17 saudades de quando você era indie nos anos 2000

Bastava ouvir aquele grito para a festa pegar fogo: WOO-HOO!

1. A definição “rock alternativo” fazia sentido pois aquela música era diferente de tudo o que tocava no rádio.

Aliás, rock fazia sentido.

2. Você provavelmente passava horas na locadora de CDs, escolhendo o que iria gravar na sua mixtape.

Baixar um álbum inteiro da internet discada levaria cerca de uma semana.

Publicidade

3. Fuçar o Napster, Limewire e Soulseek e descobrir bandas que realmente só você conhecia.

Kory Twaites / Creative Commons / creativecommons.org / Via Flickr: krazykory

E enquanto a MTV passava cada vez menos clipes, a Trama Virtual impulsionava bandas novas.

4. Até que um disco de capa azul entrou na sua vida e você soube que nada seria como antes.

Geffen Records / Divulgação

Também deve ter sido o que pensaram os gaúchos da Bidê ou Balde, que gravaram uma versão em português de "Buddy Holly".

Publicidade

5. Havia noites em que bastava ouvir aquele grito para a festa pegar fogo: WOO-HOO!

O grito de "Song 2", do Blur.

6. Aquela época mágica em que as pessoas não queriam ouvir, falar ou pensar em nada que não fosse The Strokes.

Vulture Hound Magazine / Flickr

Quando o disco Is This It foi lançado, como uma bomba.

Publicidade

7. E muitos não admitem, mas essa capa pode ser a resposta indie ao É O Tchan.

RCA / Divulgação

8. Você provavelmente já quis viver como as pessoas comuns, enquanto ouvia Pulp de olhos fechados.

Island Records / Divulgação

Infelizmente ali por 2001 a banda já havia até encerrado as atividades.

Publicidade

9. Provavelmente você, e seus amigos também, quiseram ser parte dessa primavera do indie nacional montando sua própria banda. Mesmo que tenha durado só alguns ensaios.

Bertrand / Creative Commons / Via flickr.com

Época revivida por este Tumblr, chamado justamente Indie Saudoso.

10. Bandas como Elastica, Veruca Salt, Breeders, formaram não só seu caráter como seu gosto para cortes de cabelo.

Foi o renascer das franjas, do cabelo curto e do chanel.

Publicidade

11. E as madeixas vermelhas da Shirley Manson, do Garbage? Você era feliz só de olhar para elas.

Rolling Stone / Divulgação

E claro, você só era feliz quando chovia.

12. Não perder nenhum post do Scream & Yell nem do Lúcio Ribeiro na Folha Online, nem uma edição das revistas indie nacionais.

Até porque conseguir folhear uma Spin ou NME, importadas, era raríssimo.

Publicidade

13. Você discutia sobre suas bandas preferidas nas várias mailing lists que assinava, e seguia o papo via ICQ.

Tinha a lista do Scream & Yell, a Vem Delícia, a Gordurama, a londonburning e outras.

14. Expressar sua identidade significava usar a camiseta da sua banda preferida por cima de outra camiseta de manga comprida.

Publicidade

15. Você ouvia Los Hermanos como se a banda existisse só para você.

E, como afirmam alguns, o hype era tanto que até sobrou um pouquinho para Mallu Magalhães.

16. Os outros podiam até gostar, mas só você entendia o que o Belle & Sebastian queria dizer com “me tire daqui, estou morrendo”.

Matador Records / Divulgação

Publicidade

17. E, hoje, ouvindo uma playlist do Pavement no Spotify, sorrir e lembrar de quando todos achavam que aquilo duraria para sempre.

Colaboraram:

Eduardo Egs, Ricardo Motti, Rodrigo Deltoro, Pedro Perurena, Pedro Fernandes, Leo Trindade, Marina Bortoluzzi.

Publicidade

Veja também:

Publicidade