16 coisas de "Sex and The City" que seriam inaceitáveis hoje em dia

Sim, nós adoramos a série. Mas será que podemos parar um instante para discutir sobre os problemas dela?

Nós recentemente pedimos para os membros da Comunidade BuzzFeed compartilharem os momentos de Sex and The City que seriam totalmente problemáticos em 2019. Aqui estão algumas das melhores respostas... bom, dos piores momentos.

1. O jeito completamente inapropriado como os homens pressionavam as mulheres no ambiente de trabalho.

HBO

"Quando a Carrie estava escrevendo o artigo para a Vogue, e o chefe deu em cima dela no closet. Foi extremamente desconfortável, porque fazia você se perguntar se ele teria dado as bebidas a ela para deixá-la mais submissa. Ou a pressão que a Charlotte recebia para fazer sexo oral no namorado." — sonyac4771faaac

Publicidade

2. A forma como as amigas da Samantha a rotulavam como uma vadia.

HBO

"Eu não gostei nada de como, quando o irmão da Charlotte chegou à cidade e decidiu dormir com a Samantha, a Charlotte julgou a amiga e pôs a culpa nela, em vez do irmão. A Charlotte sempre humilha a Sam e a trata como uma pessoa de segunda classe." —myonnegault

3. A mente fechada em geral da série com relação a sexualidade.

HBO

"O episódio sobre bissexualidade, em que o namorado da Carrie se assume como bi, me deixou muito chateada. Todas as garotas foram 'bifóbicas' demais e não acreditaram que bissexualidade pudesse existir de verdade." —carlaw41d0d84b1

Publicidade

4. Os estereótipos antissemitas contra judeus que eram evidentes na série.

HBO

"As representações antissemitas eram extremamente ofensivas. É claro que o Harry é advogado, é peludo e tem sérios problemas de transpiração. Assim que a Charlotte se converte ao judaísmo, ela fica toda grossa e mandona quando vai comprar carne no açougue." —kittensnugglefluff

5. Como as mulheres pressionavam as outras a fazer atos sexuais que as deixavam desconfortáveis só para segurar um homem.

HBO

"Tem aquela parte no início da série em que o namorado da Charlotte diz que quer fazer anal, e ela não quer. A Samantha tenta pressioná-la a fazer, ou ela perderia o namorado se não fizesse. Eu sempre achei frustrante uma série que alegava ser progressiva com relação ao sexo e às mulheres passar esse tipo de mensagem." —jessicam42a95e5bf

Publicidade

6. Os estereótipos ligados aos personagens gays da série.

HBO

"Ter personagens gays que estavam lá só para bajular e idolatrar as maravilhosas mulheres, sem vida nenhuma além daquilo, era completamente desdenhoso. Os personagens também tinham que se encaixar em certos padrões de 'gayzice', porque as garotas decididamente tinham problemas com a aparência de trans e bissexuais. Os amigos gays das garotas eram só acessórios assexuados em amizades de um lado só." —andytheislander

7. A atitude excessiva da Carrie de achar que tinha direito a tudo apesar de suas péssimas decisões financeiras.

HBO

"Quando a Carrie espera que a Charlotte empreste dinheiro a ela e fica chateada quando ela não empresta — que pedido absurdo de se fazer a uma amiga! Não é como se fosse vinte dólares para o almoço. Ela é uma divorciada de classe média de Nova Iorque, não o Bill Gates. Além disso, Carrie com certeza conseguiria pagar as coisas se não tivesse gastado todo o dinheiro em sapatos e coisas que não dariam retorno no caso de uma emergência." —maggiem45481cd39

Publicidade

8. Como as mulheres competiam umas com as outras pelo afeto de algum homem.

HBO

"Eu sempre odiei o primeiro episódio do Smith, quando a Samantha e uma outra mulher estão basicamente competindo para ver quem vai dormir com ele.

Como se ele fosse um prêmio a ser ganho. Além disso, as duas simplesmente presumiram que ele escolheria uma delas porque elas queriam ele, como se ele não tivesse voz no assunto." —kimberlyy403bcd84b

9. O fato do relacionamento entre o Mr. Big e a Carrie, na realidade, ser tão tóxico.

HBO

"Eu adoro a série totalmente, mas ela tem tantas partes que são frustrantes. Por exemplo, a série não passa no Teste de Bechdel uma única vez em todas as suas seis temporadas. Além disso, Big é um protagonista masculino tóxico e emocionalmente abusivo, que ensinou tantas garotas jovens a esperar menos que o mínimo dos homens." —pri103

Publicidade

10. A maneira como as mulheres são julgadas por passarem dos 30 anos sem se casar.

HBO

"A discriminação etária das mulheres é gritante hoje. Um dos principais temas da série era como é difícil ser uma mulher solteira na casa dos 30. Em um episódio, eles usam a Carrie na capa de uma revista que humilha mulheres que continuam solteiras e frequentando bares na idade dela, e ela fica tão abalada, que quase dorme com um cara medíocre SÓ para se sentir validada. Metade da história da Charlotte é sobre sua procura frenética por um marido e sua frustração e vergonha por não ter um ao passar dos trinta." —jamief4dd75e773

11. O classismo que é exibido durante toda a série.

HBO

"Quando as garotas estavam fazendo pedicure, e a Charlotte estava falando sobre como elas não poderiam fingir que estavam vivendo em uma sociedade sem classes. Ela inclinou a cabeça apontando para as manicures, insinuando que elas seriam de uma classe mais baixa. Também quando a Charlotte não tinha nenhum critério real para escolher quem a substituiria na galeria de arte e simplesmente pegou a candidata que mais se parecia com ela no passado." —indiag426821344

Publicidade

12. O fato de que, depois que se casam, as mulheres largam o trabalho porque têm alguém para cuidar delas.

HBO

"Eu entendo que toda mulher tem sua escolha, mas quando a Charlotte larga o emprego porque se casou... Era tão arcaico pensar que encontrar um bom homem com dinheiro permitiria a você largar tudo para ser dona de casa. Como se fosse 1850 ou algo assim." — lindsayb42bb479a4

13. As garotas não vendo problema quando a Carrie traiu o Aidan, mesmo que elas teriam achado errado se fosse o contrário.

HBO

"Eu assisti de novo algumas temporadas recentemente e fiquei ofendida porque, quando a Carrie traiu o Aidan, todas as amigas, com exceção da Charlotte, aceitaram aquilo. Eu acho que a ideia era que nós ficássemos do lado da Carrie por causa do Mr. Big, mas ele estava casado, e ela estava em um relacionamento. E quando o caso terminou, todas disseram para ela NÃO contar ao Aidan. A Charlotte até ameaçou a Carrie, porque aquilo iria arruinar as fotos de casamento. Você ama a pessoa. Vocês moram juntos... E ele estava 100% comprometido." —zeilerra

Publicidade

14. A ideia de que ter 30 anos faz de você velha.

HBO

"Eu tenho exatamente 30 anos. Quando tinha vinte, eu nunca idolatrei cegamente as mulheres de trinta, e agora, eu não tenho rancor das mulheres de vinte. Eu acredito que, nos dias de hoje, mulheres que valham a pena conhecer ficam empolgadas em apoiar umas às outras. A Charlotte mentir sobre a idade para transar com um garoto de vinte e poucos anos foi patético, pois não tem porquê mentir. 30 anos não é velha." —lbbrnn0814

15. O fato de que a série era dominada por gente branca. MUITO dominada por gente branca, na verdade.

HBO

"Ser um grupo de mulheres brancas isoladas em Nova Iorque era extremamente irritamente. Eles tinham pouquíssima diversidade no elenco. Esse não o perfil racial que você encontra em um área metropolitana, e aquilo não era convincente." —stephe4fc077afc

Publicidade

16. E, por último, os estereótipos absurdos que eles usavam nos ~poucos~ personagens de minorias da série.

HBO

"A maneira como eles tratavam/retratavam pessoas negras na série era horrível.

Os homens negros eram os bem-dotados das garotas, e as mulheres negras eram estereotipicamente agressivas, racistas ou simplesmente não existiam até que a narrativa fosse conveniente. —actoranon

Este post foi traduzido do inglês.

Publicidade

Veja também