só cheirar. Se você curte isso, ok. Mas quando eu perguntei antes de sair com ele o que ele gostava, teria sido bom mencionar isso! Ele só me disse que curtia o básico. Eu ganhei 300 dólares e bloqueei ele logo que fui embora."

—Anônimo

6. "Eu nunca realmente tive um sugar daddy ou sugar mama. Todos eles me deram um golpe e eu nunca ganhei nenhum dinheiro com eles. Eles eram tão falsos que me pediram dinheiro quando eram eles que tinham que me pagar!"

Pop TV / Via media.giphy.com

—Anônimo

Publicidade

7. "Eu sou uma sugar baby um pouco picante. Meu acordo é com um sugar daddy rico e submisso. Nós nos conhecemos através de um site. Meu perfil chamou atenção porque sou aspirante a dominatrix. A maior parte do que fazemos é igual – companhia, compras, mesadas, etc. O que é especial sobre a gente é a parte BDSM. Sou sua domme e ele é submisso. Ele quer que eu seja dona dele, controle e domine ele. E fico feliz em fazê-lo! A gente tem esse jogo consensual, safado, com cenas, regras e tarefas. Há algo muito satisfatório e empoderador em dominar um homem metido, branco, velho, sendo uma mulher de 25 anos! Eu gosto de pensar que estou fazendo justiça com o patriarcado e redistribuindo lucros."

"E honestamente? O mundo seria um lugar melhor se mais homens em posição de poder encontrassem força ao se entregar a mulheres fortes e queridas. Então, sim, às vezes eu caminho com meu sugar daddy enquanto ele usa uma coleira. Se você quer ser uma sugar baby, seja você mesma, siga seus interesses e o sugar daddy ideal para você te encontrará!"

—Anônimo

8. "Teve um sugar daddy que fez ghosting comigo porque eu fiz uma piada que ele não curtiu. Ele só me pagou 70 dólares e só durou uma semana."

NBC / Via media.giphy.com

—Anônimo

Publicidade

9. "Eu trabalho na indústria de filmes adultos. Quando entramos em quarentena, no começo da COVID, eu fiquei super irritada falando como precisava de um novo MacBook para poder trabalhar como camgirl de casa. Meu sugar daddy foi lá e comprou um pra mim. Eu terminei com ele logo em seguida."

—Anônimo

10. "Eu usei um site de sugar baby durante oito meses quando precisava de dinheiro extra. Honestamente, não foi tão ruim assim. Muitos caras que eu conheci não eram tão velhos e nem tão feios, e geralmente eram bem legais. Tinha um cara mais velho que tinha gosto de espinafre cozido... isso foi bem nojento. Um cara levou tudo que podia pro nosso encontro porque queria estar preparado. Ele levou lanchinhos, água, enxaguante bucal e um cobertor extra. Ele era fofo. Tinham alguns caras interessados em umas coisas bem safadas. Eventualmente eu parei por falta de tempo e eu estava tentando encontrar com mais amigos e namorar de verdade. Mas não me arrependo nem um pouco. Foi divertido."

woman playing footsies with a man at bar stools
woman playing footsies with a man at bar stools

Peter Dazeley / Getty Images

—Anônimo

Publicidade

11. "Eu comecei no mundo de sugar baby quando meu último relacionamento foi por água abaixo. Eu ainda tinha necessidades sexuais, mas ficava com o pé atrás de colocar meu coração pra jogo. Eu ia fazer um perfil no Tinder para encontros casuais, mas achei um site de sugar baby. Demorou um pouquinho para identificar todos os fakes – muitos caras no site não querem realmente te encontrar, muito menos te pagar – mas depois de seis meses, eu finalmente encontrei um cara ótimo. Ele é uns 30 anos mais velho do que eu, casado, e não transa em casa (segundo ele). Ele me paga mil dólares por mês em dinheiro vivo e nós nos encontramos algumas horas fim de semana sim, fim de semana não. Às vezes ele me leva para almoçar ou jantar e ele me deu um colar lindo de Dia dos Namorados, mas nossas interações são mínimas."

"Eu mando mensagens fofinhas pra ele durante a semana para cumprir meu dever, mas geralmente ele não responde durante dias. Ele já jogou um verde sobre me levar pra passar as férias na Flórida, mas vamos ver se vai rolar mesmo. E sim, claro que eu transo com ele. Apesar do que algumas meninas falam no TikTok, pouquíssimos homens pagariam uma mulher para ser apenas uma namorada platônica, não importa o quão sexy ela seja. Para cada garota que quer algo platônico, tem várias que estão dispostas a ir até o fim. Se você não se sente confortável com sexo, você não se sairá bem como sugar baby. Fatos."

—Anônimo

12. "Eu criei uma conta no Tinder quando queria voltar a namorar, mas deixei minha preferência de idade bem aberta, só pra ver. Um médico me mandou uma mensagem sugerindo ser meu sugar daddy. Nós nos demos super bem logo de cara e tivemos dois encontros super legais, mas aí eu comecei a me apaixonar por ele, o que não era ok. Ele não correspondeu aos meus sentimentos e as coisas acabaram. Agora, eu tenho dois sugar daddies que me tratam super bem e mudaram minha vida completamente."

woman holding a phone swiping on a dating app
woman holding a phone swiping on a dating app

Vizualni / Getty Images/iStockphoto

—Anônimo

Publicidade

13. "Eu tenho trabalhado como sugar baby já faz um ano! É meu emprego integral. Eu tenho uma rotação de sugar daddies que sempre muda e cada um deles me paga uma quantia semanal. É meio que o emprego ideal porque quando não estou indo em dates, eu vou na academia e foco nos meus hobbies. Eu ganho o equivalente a dois empregos integrais e não trabalho mais que 20 horas por semana. Parte disso inclui primeiros encontros, que podem ser frustrantes, tediosos, ou muito divertidos."

—Anônimo

14. "Eu estive no site Seeking Arrangement durante alguns anos. Primeiro, eu experimentei usar o site em Nova York, onde a competição era mais acirrada e era mais difícil se destacar como sugar baby. Então, eu me mudei para Taipei e tive vários sugar daddies de quebra. Tinha um cara que não era nada atraente ou sociável, mas pagava muito bem para que eu transasse com ele. Também tinha esse cara super velho que me dava cartões de débito para usar. Eu nunca tocava seu corpo quando transávamos, mas acabei descobrindo que ombros geralmente são ok, já que não envelhecem. A maioria das minhas experiências foram breves. Os sugar daddies mais duradouros me assustavam um pouco porque não queria que isso se tornasse um estilo de vida."

hand reaching for money out of a jacket pocket
hand reaching for money out of a jacket pocket

Thepalmer / Getty Images/iStockphoto

"Porém eu amava os hotéis chiques. Eles sempre reservavam quartos só pra mim e eu ligava na recepção avisando que faria o check-out só mais tarde e aproveitava todos os benefícios. Hoje em dia, eu estou em um relacionamento sério com um cara que não sabe que eu fiz nada disso. Temos um cachorro e planejamos ter filhos. Eu espero muito que meus futuros filhos não se envolvam com trabalho sexual."

–Anônimo


Publicidade

15. "Mais dinheiro, menos problemas. Sem pressões, sem promessas. Sem mais 'eu te amos'. Vale muito a pena."

—Anônimo

16. "Eu amo namorar caras mais velhos, e ser uma sugar baby é perfeito para mim. Eu amo os olhares que recebemos quando estamos em público, e meu homem é sexy e cuida de mim muito bem! Eu não acho que conseguiria voltar a ter namorados normais outra vez!"

20th Century Fox / Via media.giphy.com

—Anônimo

Publicidade

17. "Eu tenho 25 anos e tenho ficado na casa de uma amiga junto com a família dela até eu conseguir juntar dinheiro suficiente para me mudar sozinha. Financeiramente, eu ando muito estressada e procurei outras formas de ganhar dinheiro além do meu trabalho. Eu estou ficando na casa deles porque meu noivado acabou dando errado e eu me mudei para casa da minha família biológica, que era abusiva e tóxica. Eu estava desesperada por dinheiro, e sabia que você tem que estar em um bom estado mental e se sentir confiante para ter este estilo de vida. Meu primeiro sugar daddy era um cara mais velho, normal, que me levava para jantar e me pagava. Já que minha experiência não havia sido ruim, eu decidi tentar de novo."

"O segundo cara era bem mais velho e casado. Ele era mal educado e ficava insistindo que eu fosse para casa dele quando sua esposa estava viajando. Eu recebo por encontro, em dinheiro vivo e adiantado. Eu sempre deixei bem claro que essas eram minhas regras e ele concordou. Um tempo depois, quando estava na hora do nosso date e estávamos conversando, ele começou a negar meu pagamento. Eu disse que tudo bem e que ia encerrar a noite. Ele tentou salvar o date me mostrando um envelope e dizendo que tinha sim a grana. Eu pedi que ele abrisse o envelope. Ele abriu, estava vazio. Ele abusou de mim verbalmente e tentou me manter ali. Eu tive que ligar para uma amiga e pensar em um plano de fuga. Esse cara insistiu em me levar com ele – não conseguia fazer com que ele mudasse de ideia! A essa altura, eu não tinha nenhum tipo de proteção comigo e não sabia o que fazer, então decidi empurrá-lo para longe. Ele me ofereceu $300 em dinheiro vivo e eu ri, disse que aquele dinheiro era para o jantar. Ele ficou muito bravo e disse que não pagaria $300 para sentar e comer comigo e que esse encontro tinha que render mais. Eu disse que não combinávamos e pedi que me deixasse em paz antes que eu chamasse alguém para me ajudar. Eu fui embora e fiquei dirigindo por um tempo para garantir que ele não estava me seguindo. Eu decidi que por enquanto eu continuarei no meu trabalho normal até pensar nos próximos passos."

—Anônimo

18. "Eu achava que a ideia de receber dinheiro de um homem dentro de um contexto sugar daddy/ sugar baby faria eu me sentir usada e desconfortável, mas teve o efeito contrário. Eu me senti cuidada, admirada e respeitada. Também foi um bom exercício para conseguir pedir ajuda financeira quando preciso em vez de só sofrer em silêncio. E nem todos os homens interessados neste tipo de acordo são velhos e nojentos. Eu já tive um sugar daddy que era mais novo que eu. Ele me chamava de sugar 'papa anjo'."

Douglas Sacha / Getty Images

—Anônimo

Publicidade

19. "Eu tentei ser sugar baby por um tempinho quando estava passando por dificuldades financeiras em 2016. Eu fui em alguns encontros com alguns homens, a maioria só queria falar de suas próprias conquistas e se sentir bem com eles mesmos, gastando um monte de dinheiro. Eu nunca dormi com nenhum deles, mas decidi deixar a profissão quando bati uma punheta para um cara em um estacionamento e ele começou a chorar e falar sobre sua esposa, que tinha esclerose múltipla. Não esperava isso."

—Anônimo

20. "Faz anos que uso o site Seeking. Já encontrei algumas pessoas e conversei com várias. De verdade experienciei alguns dos exemplos mais tóxicos da humanidade e masculinidade. Já estive em muitos sites de namoro, às vezes atrás de um romance, mas na maioria das vezes apenas para continuar conectada ou fazer novos amigos. Já conversei com milhares de pessoas durante os anos e tem sido tipo um projeto científico sobre o comportamento humano."

close-up of a hand clicking through a dating app on a smartphone
close-up of a hand clicking through a dating app on a smartphone

Olga Pankova / Getty Images

"No geral, me sinto decepcionada e enojada, e eu tento ajudar as pessoas a se curarem da toxicidade o máximo que posso enquanto lido com stalkers, golpistas, mentirosos e caras INCEL. É absurda a inabilidade de aceitar um 'não, não estou interessada' como resposta, pensando que dinheiro e uma atitude de 'coitadinho' farão com que tudo seja perdoado. Tanto os sites de namoro usuais quanto os de sugar baby tem o mesmo nível de toxicidade e promessas vazias. A única razão pela qual uso qualquer um destes sites é porque ainda não perdi a esperança. Ocasionalmente, tenho conexões incríveis. Às vezes, acabo salvando vidas ou casamentos. Mas, na maioria das vezes, eu apenas junto exemplos de situações tóxicas para compartilhar com as pessoas e tentar ajudar a validar as vítimas e acordar aqueles que ainda tentam fazer um mansplaining."

—Anônimo

Publicidade

21. Por fim: "Ser sugar baby tem seus prós e contras, como qualquer situação. Mas, de uma coisa eu tenho certeza, este tipo de relacionamento definitivamente te ajuda a estabelecer seus padrões. Te mostra o que você está procurando. Eu era a sugar baby de um homem casado e ficava feliz por ele ser casado porque eu não queria nada sério e ele também não. Era apenas por diversão. Eu gostava da ideia de um relacionamento sem amarras. Um ano depois, e eu já não gostava tanto assim. Você não sabe o quão rápido uma situação pode mudar quando você se apaixona, que foi o que aconteceu comigo. Se apaixonar por um homem casado não é uma experiência agradável. Você percebe que é só a segunda opção do homem que você ama. Se eu pudesse fazer tudo de novo, eu protegeria mais meu coração e não me apaixonaria tão livremente."

—Anônimo

Para aqueles que enviaram seus relatos, obrigada por compartilhar suas histórias e experiências. Nós agradecemos a honestidade e vulnerabilidade.

Nota: alguns relatos foram editados para melhor clareza/formatação.

Publicidade

Veja também