14 coisas legais para você experimentar em julho

Tem produtos e apps legais para usar, dica de passeio, séries para ver e livros para ler nestas férias.

BuzzFeed Brasil

Aqui no BuzzFeed Brasil estamos sempre testando produtos e ideias que melhorem nossos dias, então resolvemos dividir algumas indicações do que mais curtimos com vocês.

BuzzFeed Brasil

Aqui apresentamos resenhas de produtos que cada um adquiriu com o próprio dinheiro.

Publicidade

1. iFood Loop - de R$5,00 a R$10,00.

Amanda Tavares/ BuzzFeed Brasil

A minha vida vida anda meio corrida e nem sempre sobra tempo para cozinhar as marmitas da semana. Por isso, queria uma solução que fosse rápida, barata e que não tomasse lugar na minha geladeira. Eis que um dia, como quem não quer nada, o iFood me manda um cupom prometendo almoço completo a R$ 10,00. Com a barriguinha roncando e pouco dinheiro na conta fui ver do que se tratava.

Era o iFood Loop. Uma opção do app onde você pede pratos em restaurantes anônimos por apenas R$ 10,00. E toda quinta os pratos ficam ainda mais baratos! Apenas R$ 5,00. Você agenda o seu prato todos os dias antes das 11h e ele chega no seu endereço até 12h50. Em alguns estabelecimentos dá pra pagar com vale refeição ou crédito pelo app.

Também dá para pagar na entrega com crédito ou débito. As opções são bem deliciosas e é uma solução ótima pra quem precisa de algo barato e gostoso todos os dias. – Amanda Tavares

2. Lip Tint Gel da Dailus - R$15,00.

Camila Sa/ BuzzFeed Brasil

Este produtinho está no hype! Várias marcas já lançaram uma versão do lip tint, que antes era um produto mais conhecido pela marca Benefit, com preços acessíveis. De tanto ouvir falar, decidi comprar o da Dailus pra testar. O Lip Tint Gel custa, em média, R$15,00 e rende bastaaaante.

A textura parece ser um gelzinho, mas bem mais líquido: o que facilita na hora de aplicar. Espalha fácil ao passar nos e dá pra aplicar mais e mais camadas, dependendo do tanto que você queira que a boca fique mais/menos vermelhinha. A ideia é dar uma corzinha nos seus lábios sem muito esforço, acho que cumpre bem a proposta e o sabor é gostosinho, quase não tem cheiro.

A minha única dica é hidratar bem os lábios, porque senti que deu uma ressecadinha ao longo do dia. Quando isso aconteceu, eu reapliquei o produto pra ficar com os lábios molhadinhos, mas, ainda assim, senti falta de um protetor labial. Ah, quem interessar possa, o Lip Tint é vegano! 💕 – Camila Sá

Publicidade

3. Photo-Loving Primer da Ruby Rose - R$15,00.

Camila Sa/ BuzzFeed Brasil

Me lembro de ver produtos da Ruby Rose há anos nas prateleiras, mas tenho a impressão de que as pessoas estão usando - e, com certeza, os divulgando - muito mais atualmente. Eles têm se preocupado em lançar produtos com mais qualidade, variação de tons e formatos.

O Photo-Loving Primer promete suavizar as imperfeições e preparar melhor a pele antes da aplicação. O que eu senti, utilizando o produto, é que melhorou bastante o aspecto dos meus poros e serviu de apoio pra aplicar a base e/ou pó compacto no rosto. Além disso, dá um toque aveludado na minha pele, o que ajuda a segurar melhor a oleosidade, logo após a aplicação. O primer é transparente e dá pra espalhar fácil e rapidamente pelo rosto, não tem cheiro e rende bastante. – Camila Sá

4. Antioxidante hidratante Sallve - R$89,90.

Maria Augusta Batalha/ BuzzFeed Brasil

Fui pega pelo hype da mais nova marca da Julia Petit, que lançou recentemente seu primeiro produto: o antioxidante hidratante. Esse tubinho de 35g contém tantas substâncias magníficas para a pele (ácido hialurônico, vitamina C, cafeína, niacinamida) que eu tive que pagar para ver. Minha pele é acneica, oleosa e sensível, ou seja: praticamente todos os problemas que uma pele pode ter eu tenho.

A primeira coisa que você precisa saber sobre o produto é que, como o nome já diz, ele é um antioxidante hidratante, então a principal função dele no rosto não é a de super hidratar. Ele tem uma textura levíssima e seca tão rápido na pele que quase não dá tempo de espalhar, por isso eu preferi passar ele depois de usar óleo facial próprio para pele oleosa. Eu achei que espalhou melhor e consegui usar menos produto (a marca recomenda 4 gotinhas). Porém, naquelas dias mais secos em que a pele pede mais hidratação, você provavelmente vai precisar passar um hidratante mais forte por cima dele ou abusar da água termal.

A função de antioxidante ele cumpre muitíssimo bem, deixa a pele com aquele viço que a gente tanto almeja. Senti que melhorou a textura da minha pele e até minimizou os poros dilatados, um sonho de verão. O mais legal é que você pode passá-lo na área dos olhos também, e ele realmente ajuda a a diminuir o inchaço matinal.

O preço é salgadinho, mas acho que se contar todas as funções que ele tem e o preço médio dos dermocosméticos, vale realmente a pena. Só precisa ficar atento para não usar mais produto que o necessário, uma vez que ele seca e dá vontade de passar mais (por isso a dica de passar óleo facial ou água termal antes).

*Comprei o produto com um código promocional e veio com essa toalhinha 100% algodão, essa fotinho da campanha + frete grátis* – Maria Augusta Batalha

Publicidade

BuzzFeed Brasil

Aqui no BuzzFeed Brasil marcas nos enviam produtos como cortesia, mas não temos não temos nenhuma obrigação de escrever sobre eles, muito menos falar bem. Os produtos que nós gostamos e queremos recomendar a vocês estão neste post.

5. Manteiga Hidratante Corporal da linha Belle Lã, da Eudora - R$49,99.

Christine Dierkes/ BuzzFeed

Eu sei que passar hidratante é importante, principalmente no inverno quando a pele fica mais ressecada, mas eu sempre deixo de passar porque fico incomodada com a sensação pegajosa que fica. Isso não aconteceu com a manteiga corporal da linha limitada de inverno da Eudora. Além dela espalhar facinho (se estiver muito fria ela não desliza, mas aí você dá uma esquentadinha com as mãos mesmo), hidrata bem (meus cotovelos estão lindíssimos e macios) e o cheiro (que é BEM doce, já aviso) fica na pele o dia todinho. A única coisa que não curti muito é que acaba rápido, gastei quase um pote inteiro em um mês de uso – Christine Dierkes

Publicidade

6. Shampoo e condicionador Siàge, da Eudora - R$53,98 o kit com os dois.

Maria Luiza Napoles/ BuzzFeed Brasil

O meu cabelo é grosso, pesado e liso, porém, com grande rebeldia em uma somatória de frizz e muitas brigas com redemoinhos. Com isso, sempre procurei produtos que proporcionassem um efeito mais liso e mais "acertado", porém, só conseguia um de dois resultados: um efeito molhado de pura oleosidade ou um efeito quase bacana após uma longa sessão com a chapinha. Quando recebemos estes produtos da Eudora pra testar, não pensei duas vezes e peguei pra mim.

Logo na primeira vez que usei, já senti diferença com meu cabelo ainda molhado e adorei a sensação de não ficar nenhum resquício do produto após o enxágue. Três semanas depois, continuo muito feliz! O produto me ajudou a conseguir exatamente o que eu queria: cabelo sem frizz, liso e, ao mesmo tempo, mantendo a forma e o movimento do corte do meu cabelo. Se este é o seu caso, esse produto é pra você. – Maria Luiza Napoles.

7. Hidratante Nutriol Perfume Suave, da Darrow - R$49,90.

Maria Augusta Batalha/ BuzzFeed Brasil

Esse é daqueles hidrantes para quem leva hidratação a sério. A versão que testei tem um perfume suave bem gostosinho, mas não fica no corpo, então o foco mesmo é a hidratação. A textura é leve e espalha fácil, um ponto mais que positivo, porque ninguém merece ficar espalhando por horas aqueles hidratantes potentes que mais parecem uma argamassa. O que eu mais gostei é que a pele absorve o produto bem rápido e ele deixa um toque aveludado. – Maria Augusta Batalha

Publicidade

BuzzFeed Brasil

Temos aqui atividades que colocamos em prática em nossas rotinas e recomendações de livros, filmes e séries que assistimos, gostamos e recomendamos.

8. Usar o aplicativo PetDriver - download grátis.

Divulgação

Desde que adotei minha cachorra eu tive problemas quando precisava transportá-la de carro pra algum lugar. Por ela ser muito grande, nenhum motorista de aplicativo aceitava levá-la. Contei esse problema pra uma amiga e ela me indicou o PetDriver, que nada mais é do que um Uber pra cachorros e outros pets!

Baixei o app pra testar e achei bem prático, porque é muito parecido com os que já estamos acostumados a usar. Como é um serviço muito específico, eles ainda não possuem muitos motoristas circulando pela cidade. Quando chamei o carro, o sistema me avisou que ele demoraria meia hora para chegar. Pra mim não foi problema porque não estava com pressa, mas é sempre bom se programar pra pedir um pouco antes do horário em que você precisa sair.

O carro chegou no horário programado e ele é todo equipado para garantir a segurança do seu pet, com bancos revestidos e cintos de segurança especiais pra prender na coleira do bichinho. A tarifa sai um pouco mais cara que os apps que transportam humanos (hehehe), mas achei que valeu mais a pena arcar com o custo do que ter o trabalho de pedir um carro emprestado pra alguém ou ficar dependendo de favores. – Matheus Saad

Publicidade

9. Dar um rolê na Feira Kantuta, em São Paulo.

Mais paulistano, impossível: entre a estação Armênia do Metrô e o Estádio da Canindé, que é da Portuguesa, fica a Feira Kantuta, programa domingueiro tradicional da comunidade boliviana em São Paulo.

É um programa bem mais pra quem é local do que turista, com foco no comércio de produtos vindos da Bolívia como grãos, frutas e tecidos. Além das apresentações de danças típicas, têm barracas e restaurantes servindo doces, carnes e vegetais assados, chincharrones, caldos e salteñas de todos os sabores.

A Feira Kantuta acontece na praça de mesmo nome todos os domingos entre as ruas Pedro Vicente e Olarias, das 10h às 16h. Já havia uma praça ali, que teve seu nome alterado, a princípio informalmente, para Kantuta. Ah, o nome Kantuta é de uma flor andina, símbolo da Bolívia, que cresce com as cores da bandeira do país: vermelho, verde e amarelo. Informações no Facebook da feira.Gaia Passarelli

10. Ler o livro "Rondon - Uma Biografia", de Larry Rohter (Editora Objetiva) - R$66,00 na Amazon.

Graciliano Rocha/ BuzzFeed

O marechal Cândido Mariano da Silva Rondon (1865-1958) é um personagem fascinante e teve uma vida digna de filme. Foi um dos maiores exploradores da História, liderando expedições que desbravaram o Brasil desconhecido e produziram dados valiosos em diversos campos do conhecimento humano (antropologia, lingüística, geografia, estudo de espécies da fauna e da flora amazônicas).

Foi o responsável por tocar a dificílima obra das linhas de telégrafo nos confins do que hoje é o Centro-Oeste, integrando-os ao Brasil de fato. Tanto como homem de ação, Rondon foi também o estadista que criou a primeira política pública em defesa dos povos indígenas e conduziu-a nas primeiras décadas do século XX.

O livro é soberbamente escrito. Descrições do Mato Grosso no século XIX são deliciosas. O autor, o jornalista americano Larry Rohter, é um jornalista muito experiente com bastante conhecimento sobre o Brasil. É aquele correspondente do The New York Times que o Lula ameaçou de expulsar do país em 2004 porque não gostou de um texto que o relacionava ao consumo de bebida alcoólica. – Graciliano Rocha

Publicidade

11. Ler o livro "Sobre Lutas e Lágrimas", de Mário Magalhães (Editora Record) - R$35,00 na Amazon.

Graciliano Rocha/ BuzzFeed

Vai demorar muito para os brasileiros, independente do espectro político, esquecerem tudo que aconteceu em 2018. Teve prisão do Lula, facada no Bolsonaro, uma Copa do Mundo em que o camisa 10 do Brasil ficou mais no chão que em pé, incêndio do Museu Nacional, intervenção no Rio...

O livro de Mário Magalhães começa com a vereadora Marielle Franco (PSOL) na noite de Ano Novo no Rio e vai fazendo um inventário de todos os solavancos que o país viveu até à antessala da posse de Jair Bolsonaro. A obra tem um olhar à esquerda para o processo político, mas isso não significa que seja panfletária já que não briga com os fatos.

Autor da biografia "Marighella - o guerrilheiro que incendiou o mundo", Mário Magalhães dissecou 2018 como o repórter rigoroso que é e apresentou-o num texto leve e elegante que faz com que se leia "Sobre Lutas e Lágrimas" rapidinho. – Graciliano Rocha

12. Ver o filme "Democracia em Vertigem" na Netflix.

Divulgação/Reprodução Netflix

Vale assistir ao documentário de Petra Costa, sobretudo, por imagens de Lula na intimidade, dentro de seu berço político, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista, nos momentos que antecederam a sua prisão em abril de 2018 ou da ex-presidente Dilma Rousseff enquanto corria o processo de impeachment.

A narrativa (com forte viés favorável ao PT) faz com que duas décadas da política nacional se misturem com a trajetória da própria família de Petra Costa (uma das fundadoras da empreiteira Andrade Gutierrez) e funciona bem como obra cinematográfica.

Há, contudo, uma tentativa de canonização da ex-presidente Dilma Rousseff ao isentá-la da ruína econômica do país. À exceção de uma brevíssima e genérica menção à "queda dos preços das commodities" e uma aparição-relâmpago do senador Roberto Requião (MDB-PR) atribuindo o processo de impeachment à piora da economia, a recessão que pariu mais de 12 milhões de desempregados passou batida, conforme a narrativa da obra.

Cinema não é jornalismo e nem tem o mesmo compromisso de aspirar à imparcialidade. Sem fingir ter esse compromisso, Petra Costa entregou um filme importante. – Graciliano Rocha

Publicidade

13. Ver a série "Fleabag" na Amazon Prime.

Divulgação/Reprodução Amazon Prime

Tá no Amazon Prime a segunda (e última) temporada da super elogiada série da atriz-criadora-escritora (e minha musa) Phoebe Waller Bridge. São 12 episódios bem curtos, de 25 minutos, o que significa que você pode (DEVE) maratonar de uma vez, se puder.

A história gira em torno da vida afetiva e familiar da personagem-título (a gente nunca fica sabendo qual é o nome dela de verdade) que de começo parece uma pessoa horrível e com o tempo, bem devagar, vai se revelando uma pessoa incrível.

Se você viu a primeira temporada e ficou impressionado com a forma como a Flebag vai se mostrando um ser humano real, prepare-se pra segunda. Afinal, ela envolve não só ALTAS tretas familiares mas um padre gato. Pois é. – Gaia Passarelli

14. Ver a série "Shippados" no Globoplay.

Divulgação/Reprodução Globoplay

Essa série da Globoplay é um verdadeiro presente para quem está em busca de risadas altas na frente da TV. "Shippados" conta a história de Rita e Enzo, dois jovens adultos com poucos amigos, que estão doidos pra serem amados e transarem um pouco. Para preencherem este vazio da existência eles usam até aplicativos de encontro cheios de gente biruta. Parece a vida real de muita gente que conheço (ou seja, gente que vive em São Paulo, no Rio, grandes cidades, etc.).

Embora minha descrição seja um pouco melancólica, o texto é MUITO engraçado, a Tatá Werneck e o Eduardo Sterblitch parecem ter nascido para fazerem estes personagens e me fizeram gargalhar alto várias vezes. Eles ainda têm dois casais de amigos completamente foras da casinha, o que deixa a série ainda mais engraçada. Além de tudo, lembra muito "Os Normais", uma das melhores coisas já feitas na TV brasileira em todos os tempos. Não me espanta que a Fernanda Torres tenha dito que "Shippados" é "bonito pra cacete". –Davi Rocha.

Publicidade