14 pessoas contam como conseguiram abandonar hábitos ruins

Quem sabe elas não te inspiram?

Pedimos aos nossos leitores no grupo do BuzzFeed Brasil no Facebook que contassem como conseguiram abandonar hábitos ruins. Estas são algumas das histórias mais interessantes.

Publicidade

1. "Tive uma boa conversa comigo mesmo e passei a beber muito menos."

"O segundo semestre do ano passado foi complicado. Comecei a beber muito em casa e algumas vezes cheguei até a ir trabalhar alterado. Eu estava com problemas financeiros, familiares e trabalhistas, e o consolo e a ajuda para dormir a noite era a cerveja. Cheguei a beber todos os dias e perdi noção do quanto gastei com bebida.

Até que eu tive uma boa conversa comigo mesmo para entender o que estava acontecendo realmente e o que eu teria que fazer para mudar o cenário.

Funcionou, no final das contas. Obviamente ainda tomo uma cervejinha, mas não como antigamente. E esses tempos eu passei por uma situação pior do que a que eu estava e continuei pleno e sóbrio." — Neto Capistrano

Publicidade

2. "Parei de beber depois de literalmente quebrar a cara e brigar com meus amigos."

"Um dos maiores sonhos de um jovem adolescente entrando nos 18 é beber sem se preocupar. Assim que fiz 18, eu não perdi tempo. Bebia feito um desesperado em todas as festas que apareciam. Todo fim de semana eu tava marcando com os amigos pra beber, sendo que tinha aula no outro dia. Esse hábito se seguiu por dois anos, e chegou um dia que eu percebi que aquilo tava me atrapalhando. Minhas notas caíram, eu não sabia socializar antes de beber e muitas das vezes só voltava pra casa noutro dia. Eu decidi parar com esse exagero quando num rolê de praia eu acabei caindo e literalmente quebrei a cara, briguei com meus amigos e fiquei chorando por horas dentro do ônibus. No auge dos meus 22 eu aprendi a controlar e praticamente bebo duas/três vezes por mês." — Bruno Filgueiras

Publicidade

Hilch / Getty Images

3. "Deixei de dormir à tarde e ainda desenvolvi o hábito de tomar água."

"Eu tinha um hábito de dormir à tarde, e com isso não conseguia dormir à noite. A saída que tive foi tomar água sempre que sentia sono. Tomava, geralmente, umas três garrafinhas de 500 ml de forma alternada. Em uma semana, perdi o hábito, fiquei mais disposto e tomar água se tornou natural." — Matheus César

Publicidade

4. "Reduzi a procrastinação em 80%."

"Desde que eu comecei a usar o Bullet Journal, parei de procrastinar uns 80% no meu dia. Ainda quero chegar aos 100%, porém percebi que só vou conseguir isso quando eu silenciar as notificações do Facebook, do WhatsApp e dos meus jogos no celular. 🤔" — Leslie Leite

Publicidade

Ylivdesign / Getty Images

Publicidade

5. "Abandonei o botão soneca."

"Abandonei o botão soneca. OK, não é algo sério quanto cigarro e bebidas, mas foi o primeiro passo pra controlar a procrastinação.

Agora eu deixo meu celular carregando mais longe da cama, então toda vez que o despertador toca eu tenho que me levantar pra desligar. Uma vez levantada, pra que ativar o soneca? Parece pouco, mas é algo que já faz você acordar mais motivado, hahahahaha." — Natanya Maria

Publicidade

6. "Diminuí a quantidade de refrigerante aos poucos."

"Desde criança tinha o hábito de comer bebendo (uma garfada, um gole), e geralmente era refrigerante. Aí resolvi prestar atenção nisso e começar a cortar. Comecei trocando o refri por suco, depois alternando dia sim, dia não, até que parei de vez de tomar líquido nas refeições. Hoje em dia eu tomo mais refri no final de semana. Eu gosto e não quero deixar de tomar, mas fiquei feliz de ter diminuído a quantidade." — Camila Almeida

Publicidade

7. "Reduzi o consumo de açúcar substituindo por frutas e vitaminas."

"Consegui diminuir drasticamente meu consumo de açúcar substituindo por frutas e vitaminas. Chegava a comer duas latas de leite condensado por dia, e foram bem difíceis os primeiros dias, principalmente porque eu trabalhava em padaria e podia comer à vontade. Levava maçã, pera ou banana pro serviço pra comer lá e a vontade foi diminuindo. Consequentemente depois disso foi bem fácil cortar gordura e outras tranqueiras também. Claro que aprender a cozinhar também ajudou, mas fazer substituição pra mim sempre funciona bem." — Lorena Leão

Publicidade

8. "Demorei dois anos, mas consegui parar de fumar."

"Parei de fumar há mais de um ano e nunca fui tão feliz! Foi um processo de quase dois anos, mas deu certo! Comecei diminuindo a quantidade de cigarros por dia (menos nos fins de semana, quando enfiava o pé na jaca mesmo). Depois decidi não fumar durante a semana, e a parte mais difícil dessa decisão foi cortar o cigarro pós-almoço. Então comecei a enrolar meu próprio cigarro, o que me dava certa preguiça e eu acabava fumando menos. Até que um dia esqueci meu kit cigarro (seda, tabaco, filtro, blablablá) na casa de uma amiga e achei que era um sinal dos deuses pra parar de fumar! Queria morrer no dia seguinte, fiquei mais de um mês sem sair de casa pra tomar uma cervejinha e finalmente consegui desassociar o cigarro de tudo o que me dava prazer. Hoje em dia nem sinto mais vontade, por incrível que pareça." — Analu Tortella

Publicidade

9. "Anotei conselhos, baixei um app, comprei um livro e consegui parar de fumar."

"Larguei o cigarro. Já contei no grupo [do BuzzFeed Brasil]. Começou com um post, fui seguindo, lendo as histórias e depois pensei: "Quer saber? A hora é agora." Anotei todos os conselhos, baixei o app QuitNow!, comprei o livro do Allen Carr, marquei o dia e foi. No inicio é osso mesmo! Complicado, algumas tonturas, náuseas, irritação, choro. Mas desta vez aguentei firme. E tamos aí, de vez em quando ainda vem a vontade mas é só pensar em outra coisa e esperar passar." — Carla Lima

Publicidade

Johavel / Getty Images

10. "Consegui parar com o hábito de comprar por impulso."

"Consegui parar com o hábito de comprar por impulso. Quando me mudei de casa percebi que tudo que eu realmente precisava cabia em duas malas e uma mochila. A partir daí comecei a ler sobre minimalismo e padrões de consumo mais sustentáveis. Hoje não gasto mais do que posso (adeus, dívidas de cartões de crédito e cheque especial), arrumo e limpo a casa muito mais rápido, organizo tudo que preciso para viajar rapidinho. Invisto meu dinheiro em experiências e não em coisas. Saio mais para comer fora, viajo, vou mais ao teatro e ao cinema. E não tenho a casa cheia de coisas, roupas, sapatos que nunca uso. Não é difícil, basta um pouquinho de força de vontade e aprender a olhar com atenção para o que temos nos armários." — Elaine Andrade Barbosa

Publicidade

11. "Larguei o hábito de me preocupar com o que as pessoas achavam de mim."

"Eu larguei o hábito de me preocupar com o que as pessoas achavam de mim. Eu sempre me importei com o que as pessoas achavam da minha vestimenta, da forma como eu sentava, da forma como eu falava, da cor com que eu pintava o cabelo. Cresci tendo 'medo' de ser sincera por pensar que tal pessoa não ia gostar de mim. Isso me criava várias crises de ansiedade.

Depois que comecei a querer entender os porquês dessas crises, ver o quanto elas me faziam mal e patinavam minha vida, eu resolvi pôr um ponto final nisso. Tudo foi/é um processo até me desvincular desse costume que eu tive por tanto tempo, mas eu comecei pensando algo do tipo 'não posso mudar o que pensam de mim, portanto não vou nem tentar' e tudo começou a se tornar mais leve, afinal a gente não tem controle nenhum sobre o outro, né? Bobeira nossa achar que vai agradar tudo e a todos, bobeira colocar o pensamento do outro (que a gente nem sabe e nunca vai saber o que é) na frente do nosso bem estar.

Hoje minha preocupação maior é viver a vida no hoje e tentar ser feliz!" — Patricia Batista

Publicidade

12. "Deixei de me importar com a opinião de pessoas tóxicas."

"Eu parei de me importar com a opinião de pessoas tóxicas, principalmente de familiares.

Antes, me vestia me cobrindo inteira, com vergonha dos braços e das pernas, e após me tornar mãe ficou pior. Sempre ouvia 'muito gorda' e 'tem que fazer dieta'. Hoje, com o apoio do meu esposo e meus amigos, aprendi a me amar e usar aquilo de que gosto. Quebrar barreiras é muito bom, mas quebrar barreiras internas é maravilhoso.

Hoje me amo muito mais, sempre impondo minhas vontades e tendo em mente que o que importa é o que me faz bem." — Marielly Fresanso

Publicidade

Hilch / Getty Images

Publicidade

13. "Parei de ser trouxa no amor devido ao movimento feminista."

"Parei de ser trouxa no amor devido ao movimento feminista. Entendi que amor não é sinônimo de posse e que ciume não é sinônimo de amor. Consegui me libertar da ideia de que casamento é o único destino para uma mulher bem sucedida e que a maternidade é obrigatória para me fazer mulher. Hoje vivo meus relacionamentos com muito mais leveza, independente de ele ser só casual ou sério e detecto com muito mais facilidade os embustes no caminho." — Nina Moratelli

Publicidade

14. "Deixei de pensar que eu não sou bonita o suficiente."

"Parei de pensar que eu não sou bonita o suficiente. Começou na brincadeira: toda vez que eu pensava em algo ruim sobre mim eu pensava por cima que eu era um mulherão e só elogios, mesmo que eu não acreditasse. Criei o hábito de sempre pensar bem e sempre me elogiar mesmo que fosse na brincadeira. Depois de um tempo, percebi que tinha virado uma verdade. Não me sinto 100% bem o tempo inteiro, mas não tenho mais esse tipo de pensamento." — Eduarda Pauli

Publicidade

Veja também:

Publicidade

Publicidade

Veja também