15 de maio é o Dia Nacional do Orgulho de ser Travesti e Transexual; entenda a origem da data

Celebração marca anos de luta e resistência.

15 de maio é o Dia do Orgulho de Ser Travesti e Transexual, e o perfil da ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) fez este post no Instagram que fala sobre a origem desta data.

Em 1992, Jovanna Baby, Elza Lobão, Josy Silva, Beatriz Senegal, Monique Du Bavieur e Claudia Pierry France se reuniram para criar a primeira organização política de pessoas trans do Brasil.

Imagem antiga mostra um encontro entre Jovanna Baby, Elza Lobão, Beatriz Senegal, Monique Du Bavieur e Claudia Pierry France.
Imagem antiga mostra um encontro entre Jovanna Baby, Elza Lobão, Beatriz Senegal, Monique Du Bavieur e Claudia Pierry France.

Reprodução

O objetivo dessa organização era formar uma frente de resistência contra a violência policial e garantir que a comunidade trans e travesti tivesse acesso à saúde, principalmente para enfrentar a epidemia do HIV. Além disso, o grupo também debatia formas de proteger as profissionais do sexo.

Publicidade

Assim, no Rio de Janeiro, em 15 de maio de 1992, foi fundada a ASTRAL (Associação de Travestis e Liberados).

Logo do grupo ATRAL.
Logo do grupo ATRAL.

Reprodução / FONATRANS

Além de promover a luta por direitos, a ASTRAL também possibilitou a idealização de outras redes, como a RENTRAL (Rede Nacional de Travestis e Liberados), criada em 1995 e que no ano seguinte acabou mudando o nome para RENATA (Rede Nacional de Travestis). Anos mais tarde, em 1998, a rede mudou de nome novamente e passou a se chamar ANTRA (Articulação Nacional de Travestis).

É importante lembrar que, no Brasil, as pessoas trans e travestis já estavam na luta desde a década de 1970. Porém, foi apenas na década de 1990 que elas finalmente conseguiram criar uma instituição própria.

Publicidade

O primeiro encontro de travestis do Brasil aconteceu em 1993 e contou com a participação de pessoas de diversos estados que queriam levar as pautas desta luta para todo o país. O Encontro Nacional de Travestis e Liberados passou a se chamar ENTLAIDS (Encontro Nacional de Travestis e Transexuais na Luta contra a AIDS) e, de acordo com a ANTRA, 23 edições aconteceram desde a sua criação.

Imagem do IV Encontro de Travestis e Transexuais que aconteceu no hotel Rio's Presidente, no Rio de Janeiro.
Imagem do IV Encontro de Travestis e Transexuais que aconteceu no hotel Rio's Presidente, no Rio de Janeiro.

Reprodução / FONATRANS

Imagem do IV Encontro de Travestis e Transexuais que aconteceu no hotel Rio's Presidente, no Rio de Janeiro.

Apesar de ser uma data histórica para trans e travestis, o 15 de maio ainda é desconhecido por grande parte das pessoas. Isso é um resultado do apagamento histórico da luta desta comunidade e do não reconhecimento da contribuição de trans e travestis dentro da comunidade LGBTI+.

Publicidade

Na postagem, a ANTRA reforça que o 15 de maio não anula o Dia da Visibilidade Trans, celebrado em 29 de janeiro. As duas datas existem ao lado de muitas outras que vieram para somar forças na luta pelos direitos das pessoas trans e travestis. Também no Instagram, a ANTRA disponibilizou este calendário com as principais datas que marcam a história da comunidade.

Toda essa luta e organização resultou em várias conquistas para a comunidade, como a garantia ao respeito do nome social no SUS, no ENEM e em órgãos públicos, assim como a criação de projetos voltados para a cidadania trans. O aumento da participação de trans e travestis na política também é fruto deste trabalho. Nas eleições municipais de 2020, por exemplo, vimos um recorde de pessoas trans sendo eleitas para ocupar Câmaras de Vereadores em todo o país. Conheça algumas delas aqui.

Imagem das vereadores Duda Salabert e Erika Hilton.
Imagem das vereadores Duda Salabert e Erika Hilton.

Reprodução

Duda Salabert, à esquerda, foi a primeira vereadora trans eleita na história de Belo Horizonte. Erika Hilton, à direita, também fez história ao se tornar a primeira vereadora trans na câmara de São Paulo.

Publicidade

Se você quer saber mais sobre esta história marcada por muita luta e resistência, não perca o debate que vai rolar hoje no Festival TRAVIARCADO, realizado pelo Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros. O papo começa às 19h e será transmitido pelo Instagram do FONATRANS. Para uma leitura mais completa, o site do FONATRANS traz um histórico detalhado sobre o nascimento do movimento de travestis aqui no nosso país. Leia aqui.

Leia mais:

Se você já disse alguma dessas frases, foi transfobia

Pessoas trans existem há milhares de anos e outras coisas que você deveria saber sobre transexualidade

Resistências às narrativas trans no movimento LGBTQIA+

Apresentadora trans faz estreia emocionante na TV de Bangladesh

Publicidade

Veja também