15 momentos da votação do impeachment que beiram o surreal

Um resumo do que foi a sessão deste domingo e do que é a Câmara dos Deputados.

1. Logo no início teve Paulinho da Força (PDT-SP) cantando e soltando confetes antes mesmo de começar a votação.

"Dilma vá embora que o Brasil não quer você" 🎤

2. Wladimir Costa (Solidariedade/PA) que na hora de dar o voto, gritou "vota sim coloca mão pra cima" e disparou mais confetes.

E ele já havia feito isso no discurso de abertura da sessão e no dia anterior.

Publicidade

3. O êxtase dos colegas na hora que Tiririca (PR-SP) disse sim ao impeachment.

Publicidade

4. O momento em que Jair Bolsonaro (PSC-RJ) parabenizou Eduardo Cunha e homenageou um torturador da ditadura.

5. A ideia do deputado Marcelo Squassoni (PRB-SP) de levar o filho de dezoito anos para ser homenageado in loco.

Publicidade

6. A parte em que Glauber Braga (PSOL-RJ) chamou Cunha de gângster antes de votar.

"E o que dá sustentação a sua cadeira cheira a enxofre!"

7. O discurso do Cabo Daciolo (PTdoB-RJ), que xingou a Dilma, Temer, Cunha, a Globo e... votou sim.

Publicidade

8. Sergio Reis (PRB-SP), que apelou para sua trajetória na música para justificar seu voto.

9. Andrés Sanchez (PT-SP) dizendo que foi aconselhado pelos corinthianos a não entrar na política e mesmo assim foi. Decepcionado, votou não.

Publicidade

10. A hora em que Jean Wyllis (PSOL-RJ) chamou todos de "canalhas".

11. Alfredo Nascimento (PR-AM), que renunciou à presidência do partido para votar diferente do determinado, e votou no sim.

Publicidade

12. Marco Feliciano (PSC-SP) dedicou o voto ao MBL, lembrou Olavo de Carvalho e pediu o fim do "partido das trevas".

13. Teve ainda o deputado Marcelo Álvaro Antônio (PR-MG), que voltou depois de ter votado apenas para mandar um abraço para o filho Paulo Henrique.

"Paulo Henrique, é pra você meu filho".

Publicidade

14. Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC) que, entre outras coisas, votou sim "pela mudança do estatuto do desarmamento".

15. Cristiane Brasil (PTB-RJ) que, com uma camisa da seleção brasileira de futebol, lembrou de seu pai, Roberto Jefferson, na hora de votar.

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Veja também