21 casais terríveis que cometeram crimes atrozes contra a humanidade

O dicionário define "folie à deux" como "sintomas psicóticos compartilhados por duas pessoas, geralmente próximas".

🚨AVISO: Este post tem conteúdo perturbador. Leia com cautela.🚨

Histórias reais de crimes são uma das minhas grandes paixões na vida. Aprender sobre assassinos em série e suas patologias é muito fascinante e, por vezes, assustador.

Fabiola falando sobre gostar de saber sobre crimes reais
Fabiola falando sobre gostar de saber sobre crimes reais

"Uau, crimes reais? Estou dentro."

Netflix

Publicidade

Um dos meus jeitos favoritos de aprender sobre crimes reais é através de podcasts, em especial o "Morbid: A True Crime Podcast". Um dos últimos episódios deles foi sobre os "Assassinos da Sunset Strip", que era um CASAL! E, depois de alguma pesquisa, descobri que casais que matam não são exceção e que, na verdade, isso é quase comum.

capa do podcast
capa do podcast

"Mórbido: Um Podcast Sobre Crimes Reais"

@morbidpodcast / Via Instagram: @morbidpodcast

Então, decidi fazer uma lista dos casais mais perigosos da história e, se você ficar interessado em saber mais, pode conferir um episódio de podcast para cada um deles:

Publicidade

1. Karla Homolka e Paul Bernardo, também conhecidos como "Ken e Barbie assassinos":

Karla Homolka in a car on the way to her trial
Karla Homolka in a car on the way to her trial

Peter Power / Toronto Star via Getty Images

Em 1987, a técnica em veterinária de 17 anos, Karla Homolka, conheceu o contrabandista de cigarros de 23 anos, Paul Bernardo. Antes de começarem o relacionamento, Paul havia estuprado mais de dez meninas e ganhou o apelido "Estuprador de Scarborough". Entre 1990 e 1992, Karla e Paul estupraram e mataram três mulheres, incluindo a irmã mais nova dela. Enquanto Paul cumpria pena, Karla assinou o melhor acordo do século e só cumpriu 12 anos de prisão pelo envolvimento nos crimes. Atualmente, ela está livre, casada e tem três filhos.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

2. Bonnie Parker e Clyde Barrow:

Clyde Barrow posing for a photo with Bonnie Parker in front of their car
Clyde Barrow posing for a photo with Bonnie Parker in front of their car

Hulton Archive / Getty Images

Em 1930, Bonnie Parker, aos 19 anos, conheceu Clyde Barrow, de 21 anos. Nos anos seguintes, Clyde entrou e saiu da prisão diversas vezes, mas, quando foi solto em 1932, eles começaram a cometer uma série de crimes. Apesar de serem conhecidos por inúmeros roubos a bancos e pequenas lojas, eles também mataram mais de nove policiais e quatro civis. Em 13 de maio de 1934, policiais abriram fogo quando o casal estava saindo do esconderijo. Eles morreram na hora.

Se quiser saber mais, confira o episódio "Last Podcast on the Left" sobre eles

Publicidade

3. Myra Hindley e Ian Brady, também conhecidos como "Assassinos da Charneca":

Mugshots of Ian Brady and Myra Hindley
Mugshots of Ian Brady and Myra Hindley

Bettmann / Bettmann Archive / Getty Images

Em 1961, a jovem Myra Hindley conheceu Ian Brady e logo o casal descobriu uma perversão e um desejo em comum de estuprar, torturar e matar pequenas crianças. Ao longo dos anos 1960, Myra e Ian sequestraram cinco crianças entre 10 e 17 anos, dentre as quais a mais infame era Leslie Ann Downey, de 10 anos, e abandonaram os corpos na Charneca Saddleworth, na Inglaterra. O corpo da segunda vítima mais jovem que assassinaram, Keith Bennett, nunca foi encontrado. Tanto Myra quanto Ian foram sentenciados à prisão perpétua. Ela morreu em 2002, e ele, em 2017.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

4. Christine Paolilla e Chris Snyder, conhecidos pelo "Assassinatos de Clear Lake":

Christine Paolilla and Chris Snyder posing for a photo together
Christine Paolilla and Chris Snyder posing for a photo together

ABC News

Em 2003, Christine Paolilla, de 17 anos, conheceu Christopher Lee Snider, de 21 anos, no mesmo ano em que Christine foi eleita a "Miss Irresistível" pelos seus colegas de classe. Os dois começaram a namorar e a usar drogas. No dia 18 de julho, o casal foi à casa de um amigo de Christine para roubar drogas, mas, após uma briga, eles atiraram e mataram as quatro pessoas na casa, que eram suas duas melhores amigas e os namorados delas, e fugiram. Christine foi sentenciada à prisão perpétua, com chance de liberdade condicional em 2046, e Christopher teve uma overdose de cocaína e morreu antes de ser indiciado.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

Publicidade

5. Jasmine Richardson e Jeremy Steinke, conhecidos pelo "Assassinato da Família Richardson":

A blurry image of Jasmine Richardson holding a gun
A blurry image of Jasmine Richardson holding a gun

Jasmine Richardson / MySpace

Em 2006, Jasmine Richardson, 12 anos, conheceu Jeremy Steinke, 23 anos, que se autodenominava um vampiro de 200 anos, em um show de punk rock. Os dois começaram a namorar, muito para o desgosto e a indignação dos pais dela, que a deixaram de castigo e impediram que visse Jeremy novamente. Então, em retaliação, no dia 22 de abril de 2006, o casal matou os pais e o irmão de 8 anos dela. Embora Jeremy tenha sido sentenciado a três penas de prisão perpétua concomitantes, por ser menor de idade, a sentença máxima para Jasmine seria de somente 10 anos, incluindo o tempo servido. Ela foi solta em 2016.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

6. Kim Edwards e Lucas Markham, também conhecidos como "Assassinos do Crepúsculo":

The mugshots of Lucas Markham and Kim Edwards
The mugshots of Lucas Markham and Kim Edwards

Crime Investigations

Entre os anos 2015 e 2016, Kim Edwards e Lucas Markham, ambos aos 14 anos, começaram um relacionamento intenso. A mãe de Kim, que tinha um relacionamento tenso com a filha depois de uma briga doméstica em 2008, estava preocupada com a intensidade da relação entre os dois e tentou fazê-los se separarem. Em retaliação, o casal planejou matá-la e, em abril de 2016, Lucas esfaqueou e sufocou a mãe e a irmã mais nova de Kim, que não teve coragem de ir até o fim. Após as mortes, os dois tomaram banho, fizeram sexo e assistiram a "Crepúsculo" até a polícia aparecer na manhã seguinte. Eles foram considerados culpados e sentenciados a 175 anos de prisão.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

Publicidade

7. Bailey Boswell e Aubrey Trail, também conhecidos por "Assassino do Tinder":

Gwyneth Roberts / AP, Chris Machian / AP

Em 2017, Bailey Bosewell, de 23 anos, e Aubrey Trail, de 50, atraíram Syndey Loofe para sua morte. De início, ela achou que teria um encontro com Bailey, que havia conhecido no Tinder, mas, na verdade, ela era uma vítima do casal. Os restos mortais de Syndey foram encontrados em 16 sacolas de lixo e, pouco tempo depois, o casal foi detido. Aubrey foi considerado culpado por homicídio de primeiro grau, conspiração de homicídio e descarte inadequado de restos mortais e foi sentenciado à pena de morte. Bailey, que também foi considerada culpada, está atualmente esperando para saber se será sentenciada à prisão perpétua ou pena de morte.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

8. Catherine e David Birnie, também conhecidos pelos "Assassinatos de Moorhouse":

Mugshots of David and Catherine Birnie
Mugshots of David and Catherine Birnie

Marie Claire

Em 1985, Catherine Birnie (cujo nome de batismo era McLaughlin) abandonou o marido e seus sete filhos para se reencontrar com David Birnie e viver suas fantasias sexuais perversas. No período de cinco semanas, o casal sequestrou, estuprou e assassinou quatro mulheres, todas entre 15 e 31 anos. A quinta conseguiu escapar antes de se tornar mais uma vítima dos assassinatos. Os dois foram considerados culpados e sentenciados a quatro prisões perpétuas, no entanto, David se enforcou na própria cela após cerca de 20 anos. Catherine ainda está presa.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

Publicidade

9. Martha Beck e Raymond Fernandez, também conhecidos como "Os Assassinos dos Corações Solitários":

A candid shot of Raymond Fernandez and Martha Beck
A candid shot of Raymond Fernandez and Martha Beck

Murray Becker / AP

Em 1947, o golpista Raymond Fernandez respondeu ao anúncio à procura de amor que Martha Beck havia enviado ao jornal. Depois de perceber que ela não era tão rica quanto imaginou, ele a abandonou. No entanto, ela continuou atrás dele até 1948. Por fim, ele contou a ela que era golpista e que ludibriava mulheres para roubar o dinheiro delas e, em vez de fugir, ela pediu para se tornar sua parceira no crime. Então, os dois enganaram e mataram entre 3 e 17 mulheres no ano seguinte sob o disfarce de irmãos. O casal foi considerado culpado de homicídio de primeiro grau e sentenciado à cadeira elétrica. Eles morreram em 1951.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Crime Junkie".

10. Gwendolyn Graham e Cathy Wood, também conhecidas como "Amantes Letais":

imagem de Catherine Wood nas notícias
imagem de Catherine Wood nas notícias

"Cúmplice: Deixem Catherine Wood na prisão"

WoodTV8

Em 1987, Gwendolyn Graham e Cathy Wood, que era casada com um homem na época, eram auxiliares de enfermeiras e mataram cinco pacientes idosos no asilo onde trabalhavam. De acordo com Cathy, Gwendolyn matava os pacientes e fazia sexo com ela para "aliviar a tensão". Na tentativa de uma sentença menor, Cathy testemunhou contra Gwendolyn, que foi considerada culpada e sentenciada à prisão perpétua. Cathy recebeu uma sentença de 20 a 40 anos e foi solta em 2020.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre elas no podcast "Serial Killers".

Publicidade

11. Faye e Ray Copeland:

Ray Copeland being escorted to jail
Ray Copeland being escorted to jail

Jeffrey Z. Carney / AP

Em 1940, Ray Copeland conheceu Faye. Mais tarde, eles se casaram e tiveram seis filhos. Nos anos 1980, o casal começou a matar os lavradores da fazenda, entre 5 a 12 pessoas. Eles foram encontrados devido a uma denúncia que levou a polícia ao local, onde encontraram os corpos de vários homens desaparecidos e uma colcha feita com retalhos de suas roupas. O casal foi considerado culpado e sentenciado à pena de morte, mas Ray morreu de causas naturais em 1993, e Faye saiu em condicional logo antes de morrer de causas naturais dois meses depois.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Serial Killers".

12. Monique Olivier e Michel Fourniret, também conhecidos como "Os Caçadores de Virgens":

Mugshots of Monique Olivier and Michel Fourniret
Mugshots of Monique Olivier and Michel Fourniret

David Martin / AFP via Getty Images

Em 1989, Monique Olivier e Michel Fourniret se casaram. Ela costumava mandar cartas para ele enquanto ele estava preso. Ao longo de quinze anos, o casal sequestrou, abusou sexualmente e matou entre 8 e 12 meninas e 1 homem não-identificado. Em 2004, Monique entregou Fourniret, um ano depois do sequestro fracassado de uma menina de 13 anos. Em 2008, os dois foram considerados culpados e sentenciados à prisão perpétua sem possibilidade de condicional.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Serial Napper".

Publicidade

13. Sarah e John Makin, também conhecidos como "Cuidadores de Crianças":

Creative Commons, Creative Commons

Em 1871, Sarah Jane e John Makin se casaram e tiveram 10 filhos. Mais tarde, na década de 1880, John perdeu o emprego, então o casal começou a cuidar de crianças ilegítimas em troca de dinheiro, como se fosse uma espécie de assistência social. Em 1893, eles foram considerados culpados por matar um bebê de 18 meses, Horace Murray. No entanto, após mais investigações, a polícia descobriu os cadáveres de pelo menos 12 crianças na propriedade. A polícia acreditava que os dois recebiam o pagamento depois das mortes. John foi sentenciado à pena de morte e enforcado em 1893, e Sarah, à prisão perpétua, mas foi liberada em condicional de 1911.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Best Served Cold".

14. Inessa Tarverdiyeva e Roman Podkopaev:

Inessa Tarverdiyeva sitting in court
Inessa Tarverdiyeva sitting in court

Valery Matytsin / TASS / Getty Images

Inessa Tarverdiyeva, seu segundo marido, Roman Podkopaev, e suas filhas, Viktoria e Anastasiya, são uma família de assassinos em série. Em 2013, a família foi detida, e foi descoberto que eles mataram pelo menos 30 pessoas e roubaram milhares de dólares. Nas buscas na residência, a polícia encontrou mais de 20 armas de fogo. Roman Podkopaev foi morto em um tiroteio contra a polícia, mas Inessa, Viktoria e Anastasiya foram sentenciadas de 16 a 21 anos na prisão por seus crimes.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Brutal Nation".

Publicidade

15. Henry Lee Lucas e Ottis Toole, também conhecidos como "Assassino da Confissão":

Henry Lee Lucas sitting in his prison cell
Henry Lee Lucas sitting in his prison cell

Per-anders Pettersson / Getty Images

Em 1976, Henry Lee Lucas e Ottis Toole, dois homens que foram abusados pelas mães e forçados a se vestir com roupas femininas, começaram um relacionamento após se aproximarem por descobrirem o trauma de infância em comum. Logo, eles também descobriram que tinham sede de sangue e começaram a estuprar, torturar e matar vítimas juntos. Mais tarde, os dois se separaram e foram detidos individualmente por outros crimes. Os dois confessaram a centenas de homicídios, mas só três e seis vítimas foram confirmadas. Lucas e Toole foram sentenciados a prisão perpétua e morreram presos, em 2001 e 1996 respectivamente.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Last Podcast on the Left".

16. Debra Brown e Alton Coleman:

Alton Coleman and Debra Brown standing in a courtroom
Alton Coleman and Debra Brown standing in a courtroom

Bettmann / Bettmann Archive / Getty Images

Em 1983, Alton Coleman, condenado por crimes sexuais, conheceu Debra Brown. Em 1984, no dia anterior ao seu julgamento por ter estuprado uma menina de 14 anos, o casal fugiu e, ao longo de 53 dias, eles mataram 8 pessoas, cometeram 7 estupros, sequestraram 3 pessoas e fizeram 14 roubos à mão armada em 6 estados dos Estados Unidos. Alton foi sentenciado à pena de morte por injeção letal em 2002, e Debra pegou prisão perpétua.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Serial Killers".

Publicidade

17. Caril Ann Fugate e Charles Starkweather:

Caril Ann Fugate and Charles Starkweather posing for a photo together
Caril Ann Fugate and Charles Starkweather posing for a photo together

Bettmann / Bettmann Archive / Getty Images

Em 1956, Caril Ann Fugate, aos 13 anos, começou um relacionamento com Charles Starkweather, de 18. Em 1958, ele matou a mãe, o padrasto e a irmã de 2 anos dela. Depois disso, os dois saíram matando 10 pessoas. Quando presos, foram condenados por homicídio. Charles foi sentenciado à pena de morte e morreu na cadeira elétrica em 1959, e Caril Ann foi sentenciada à prisão perpétua, mas entrou em condicional em 1976.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Crimes and Passion".

18. Cindy Hendy e David Parker Ray, também conhecidos como "O assassino da caixa de brinquedos":

Betsy Phillips / AP, Betsy Phillips / AP

Nos anos 1950, David Parker Ray matou e cometeu crimes contra mulheres. Ele só conheceu Cindy Hendy em 1997 na cidade de Truth or Consequences, no estado de Novo México (EUA). Nos anos seguintes, Cindy o ajudou a sequestrar 25 mulheres que David levava até sua "caixa de brinquedos", um trailer à prova de som, cheia de dispositivos para tortura sexual, onde ele estuprava, mutilava, drogava e assassinava suas vítimas. Em 1999, eles foram detidos, e David foi sentenciado a 224 anos na prisão, mas morreu de ataque cardíaco em 2002, e Cindy, a 36 anos, mas foi solta em condicional em 2019.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid".

Publicidade

19. Rosemary e Fred West:

Rosemary and Fred West posing for a photo
Rosemary and Fred West posing for a photo

Associated Press

Em 1969, Rosemary, aos 15 anos, conheceu Fred West, de 27, e eles logo se casaram. Pouco tempo depois, eles começaram a sequestrar e matar jovens mulheres em busca de hospedagem. Foram pelo menos 13 vítimas, 3 das quais eram seus próprios filhos, e os crimes envolviam estupro, tortura, sequestro e assassinato. Eles foram detidos em 1994. Fred West cometeu suicídio aguardando o julgamento em 1995, e Rosemary foi sentenciada à prisão perpétua.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Last Podcast on the Left".

20. Carol Bundy e Doug Clark, também conhecidos como "Assassinos de Sunset Strip":

Carol Bundy standing for trial
Carol Bundy standing for trial

Wally Fong / AP

Em 1980, Doug Clark conheceu Carol Bundy depois de matar e profanar os cadáveres de dois adolescentes. Após Clark informar Bundy de sua perversões, os dois saíram por aí e mataram pelo menos duas pessoas juntos, mas existe a suspeita de que foram mais. Depois de estuprar e matar, Clark costumava decapitar suas vítimas, e Bundy preservava as cabeças para usar mais tarde. Eles foram detidos em 1983 e considerados culpados. Clark foi sentenciado à pena de morte e ainda está no corredor da morte, e Bundy, à prisão perpétua, mas morreu de insuficiência cardíaca em 2003.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "Morbid"

Publicidade

21. E, por último, Cynthia Coffman e James Gregory Marlow:

A screengrab of Cynthia Coffman and James Marlow
A screengrab of Cynthia Coffman and James Marlow

Oxygen

Em 1986, Cynthia Coffman conheceu James Marlow logo após sua soltura da prisão. Depois do casamento, eles começaram a estuprar e matar mulheres até serem detidos. Os dois foram considerados culpados e sentenciados à morte. Cynthia foi a primeira mulher a enfrentar o corredor da morte, desde a reinserção da pena capital em 1977.

Se quiser saber mais, confira o episódio sobre eles no podcast "True Love, Truer Crimes"

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Veja também