13 mulheres negras contam quando perceberam que não eram tão iguais às mulheres brancas

Nem todas as mulheres são iguais, por isso é importante entender as diferenças para podermos respeitá-las.

Há 3 anos

BuzzShe

Perguntamos a mulheres negras do grupo do BuzzFeed Brasil no Facebook quando elas perceberam que não eram iguais às mulheres brancas. As respostas mais impactantes estão neste post.

As respostas podem ter sido editadas para concisão ou clareza.

1. "Eu ainda tinha aquela ideia de que todo mundo conseguia encontrar alguém um dia. Até descobrir que o amor é branco."

"Quando eu entrei em um grupo de feminismo negro e, lendo os relatos e histórias, entendi por que nunca tinha namorado na vida: porque sempre fui rejeitada. Eu ainda tinha aquela ideia de que todo mundo conseguia encontrar alguém um dia. Até descobrir que o amor é branco.

A TV, o cinema, as revistas e os desenhos da minha infância sempre me mostravam isso. Para vocês terem uma ideia, eu não conseguia achar um homem negro bonito. Porque na minha cabeça homens bonitos eram brancos. A gente é ensinado desde sempre a odiar e negar nossa cor, nosso cabelo...

Eu li relatos de mulheres bem mais velhas que eu que nunca tiveram sequer a chance de conhecer alguém. Estou tentando ficar bem psicologicamente, mas confesso que não é fácil. Ser rejeitada é umas das piores sensações que existe." - Anônima

Publicidade

2. "Aprendi que não era tão igual quando minhas amigas brancas ficavam com vários meninos, arrumavam namorado e eu ficava chupando dedo."

"O mais concreto é quando se está naquela fase dos 8 ou 9 anos e, no dia dos namorados, tem a troca de cartões na sala e você não recebe nenhum. Ou quando, um pouco mais velha, faziam votação de menina mais bonita e você nunca estava na votação. Ou quando chega na adolescência e suas amigas brancas ficam com vários meninos, arrumam namorado e você fica chupando dedo. E assim a gente aprende que não somos iguais." - Anônima

3. "Quando eu tinha sete anos, duas amigas brancas pegaram lápis e moedas do estojo de um colega, mas quem teve que se explicar fui eu."

"Eu percebi aos sete anos. Eu era a única negra da sala e duas meninas brancas do meu lado pegaram lápis e moedas de dentro do estojo de um colega de classe. Elas negaram e a professora achou que EU estava mentindo. Eu tive que me explicar, mesmo o menino acusando elas." - Mariana Rodrigues

Publicidade

4. "Ninguém queria andar comigo na escola. Depois de dois anos tentando entender, eu alisei o cabelo."

"Ninguém queria andar comigo na escola e, depois de uns dois anos estudando lá, eu comecei a notar qual era a grande diferença entre eu e as outras meninas que sempre tinham várias amiguinhas e com quem os meninos falavam. Sim, eu fiquei dois anos procurando o que eu podia corrigir pra parar de andar sozinha no recreio e foi nesse ano que eu alisei o cabelo." - Anônima

Publicidade

5. "Ela, que era branca, magra e tinha luzes no cabelo, mesmo sem experiência e quase sem falar nada, foi contratada."

"Quando eu e uma garota branca estávamos em uma entrevista de emprego e ela, mesmo sem experiência e quase sem falar nada, foi contratada porque era magra e tinha luzes no cabelo. Já eu que tinha experiência e respondi a mais ou menos oito perguntas, mas sou negra e gorda, fui orientada a aguardar uma ligação que nunca recebi." - Jaque Marques

6. "No ensino fundamental quando eu ganhei umas três vezes como a menina mais feia da turma."

"No ensino fundamental quando eu 'ganhei' umas três vezes como a menina mais feia da turma, ou quando os meninos do ensino médio encontravam comigo no corredor e fingiam se assustar (como se tivessem tendo uma visão muito horrível). Quando todas as minhas amigas perderam o BV e eu não. Quando os meninos faziam piadas com os amigos tipo: 'Essa daí que você tá pegando, né?' - pra eles ficarem com raiva ou algo do tipo. Quando um colega de sala falou pra uma menina: 'Você não é preta, preta é ela' - se referindo a mim como se fosse uma coisa horrível. Por conta disso eu imaginei por diversas vezes que, se eu tivesse a pele branca eu seria uma pessoa bonita." - Anônima

Publicidade

7. "Eu vi que eu era diferente das minas brancas quando eu não ia para as festinhas por causa do meu cabelo."

"Eu vi que eu era diferente das minas brancas quando eu não ia para as festinhas por causa do meu cabelo e meu único desejo era ter o cabelo igual o delas. Eu tinha vontade de nascer de novo, ficava imaginando como seria e o que eu poderia fazer pra isso acontecer, além do rolê de ser declarada a mais feia das migas e nunca ser desejada. Depois, na universidade, percebi que o olhar dos professores com relação a mim era um olhar diferente do direcionado às meninas brancas, uma certa dó que eles tinham de mim, além de não me tratar seriamente." - Anônima

Publicidade

8. "O primeiro comentário que eu ouvi quando comecei a deixar o cabelo natural foi 'cabelo de mendigo.'”

"Eu comecei a perceber as coisas agora mais velha. Besteirinhas do tipo só meninas brancas ganharem papéis de destaques em apresentações escolares na escola, ou me sentir desconfortável o dia inteiro com mil prendedores mantendo meu cabelo no lugar enquanto a maioria das coleguinhas tava descabelada de cabelo solto. Mas o que eu nunca vou esquecer foi o primeiro comentário que eu ouvi quando comecei a deixar o cabelo natural: 'cabelo de mendigo.'” - Anônima

9. "Minha amiga branca era considerada ícone fashion usando as mesmas roupas que eu."

"Quando riam das minhas roupas e, quando a minha amiga branca chegava usando a mesma coisa, era considerada ícone fashion." - Polianna Lima

Publicidade

10. "Ele nunca demonstrava afeto em público comigo, duas semanas depois que terminamos ele começou a namorar uma garota branca e expôs isso pra todo mundo."

"Quando eu tava saindo com um menino há meses, nos dávamos muitíssimo bem, mas ele nunca tinha demonstração de afeto em público comigo. Nós terminamos e duas semanas depois ele apareceu namorando com uma menina branca, andando de mão dada na escola, status no Facebook, fotos e etc. Eu tinha uns 16 anos e foi quando minha ficha caiu." - Julia Mattos

Publicidade

11. "A pedagoga do meu colégio falou, apenas pra mim, que eu deveria ir ao desfile do 7 de setembro com o cabelo preso."

"Eu vivi cerca de cinco anos apenas com o cabelo preso, pois acreditava que eu era feia. Isso porque a pedagoga do meu colégio falou, apenas pra mim, que eu deveria ir ao desfile do 7 de setembro com o cabelo preso porque ele é cacheado. Só que ela não fez nada quanto às meninas de cabelo liso." - Mery Pinheiro

12. "Um dia ele terminou comigo porque não podia falar para a mãe que namorava 'alguém como eu.'"

"Eu tinha 16 anos, a bendita época dos namoradinhos. Eu ficava com um menino, aquela coisa de namoro na sala de casa. Aí um dia ele terminou comigo porque, nas palavras dele, não podia falar para a mãe que namorava 'alguém como eu'.

Lembro que doeu bastante na época e, na minha ingenuidade, eu não sabia o que ele quis dizer com aquilo. Uns dois meses depois um amigo dele veio me contar que ele estava namorando uma menina da minha escola e que ela tinha o estilo que seria legal apresentar para a mãe, branca. Acho que esse foi o momento que percebi a enorme diferença entre nós, mulheres negras, e as mulheres brancas." - Ariele Martins

Publicidade

13. "Nós estávamos brincando de ser princesa, mas as outras meninas disseram que eu devia ser a escrava."

"Quando as meninas do meu prédio foram brincar de princesa e disseram que eu não podia ser princesa também e que devia ser a escrava. Eu tinha 5 anos." - Barbara Assunção Do Carmo

Veja também:

Como uma simples vaquinha online mostrou o privilégio de youtubers brancos

Escrito por Aline Ramos • há 3 anos

19 youtubers negros que falam sobre tudo e você não vai querer perder

Escrito por Susana Cristalli • há 3 anos

21 pessoas contam em que momento perceberam que eram negras

Escrito por Aline Ramos • há 4 anos

Publicidade

Veja também